Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Diretora do PROCON comenta situação do estacionamento do Balneário Shopping

Sexta, 22/7/2016 11:37.

A diretora do PROCON de Balneário Camboriú, Camille Amorim Mello, contatou o Página 3 na manhã desta sexta-feira (22) para informar que até o momento não recebeu o requerimento do vereador Leonardo Piruka, que teria sido emitido na segunda-feira (18). O documento pede que o órgão fiscalize o estacionamento do Balneário Shopping a respeito do fracionamento do local.

A cobrança de estacionamento fracionado em Balneário Camboriú está em vigor desde 2014, mas empresários que possuem estacionamentos entraram em contato com o vereador Piruka alegando que o shopping não está respeitando a lei. Teoricamente, as empresas que não respeitassem seriam multadas, mas até hoje o shopping não recebeu uma multa sequer.

Camille salienta que ligou para a assessoria de Piruka na quinta-feira (21) e que explanou que jamais deixaria de dar uma resposta ao vereador, e que ainda não tinha se pronunciado porque não recebeu o requerimento. A diretora conta que desde 2014 há uma ação tramitando, feita pelo promotor Rosan da Rocha, contra o shopping. Porém, como o processo ainda tramita, o empreendimento continua a cobrar estacionamento do jeito que bem entende. De lá pra cá, o PROCON já encaminhou à promotoria 22 autuações contra o Balneário Shopping, sendo 7 a pedido de consumidores e as outras 15 da fiscalizaçãodo própri Procon.

Ela acrescenta que Piruka não tem ciência de todas as autuações que o órgão vem fazendo, e que ele está cobrando uma coisa na qual já estão trabalhando. “Entendo o posicionamento dele, que trabalha em prol da comunidade, mas realmente estamos focando nisso. Eu não preciso ficar enviando para a imprensa todas as autuações que fazemos. Estamos protegendo os direitos do consumidor, tanto que há algum tempo o Balneário Shopping estava fazendo venda casada, que é proibida, através de uma ‘promoção’ de que se a pessoa comesse na praça de alimentação do empreendimento pagava 50% do estacionamento. Nós fomos até lá e os autuamos”, comentou.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Diretora do PROCON comenta situação do estacionamento do Balneário Shopping

Sexta, 22/7/2016 11:37.

A diretora do PROCON de Balneário Camboriú, Camille Amorim Mello, contatou o Página 3 na manhã desta sexta-feira (22) para informar que até o momento não recebeu o requerimento do vereador Leonardo Piruka, que teria sido emitido na segunda-feira (18). O documento pede que o órgão fiscalize o estacionamento do Balneário Shopping a respeito do fracionamento do local.

A cobrança de estacionamento fracionado em Balneário Camboriú está em vigor desde 2014, mas empresários que possuem estacionamentos entraram em contato com o vereador Piruka alegando que o shopping não está respeitando a lei. Teoricamente, as empresas que não respeitassem seriam multadas, mas até hoje o shopping não recebeu uma multa sequer.

Camille salienta que ligou para a assessoria de Piruka na quinta-feira (21) e que explanou que jamais deixaria de dar uma resposta ao vereador, e que ainda não tinha se pronunciado porque não recebeu o requerimento. A diretora conta que desde 2014 há uma ação tramitando, feita pelo promotor Rosan da Rocha, contra o shopping. Porém, como o processo ainda tramita, o empreendimento continua a cobrar estacionamento do jeito que bem entende. De lá pra cá, o PROCON já encaminhou à promotoria 22 autuações contra o Balneário Shopping, sendo 7 a pedido de consumidores e as outras 15 da fiscalizaçãodo própri Procon.

Ela acrescenta que Piruka não tem ciência de todas as autuações que o órgão vem fazendo, e que ele está cobrando uma coisa na qual já estão trabalhando. “Entendo o posicionamento dele, que trabalha em prol da comunidade, mas realmente estamos focando nisso. Eu não preciso ficar enviando para a imprensa todas as autuações que fazemos. Estamos protegendo os direitos do consumidor, tanto que há algum tempo o Balneário Shopping estava fazendo venda casada, que é proibida, através de uma ‘promoção’ de que se a pessoa comesse na praça de alimentação do empreendimento pagava 50% do estacionamento. Nós fomos até lá e os autuamos”, comentou.

Publicidade

Publicidade