Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Emasa inicia programa para detectar ligações clandestinas
Daniele dos Reis
Ação inicia no Nações, uma das áreas que contribuem com o Canal do Marambaia

Segunda, 29/8/2016 8:02.

A Emasa acaba de dar início ao programa Se Liga na Rede, que vai detectar ligações clandestinas de água e esgoto na cidade. O objetivo é verificar o despeja esgoto na rede pluvial e vice e versa.

Kelli Dacol, diretora técnica da Emasa, explica que os trabalhos começaram pelo Bairro das Nações por ser o mais populoso, por indícios de irregularidades em ligações e principalmente porque é uma das áreas que contribuem com o Canal do Marambaia, assim como a região central e o Ariribá. Ela ressalta que esse trabalho integra o projeto de despoluição do Marambaia.

“Em períodos de muita chuva identificamos que a água da chuva extravasa em poços de visita no Nações, e isso é um indício de irregularidade. Rede de esgoto está dimensionada para esgoto”, comenta.

Até o dia 31, serão vistoriadas as Ruas Venezuela, Uganda, Uruguai e Tanzânia. O cronograma seguinte deverá ser divulgado nos próximos dias. A Emasa reconhece que o trabalho será extenso e tem previsão de concluir todas as unidades só daqui um ano.

Como será

Equipes de fiscais sanitaristas realizarão três procedimentos. Primeiro o teste de fumaça na rua, que já vai indicar possíveis pontos. Depois será feito o teste com corante alimentício na residência e por fim o televisionamento. Findado o prazo para se adequar, os moradores estarão sujeitos a multa.

“Pedimos que a comunidade ajude a fazer denúncias para que possamos priorizar esses pontos”, lembrou Kelli. Informações podem ser repassadas pelo 0800 643 6272.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Variedades

Parece coisa feita para promover o ex-prefeito, mesmo que prejudicando a imagem da cidade  


Variedades


Cidade

Ela participa há 8 anos da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú 


Seu Dinheiro

Reforma de Bolsonaro é mais dura que a proposta por Michel Temer 


Publicidade


Publicidade


Policia


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Geral

Conselho Comunitário de Segurança Náutica e Cidadania de Balneário Camboriú


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Emasa inicia programa para detectar ligações clandestinas

Daniele dos Reis
Ação inicia no Nações, uma das áreas que contribuem com o Canal do Marambaia
Ação inicia no Nações, uma das áreas que contribuem com o Canal do Marambaia
Segunda, 29/8/2016 8:02.

A Emasa acaba de dar início ao programa Se Liga na Rede, que vai detectar ligações clandestinas de água e esgoto na cidade. O objetivo é verificar o despeja esgoto na rede pluvial e vice e versa.

Kelli Dacol, diretora técnica da Emasa, explica que os trabalhos começaram pelo Bairro das Nações por ser o mais populoso, por indícios de irregularidades em ligações e principalmente porque é uma das áreas que contribuem com o Canal do Marambaia, assim como a região central e o Ariribá. Ela ressalta que esse trabalho integra o projeto de despoluição do Marambaia.

“Em períodos de muita chuva identificamos que a água da chuva extravasa em poços de visita no Nações, e isso é um indício de irregularidade. Rede de esgoto está dimensionada para esgoto”, comenta.

Até o dia 31, serão vistoriadas as Ruas Venezuela, Uganda, Uruguai e Tanzânia. O cronograma seguinte deverá ser divulgado nos próximos dias. A Emasa reconhece que o trabalho será extenso e tem previsão de concluir todas as unidades só daqui um ano.

Como será

Equipes de fiscais sanitaristas realizarão três procedimentos. Primeiro o teste de fumaça na rua, que já vai indicar possíveis pontos. Depois será feito o teste com corante alimentício na residência e por fim o televisionamento. Findado o prazo para se adequar, os moradores estarão sujeitos a multa.

“Pedimos que a comunidade ajude a fazer denúncias para que possamos priorizar esses pontos”, lembrou Kelli. Informações podem ser repassadas pelo 0800 643 6272.

Publicidade

Publicidade