Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prisão de andarilhos foragidos e recorde de atendimentos pelo Resgate Social
Divulgação

Terça, 5/1/2016 11:30.

Dois andarilhos foragidos da Justiça foram detidos em Balneário Camboriú, um no domingo (3) e outro nesta segunda-feira (4). Segundo o Resgate Social de Balneário, esta temporada de verão está sendo histórica nos números dos atendimentos pelo departamento.

Nesta segunda-feira (4) um homem de 25 anos foi preso na Casa de Passagem. Ele era foragido do Rio de Janeiro e considerado de alta periculosidade. Ele foi encaminhado ao Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí (CPVI), e em breve deve ser recambiado para sua cidade.

O diretor do Resgate, Paulo Roberto de Souza, diz não ter autorização para informar o nome ou o crime pelo qual o homem responde.

Segundo Paulo, é comum pessoas serem presas na Casa ou durante atendimento do Resgate. “Esses muitas vezes não possuem documento, então os encaminhamos até a delegacia para consulta de ficha criminal, e muitos já ficam presos. Não denunciamos porque somos assistência social”, justifica.

Pedinte de sinal

Outra prisão de andarilho aconteceu no domingo. Segundo informações da Guarda Municipal, Jean Carlos Corrêa, foi preso às 22h30, em um semáforo na Quarta Avenida. Ele estava perambulando entre os carros, pedindo dinheiro.

Jean possuía mandado de prisão de Joinville e responde por furto qualificado. Ele foi abordado por guardas que patrulhavam a região e suspeitaram dele. O pedinte foi detido e encaminhado à Canhanduba.

Temporada histórica

Paulo conta que todos os dias de 16 a 20 pessoas vão embora de Balneário, com passagens do Resgate, e que diariamente chega gente nova precisando de ajuda.

“Já nos tornamos praticamente um departamento regional, pois várias cidades da região (Joinville, Itajaí, Itapema, Tijucas e Florianópolis) não estão distribuindo passagens e os andarilhos desses municípios vêm até nós”, explica.

O diretor revela uma situação conflituosa. “Procuramos não engrossar com esses indivíduos, pois se negamos a passagem eles passam a aprontar em nossa cidade. Por exemplo, deitam na prefeitura, na Avenida Atlântica... em pontos que a população vê e denuncia. Para não termos esse tipo de problema, nos obrigamos a disponibilizar a passagem”, afirma.

Segundo ele, os principais casos são os de bêbados (sujeitos de meia idade, entre 25 e 40 anos) caídos pelas ruas da cidade e que precisam ser encaminhados ao hospital.

“Balneário Camboriú é um sonho dourado, as pessoas vem para cá acreditando que terão emprego e lugar para morar, mas muitas vezes se desiludem e acabam nas ruas”, salienta.

A novidade dessa temporada é a parceria com a Guarda Municipal, que acompanha as rondas do Resgate e até auxilia nas abordagens. “Quando nós não damos conta, eles nos ligam e auxiliam nos atendimentos. Com essa temporada estamos vendo que para o próximo ano precisaremos de um segundo veículo (o Resgate só possui uma van), pois perdemos muito tempo presos no trânsito”, diz.

Se você ver ou sabe de algum caso que exija atenção do Resgate Social, ligue 8839-7075 ou 3361-7813 (Casa de Passagem).

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prisão de andarilhos foragidos e recorde de atendimentos pelo Resgate Social

Divulgação
Terça, 5/1/2016 11:30.

Dois andarilhos foragidos da Justiça foram detidos em Balneário Camboriú, um no domingo (3) e outro nesta segunda-feira (4). Segundo o Resgate Social de Balneário, esta temporada de verão está sendo histórica nos números dos atendimentos pelo departamento.

Nesta segunda-feira (4) um homem de 25 anos foi preso na Casa de Passagem. Ele era foragido do Rio de Janeiro e considerado de alta periculosidade. Ele foi encaminhado ao Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí (CPVI), e em breve deve ser recambiado para sua cidade.

O diretor do Resgate, Paulo Roberto de Souza, diz não ter autorização para informar o nome ou o crime pelo qual o homem responde.

Segundo Paulo, é comum pessoas serem presas na Casa ou durante atendimento do Resgate. “Esses muitas vezes não possuem documento, então os encaminhamos até a delegacia para consulta de ficha criminal, e muitos já ficam presos. Não denunciamos porque somos assistência social”, justifica.

Pedinte de sinal

Outra prisão de andarilho aconteceu no domingo. Segundo informações da Guarda Municipal, Jean Carlos Corrêa, foi preso às 22h30, em um semáforo na Quarta Avenida. Ele estava perambulando entre os carros, pedindo dinheiro.

Jean possuía mandado de prisão de Joinville e responde por furto qualificado. Ele foi abordado por guardas que patrulhavam a região e suspeitaram dele. O pedinte foi detido e encaminhado à Canhanduba.

Temporada histórica

Paulo conta que todos os dias de 16 a 20 pessoas vão embora de Balneário, com passagens do Resgate, e que diariamente chega gente nova precisando de ajuda.

“Já nos tornamos praticamente um departamento regional, pois várias cidades da região (Joinville, Itajaí, Itapema, Tijucas e Florianópolis) não estão distribuindo passagens e os andarilhos desses municípios vêm até nós”, explica.

O diretor revela uma situação conflituosa. “Procuramos não engrossar com esses indivíduos, pois se negamos a passagem eles passam a aprontar em nossa cidade. Por exemplo, deitam na prefeitura, na Avenida Atlântica... em pontos que a população vê e denuncia. Para não termos esse tipo de problema, nos obrigamos a disponibilizar a passagem”, afirma.

Segundo ele, os principais casos são os de bêbados (sujeitos de meia idade, entre 25 e 40 anos) caídos pelas ruas da cidade e que precisam ser encaminhados ao hospital.

“Balneário Camboriú é um sonho dourado, as pessoas vem para cá acreditando que terão emprego e lugar para morar, mas muitas vezes se desiludem e acabam nas ruas”, salienta.

A novidade dessa temporada é a parceria com a Guarda Municipal, que acompanha as rondas do Resgate e até auxilia nas abordagens. “Quando nós não damos conta, eles nos ligam e auxiliam nos atendimentos. Com essa temporada estamos vendo que para o próximo ano precisaremos de um segundo veículo (o Resgate só possui uma van), pois perdemos muito tempo presos no trânsito”, diz.

Se você ver ou sabe de algum caso que exija atenção do Resgate Social, ligue 8839-7075 ou 3361-7813 (Casa de Passagem).

Publicidade

Publicidade