Jornal Página 3

Locadora contratada por Cristiane Brasil recebeu de 10 deputados

Quinta, 11/1/2018 7:55.

FÁBIO FABRINI
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Barros & Serra Serviços Executivos, locadora de veículos contratada pela deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), faturou R$ 863,1 mil ao apresentar notas fiscais a dez parlamentares desde 2015, início da atual legislatura.

Como ocorreu com a indicada para o Ministério do Trabalho, outros contratantes empregavam em seus gabinetes, no período das supostas locações, membro da família que controla a empresa.

Como revelou a Folha de S.Paulo, a Barros & Serra está em nome de uma tia da chefe de gabinete de Cristiane Brasil, que solicitou R$ 29,1 mil à Casa para ressarcir despesas com o aluguel de um carro.

A empresa declara funcionar no endereço em que, na prática, há um escritório de contabilidade em Sobradinho, cidade-satélite de Brasília. No local, não há garagem, placa de identificação, balcão de atendimento ou algum outro sinal de locadora.

O principal cliente na Câmara é Luiz Carlos Ramos (Podemos-RJ), que pediu ressarcimento de R$ 243,6 mil de 2015 a dezembro de 2017.

O deputado empregou em seu gabinete o administrador da Serra & Gama, Parmênio Francisco Coelho Serra, de fevereiro de 2015 a dezembro de 2016. Ele é tio da chefe de gabinete de Cristiane Brasil, Alessandra Serra Gama, e irmão da dona da empresa, Naida Maria Coelho Serra.

O então deputado Lourival Gomes (Podemos-RJ) declarou gastos de R$ 14 mil com a locadora em janeiro e fevereiro de 2017. Ele é suplente e substituiu Ramos no período. Parmênio o assessorava.

Questionado pela reportagem, ele transferiu a responsabilidade para Ramos. Alegou ter recebido o gabinete com estrutura montada e serviços contratados. "Quem mandava ali era o deputado."

Também requisita a empresa Benito Gama (PTB-BA), ex-presidente do PTB e um dos principais aliados do pai de Cristiane Brasil, o ex-deputado condenado no mensalão Roberto Jefferson. Ele pediu reembolso de R$ 133,8 mil.

Fausto Pinato (PP-SP) gastou com a empresa R$ 158,9 mil. Paulo Feijó (PR-RJ), R$ 143 mil (entre 2016 e 2017). Este último empregou no gabinete, de 2003 a 2004, a dona da Barros & Serra. Também são clientes da empresa Paulo Maluf (PP-SP), hoje preso em Brasília (gastos de R$ 7,2 mil), Danilo Forte (DEM-CE), com despesa de R$ 92,4 mil, Tadeu Alencar (PSB-PE), de R$ 40 mil, e Wadson Ribeiro (PCdoB-MG) R$ 15 mil.

A reportagem telefonou para o gabinete de Luiz Carlos Ramos, mas não obteve retorno.

Benito Gama, Fausto Pinato, Paulo Feijó e Tadeu Alencar afirmaram que os serviços foram realizados. "Comigo, é 100% [de prestação de serviços]. É [sic] dois Corollas", disse Feijó.

A assessoria de Danilo Forte não retornou aos contatos, que não conseguiu localizar representantes de Wadson Ribeiro e Maluf.

A reportagem ligou para Parmênio, mas não conseguiu falar com ele. Na semana passada, ele disse que "toma conta" da Barros & Serra.

Alegou que a empresa aluga uma sala acima do escritório de contabilidade e que não há estrutura física grande porque os carros são alugados por mês e ficam com os clientes. 


Publicidade


Colunistas
por Augusto Cesar Diegoli
por Enéas Athanázio
por João José Leal
por Fernando Baumann
por Marlise Schneider
por Sonia Tetto
por Saint Clair Nickelle
Política

Iniciativa do vereador Achutti desagradou o governo anterior e o atual 


Cidade

Câmara ficou lotada para conhecer a Big Wheel


Cidade


Cidade

Meta é 100% de cobertura de água e esgoto ainda neste ano 


Opinião

Artigo de opinião


Cultura

Dica de passeio cultural de verão


Cidade

O serviço não tem ônus adicional, é programado e deve ser agendado por telefone