Guarda Municipal e PM descartam ação de fiscalização na praia central de Balneário Camboriú

Balneário Camboriú continua na faixa laranja (Risco Grave) para contágio da doença

A praia central de Balneário Camboriú tem atraído muitos frequentadores aos finais de semana, mesmo com o decreto estadual em prevenção ao Covid-19 proibindo a permanência na praia (só está liberada a prática de atividade esportiva até quatro pessoas). A Guarda Municipal e a Polícia Militar não farão nenhuma ação específica de abordagem ao público e estão focando seus esforços no combate ao crime.

O Página 3 publicou matéria sobre o movimento da praia no início da semana, que rendeu muitos comentários.

+ Permanência nas praias segue proibida, mas em Balneário Camboriú público não está respeitando


Há pessoas que defendem a ida à praia, citando que não veem problema, já que bares e restaurantes, por exemplo, estão recebendo o público; enquanto outros acreditam que é uma falta de responsabilidade, considerando que a pandemia continua – e Balneário Camboriú continua na faixa laranja (Risco Grave) para contágio da doença.

Até então, a Guarda Municipal e a Polícia Militar estavam atuando junto das equipes da fiscalização municipal, abordando pessoas e exigindo o uso de máscara, além de coibir aglomerações. Porém, o movimento na praia demonstra que os fiscais perderam o controle da situação, além de haver uma falta de responsabilidade por parte dos moradores e turistas que insistem em permanecerem na praia, até mesmo com cadeiras e guarda-sóis.

O secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Antônio Gabriel Castanheira Júnior, disse ao Página 3 que estava ciente da situação, mas que não estão planejando nenhuma ação específica no local, e que só atenderão ocorrências do tipo caso sejam solicitados.

“Temos uma cidade e ocorrências criminais para atender. Eu entendo que a população deveria ser consciente e responsável, mas não iremos fazer nenhuma operação nesse sentido”, explicou.

O Comandante da PM de Balneário, Tenente-Coronel Daniel Nunes da Silva, também informou que os policiais estão realizando operações visando a prevenção de atividades ilícitas, como crimes contra o patrimônio e contra a vida, como tráfico de drogas, furtos, roubos, possíveis homicídios, etc. Segundo ele, as ocorrências ligadas à pandemia agora são secundárias.

“Quando percebermos alguma infração quanto aos decretos municipais e estaduais, vamos autuar. Mas o nosso foco nesse momento é a segurança pública”, afirmou.