Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Sindicato orienta usuários em caso de postura ilegal de taxistas

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Celso Peixoto/PMBC

Quinta, 28/1/2016 9:04.

Após a denúncia de uma moradora da cidade sobre o caso de um taxista que se negou a ligar o taxímetro em Balneário Camboriú, o Sindicato dos Taxistas advertiu o profissional e orientou a população e turistas sobre como proceder em casos como esse.

O presidente do sindicato da categoria, Esmael Rosa, aconselha que os clientes denunciem e não paguem a corrida sem taxímetro.

“Incentivo que a pessoa fique no carro até chegar aonde quer ir. Então ela deve pedir o valor do taxímetro, se não ligou, não precisa pagar. É lei, os taxistas devem obedecer isso”, informa. Hoje a bandeirada custa R$ 4,50, o KM 1 R$ 4,60, o 2 R$ 5,00 e uma hora parada R$ 50,00.
Rosa lamenta, no entanto, que há muitos clientes que tentam combinar preço com os taxistas, incentivando-os a não ligar o taxímetro.

A denúncia

A jovem escreveu via redes sociais que estava com familiares perto do Atlântico Shopping, quando começou a chover.

“Lembrei daquele ponto de táxi na Alvin Bauer e corremos pra lá. Esperamos por mais de meia hora até chegar um táxi, até aí tudo bem!”, explicou. Quando o carro arrancou logo abriu a sinaleira e segundo a denunciante, o taxista ‘tacou’ o veículo pra cima de uma família que estava terminando de atravessar a faixa de pedestres. Logo ela viu que o taxímetro estava desligado e questionou o homem. “Com grosseria ele respondeu que não iria ligar o taxímetro e impôs um valor absurdo (que não foi informado) para nos levar a alguns quarteirões dali. Pedi gentilmente mais uma vez e com um tom mais alto e agressivo ele se negou a ligar”, acrescentou.

Ela disse que não iria pagar pela corrida, e foi então expulsa do táxi junto dos parentes.

Rosa, disse ao Página 3 que tomou conhecimento do ocorrido e que o taxista envolvido foi advertido. “Se acontecer novamente ele vai sair da praça. Não pode continuar assim, não aceitamos essa postura”, comenta.

Poucos táxis

“Hoje temos 72 táxis registrados em Balneário. Sabemos que durante a temporada às vezes falta, porque a demanda de clientes é bem maior, mas logo vai tranquilizar essa situação. Nos próximos meses vamos colocar mais pontos. Fizemos um pacto com o prefeito e teremos atendimentos nos bairros, próximo ao Pronto Atendimento (PA) da Barra e Hospital Ruth Cardoso, além da Barra Sul, Avenida Brasil e Quarta Avenida. Queremos atender a todos”, salienta.

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Educação

A comunidade de toda região está convidada para opinar


Eleições

Defendo congelar salários e vantagens dos deputados por 10 anos


Eleições

Ele é surdo e por isso conhece as dificuldades enfrentadas por pessoas em situação semelhante 


Eleições

Em entrevista ao Página 3 ele conta que quer ser deputado do empreendedorismo


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade