Próximo prefeito de Balneário Camboriú terá dificuldade para fechar as contas

Déficit orçamentário já existe em 2020 e deverá se agravar em 2021

A prefeitura de Balneário Camboriú anunciou no último dia 15, em audiência pública de apresentação da Lei Orçamentária Anual (LOA), que projeta despesas maiores do que as receitas para 2021, um “buraco” no caixa estimado em R$ 38 milhões.

“Nesse primeiro momento as despesas demonstram necessidades superiores às estimativas de arrecadação, necessitando de reanálise”, está escrito no texto da LOA.

As dificuldades, em decorrência da redução da atividade econômica, provocada pela pandemia de covid19, mesmo com os vultosos repasses do governo federal para tratar a doença, já estão presentes neste ano e o município precisa arranjar dinheiro “novo” para fechar as contas de 2020.

A ideia, segundo o secretário da Fazenda, Sílvio Ribeiro, é vender a gestão financeira da folha de pagamento do funcionalismo a algum banco, como já foi feito diversas vezes no passado, arrecadando algo entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões.

Mesmo assim, a conta pode não fechar pois a despesas estão previstas em R$ 1.218.097.929,76 e a arrecadação estimada em R$ 1.052.000.000,00, um rombo de mais de R$ 150 milhões se todo o orçamento de 2020 for executado.

Para ler a LOA 2021 na íntegra, acesse este link