Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Apesar do frio, aumentou o número de mendigos em BC
Marcos Libório

Quarta, 17/8/2016 10:33.

O número de atendimentos do Resgate Social em julho, mesmo com o frio, aumentou 21%. Neste ano o departamento atendeu 196 pessoas (180 homens e 16 mulheres), 34 a mais do que no ano passado. Em três anos o número de mendigos em Balneário Camboriú mais que dobrou. Em 2013 havia aproximadamente 10 andarilhos vivendo nas ruas da cidade, este ano são 25.

O diretor do departamento, Paulo Roberto de Souza confirma a situação e diz que o motivo é a crise instalada no país, considerando que a maioria veio à procura de emprego (41,3%). Outros estão nas ruas porque querem, já que 24% possuem residência em Balneário ou em cidades vizinhas. Esses, segundo Paulo, são catadores de recicláveis que optam por dormir em espaços públicos.

23% são trecheiros (pessoas que andam de cidade em cidade, sem destino definido). Por causa do frio, boa parte dos mendigos está aceitando ir para a Casa de Passagem, onde podem tomar banho, recebem roupa e comida. Em julho foram feitos 217 albergamentos, ou seja, alguns mendigos foram mais de uma vez para o local.

“Também tivemos, após a morte de um sujeito na rua, uma onda de pessoas que queriam levar comida, roupas e cobertores para os andarilhos nas ruas, mas conseguimos alertar que isso prejudicava o nosso trabalho. Agora o pessoal que quer doar está procurando diretamente a Casa de Passagem. Se você dá esmola na rua incentiva o mendigo a continuar nessa situação”, explica.

Outro motivo que faz os andarilhos continuarem nas ruas é o vício em drogas (principalmente crack) e álcool. “O crack é um modismo que infelizmente nunca saiu de moda. É um vício difícil de sair. O álcool é a porta de entrada para as outras drogas. Tem alguns andarilhos que não usam nada, mas estes são a minoria, e continuam nas ruas porque gostam ou porque não possuem convívio familiar”, informa. Exemplo

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Divulgação

Excelente opção para os micro empreendedores, pequenas empresas e freelancers.


Editais

Renovação de Licença Ambiental de Operação


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Apesar do frio, aumentou o número de mendigos em BC

Marcos Libório
Quarta, 17/8/2016 10:33.

O número de atendimentos do Resgate Social em julho, mesmo com o frio, aumentou 21%. Neste ano o departamento atendeu 196 pessoas (180 homens e 16 mulheres), 34 a mais do que no ano passado. Em três anos o número de mendigos em Balneário Camboriú mais que dobrou. Em 2013 havia aproximadamente 10 andarilhos vivendo nas ruas da cidade, este ano são 25.

O diretor do departamento, Paulo Roberto de Souza confirma a situação e diz que o motivo é a crise instalada no país, considerando que a maioria veio à procura de emprego (41,3%). Outros estão nas ruas porque querem, já que 24% possuem residência em Balneário ou em cidades vizinhas. Esses, segundo Paulo, são catadores de recicláveis que optam por dormir em espaços públicos.

23% são trecheiros (pessoas que andam de cidade em cidade, sem destino definido). Por causa do frio, boa parte dos mendigos está aceitando ir para a Casa de Passagem, onde podem tomar banho, recebem roupa e comida. Em julho foram feitos 217 albergamentos, ou seja, alguns mendigos foram mais de uma vez para o local.

“Também tivemos, após a morte de um sujeito na rua, uma onda de pessoas que queriam levar comida, roupas e cobertores para os andarilhos nas ruas, mas conseguimos alertar que isso prejudicava o nosso trabalho. Agora o pessoal que quer doar está procurando diretamente a Casa de Passagem. Se você dá esmola na rua incentiva o mendigo a continuar nessa situação”, explica.

Outro motivo que faz os andarilhos continuarem nas ruas é o vício em drogas (principalmente crack) e álcool. “O crack é um modismo que infelizmente nunca saiu de moda. É um vício difícil de sair. O álcool é a porta de entrada para as outras drogas. Tem alguns andarilhos que não usam nada, mas estes são a minoria, e continuam nas ruas porque gostam ou porque não possuem convívio familiar”, informa. Exemplo

Publicidade

Publicidade