Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Apresentado Plano de Contingência para casos de emergência e desastres naturais
Amanda Weber/PMBC

Terça, 9/8/2016 9:03.

Balneário Camboriú apresentou na última semana seu Plano Municipal de Contingência – um manual para situações de desastres naturais. A intenção é que o Plano ajude a melhorar o poder de reação na cidade de duas horas para cinco minutos, em caso de situações de emergência.

O diretor da Defesa Civil, João Passos, explica que antes do Plano, em caso de enchente ou deslizamento, por exemplo, era necessário esperar por alguém do setor para dar início à resposta. Agora as ações poderão ser iniciadas por quem estiver de plantão na sala de situação, em monitoramento 24 horas por dia. “Para isso, cerca de 200 funcionários estão recebendo treinamento gratuito para agirem como agentes de Defesa Civil”, conta João.

O Plano faz um apanhado sobre toda a estrutura oferecida pelo Grupo de Ações Coordenadas (GRAC), composto por forças de segurança, pastas da prefeitura, Celesc, Corpo de Bombeiros e SAMU. Também lista locais que poderiam ser usados como abrigo, quais os cenários de risco para cada área mapeada, rotas alternativas, entre outros tópicos.

O próximo passo no setor é entregar um aplicativo que está em desenvolvimento, e vai servir para divulgar informações de Defesa Civil à população, assim como alarmes e alertas.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Apresentado Plano de Contingência para casos de emergência e desastres naturais

Amanda Weber/PMBC
Terça, 9/8/2016 9:03.

Balneário Camboriú apresentou na última semana seu Plano Municipal de Contingência – um manual para situações de desastres naturais. A intenção é que o Plano ajude a melhorar o poder de reação na cidade de duas horas para cinco minutos, em caso de situações de emergência.

O diretor da Defesa Civil, João Passos, explica que antes do Plano, em caso de enchente ou deslizamento, por exemplo, era necessário esperar por alguém do setor para dar início à resposta. Agora as ações poderão ser iniciadas por quem estiver de plantão na sala de situação, em monitoramento 24 horas por dia. “Para isso, cerca de 200 funcionários estão recebendo treinamento gratuito para agirem como agentes de Defesa Civil”, conta João.

O Plano faz um apanhado sobre toda a estrutura oferecida pelo Grupo de Ações Coordenadas (GRAC), composto por forças de segurança, pastas da prefeitura, Celesc, Corpo de Bombeiros e SAMU. Também lista locais que poderiam ser usados como abrigo, quais os cenários de risco para cada área mapeada, rotas alternativas, entre outros tópicos.

O próximo passo no setor é entregar um aplicativo que está em desenvolvimento, e vai servir para divulgar informações de Defesa Civil à população, assim como alarmes e alertas.

Publicidade

Publicidade