Desde o aparecimento da internet os nossos hábitos de consumo vêm passando por inúmeras alterações. A indústria de comércio e entretenimento, por exemplo, vem demonstrando um crescimento significativo, uma vez que as empresas têm em vista a adaptação aos hábitos dos consumidores e o incremento das novas tecnologias.

Com o objetivo de criar comunidades e relações fidelizadas com as suas marcas, várias empresas começaram a ampliar o relacionamento com o seu público. No entanto, quando falamos do ambiente digital, é necessário ter em conta a sua grande dimensão. Como qualquer empresa tem a possibilidade de se estabelecer nesse universo, a consolidação de relações duradouras com o consumidor torna-se quase impossível. Por isso, é preciso prestar serviços diferenciados e apostar em estratégias de relacionamento pessoal.

Foto Bixabay

A demanda dos e-commerces e a retenção de clientes

No Brasil, a demanda por realizar compras online vem aumentando significativamente nos últimos meses. Somente no mês de maio deste ano, o comércio eletrônico no Brasil cresceu cerca de 126% — o equivalente a 23,8 milhões de pedidos. Isso mostra a maior tendência de consumo online do brasileiro de acordo com os dados obtidos pela pesquisa da empresa Compre&Confie. 

No entanto, e apesar de as várias empresas que detêm e-commerces ou marketplaces terem aumentado significativamente o volume de vendas, é importante considerar que nem sempre as mesmas obtêm uma taxa de retenção de clientes considerável. Por consequência da oferta de inúmeras plataformas que vendem os mesmos produtos ou prestam serviços semelhantes, o consumidor tende a não se fidelizar.

Tomando como exemplo uma pesquisa realizada pela Ipsos, que revela que 54% dos brasileiros optam por comprar em empresas que ajudam o meio ambiente, é fácil entender o quão importante é estudar os hábitos e comportamentos dos consumidores de modo a obter uma taxa de retenção superior à média global. Isso significa que as empresas devem apostar em estratégias de marketing que aprimorem o relacionamento e incrementem a experiência de consumo.

Foto Pexels

Mas não são somente as plataformas de comércio online que enfrentam esta dificuldade. No mundo digital, há diversos setores que vêm apostando em diferentes estratégias para minimizar o problema da retenção e fidelização de clientes.

Plataformas de entretenimento buscam por soluções

Além do comércio online, o entretenimento é, também, um dos principais setores que abrange uma população considerável no meio digital. A começar pelas redes sociais e chegando às plataformas de streaming ou jogos, são diversas as opções para quem busca diversão e entretenimento por meio da internet. Nesse sentido, as empresas também buscam encontrar soluções que atendam às necessidades dos seus usuários e impulsionem o crescimento das suas comunidades.

Tendo por base a aposta em novas tecnologias e a diversificação do conteúdo, as plataformas de entretenimento vêm ganhando maior notoriedade. Uma vez que, tal como no comércio, existe uma grande oferta de produtos, várias empresas têm aprimorado os seus serviços. A Globoplay, por exemplo, disponibilizou recentemente mais de 70 títulos nacionais e internacionais de forma a conquistar um maior número de audiência. Já a plataforma de streaming de filmes Netflix registrou um aumento de 15,8 milhões de assinantes apenas no mês de abril. Isso ocorreu devido à forte estratégia de comunicação digital que a empresa vem implementando. Também o setor de iGaming tem ficado cada vez mais popular devido à sua estratégia de diversificação, em especial no que diz respeito à oferta de jogos ao vivo por meio do streaming. Conforme mencionado no portal Casinos.pt, uma das grandes vantagens que plataformas do gênero oferecem é justamente a possibilidade de jogar tradicionais modalidades ao vivo. Outra empresa de streaming que vem diversificando sua oferta de conteúdo é a plataforma de streaming de música Spotify, que lançou recentemente uma radionovela em formato de podcast.

Fotos Pexels

Estes são alguns exemplos de estratégias que as plataformas de entretenimento vêm adotando para ampliar a sua participação no mercado. Está claro que o investimento em tecnologia e comunicação é a base do sucesso destas empresas, mesmo sendo um mercado altamente competitivo. No entanto, assim como no comércio online, existe espaço para todos.

A internet e o estabelecimento de comércio e serviços de entretenimento online trouxeram mudanças nos hábitos de consumo dos cibernautas, desde a forma como acessamos a conteúdo e informações até o modo como realizamos as nossas compras diárias. Nesse sentido, conhecer o perfil e as necessidades dos compradores e usuários é uma ferramenta essencial para antecipar tendências de comportamento e, consequentemente, fidelizá-los.