Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Cidade
Vereador alerta que problemas com compras continuam na prefeitura

Ele citou especificamente o fornecimento de carnes, onde há fortes indícios de conluio entre licitantes

Segunda, 29/2/2016 15:39.

Publicidade

O vereador Claudir Maciel alertou na última semana que embora a prefeitura tenha criado uma secretaria de compras e expandido a controladoria, fatos suspeitos continuam ocorrendo nas licitações e citou especificamente o fornecimento de carnes onde há fortes indícios de conluio entre licitantes.

É fato que existe um grupo de empresas na região criado para combinar licitações entre si, mas prefeituras não têm estrutura para combatê-lo, seria necessário que o Ministério Público e o judiciário agissem.

De certa forma eles agem, mas lentamente. Na Operação Trato Feito, realizada em setembro de 2014, foram identificadas empresas envolvidas em fraudes com licitações e fornecimento de materiais à prefeitura de Balneário Camboriú, mas elas continuam fornecendo ao município.
Um dos principais fornecedores, contra o qual há provas contundentes de corrupção, faturou no ano passado R$ 1,7 milhão na prefeitura.

Uma cooperativa de médicos, a Coopemesc, cujo presidente foi gravado pelas autoridades combinando fraudar licitação para a saúde do município, desde a Operação Trato Feito faturou R$ 1,6 milhão.

Provavelmente a prefeitura nunca penalizou tantos fornecedores como tem feito nos últimos meses, mas impedir um corrupto de participar de licitações depende do judiciário e do Ministério Público.

Com não existe uma mudança de abordagem do problema por parte das autoridades, licitações continuarão sendo fraudadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade














Página 3

Vereador alerta que problemas com compras continuam na prefeitura

Ele citou especificamente o fornecimento de carnes, onde há fortes indícios de conluio entre licitantes

Publicidade

Segunda, 29/2/2016 15:39.

O vereador Claudir Maciel alertou na última semana que embora a prefeitura tenha criado uma secretaria de compras e expandido a controladoria, fatos suspeitos continuam ocorrendo nas licitações e citou especificamente o fornecimento de carnes onde há fortes indícios de conluio entre licitantes.

É fato que existe um grupo de empresas na região criado para combinar licitações entre si, mas prefeituras não têm estrutura para combatê-lo, seria necessário que o Ministério Público e o judiciário agissem.

De certa forma eles agem, mas lentamente. Na Operação Trato Feito, realizada em setembro de 2014, foram identificadas empresas envolvidas em fraudes com licitações e fornecimento de materiais à prefeitura de Balneário Camboriú, mas elas continuam fornecendo ao município.
Um dos principais fornecedores, contra o qual há provas contundentes de corrupção, faturou no ano passado R$ 1,7 milhão na prefeitura.

Uma cooperativa de médicos, a Coopemesc, cujo presidente foi gravado pelas autoridades combinando fraudar licitação para a saúde do município, desde a Operação Trato Feito faturou R$ 1,6 milhão.

Provavelmente a prefeitura nunca penalizou tantos fornecedores como tem feito nos últimos meses, mas impedir um corrupto de participar de licitações depende do judiciário e do Ministério Público.

Com não existe uma mudança de abordagem do problema por parte das autoridades, licitações continuarão sendo fraudadas.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade