Mundo chega a 1 milhão de mortes, diz Universidade Johns Hopkins

Brasil registra média diária de 687 mortes

Por Iander Porcella

O mundo atingiu a marca de 1 milhão de mortes causadas pela covid-19, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, nesta segunda-feira, 28. Segundo a instituição americana, são 1 000.555 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Os Estados Unidos lideram o número de óbitos (205.031), seguidos pelo Brasil (142.058), Índia (95.542), México (76.430) e Reino Unido (42.090).

Os dados da Johns Hopkins mostram que, ao todo, já são mais de 33 milhões de casos de covid-19 no mundo. Os EUA, mais uma vez, lideram a contagem (7,14 milhões), seguidos por Índia (6,07 milhões), Brasil (4,74 milhões); Rússia (1,15 milhão) e Colômbia (818 mil).

Brasil registra média diária de 687 mortes

A média diária de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil ficou em 687 nesta segunda-feira, 28. A média móvel registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana.

Nas últimas 24 horas, o País registrou 16.412 novos casos e 385 óbitos, o que elevou o total para 4.748.327 brasileiros infectados e 142.161 mortos pela covid-19 desde o início da pandemia, segundo dados do consórcio dos veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, e feito em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde. O balanço do Ministério da Saúde indica que há 4.084.182 pessoas recuperadas da doença e outras 519.224 que seguem em acompanhamento.

O Estado de São Paulo, que conta com os maiores números absolutos do País, contabilizou mais 905 novos casos e 17 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, o Estado tem 973.142 infecções diagnosticadas e 35.125 óbitos. Conforme boletim da Secretaria Estadual de Saúde, são 839.629 pessoas recuperadas.

Em coletiva de imprensa nesta segunda, o governo de São Paulo anunciou que o Estado voltou a registrar queda de mortes por covid-19. Os números foram comemorados, mas com cautela. “São sim bons indicadores, mas como sempre não podemos baixar a guarda. Precisamos manter os cuidados fundamentais, com uso obrigatório de máscaras e distanciamento social”, afirmou o governador João Doria (PSDB).

O Brasil continua como o terceiro país mais afetado pela pandemia em número de contaminados, de acordo com contagem da Universidade Johns Hopkins. Está atrás de Estados Unidos e Índia, que ocupam a primeira e segunda posição, respectivamente. No entanto, em relação ao total de óbitos, o País se mantém na vice-liderança.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

Conforme o Ministério da Saúde, 13.155 novos casos de infecção pela covid-19 e 317 novos óbitos foram registrados nas últimas 24 horas. No total são 4.745.464 pessoas infectadas e 142.058 que faleceram por conta da doença. Os números diferem dos compilados pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.