Administração de Balneário Camboriú discute retomada das aulas da rede pública

Decisão é surpreendente e arriscada

O prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, se reuniu com a presidente do Comitê Municipal de Contingência da Covid-19, no âmbito da Educação, Nilzete Teixeira; com a secretária de Saúde, Leila Crocomo; com a secretária de Educação, Rosângela Percegona Borba e o procurador jurídico, Felipe Wolfram, nesta segunda-feira (26), para discutir a retomada das aulas na rede pública.

A decisão é surpreendente e arriscada pois os prefeitos da Amfri haviam decidido que não haveria mais aulas neste ano e a novidade surge num momento em que há sinais, ainda incipientes, de retomada da pandemia.

Até terça-feira dia 3 de novembro, o Comitê Municipal de Contingência da Covid-19, no âmbito da Educação, deverá analisar e homologar os planos apresentados pelas direções das escolas municipais e estaduais.

A expectativa da administração é que as atividades escolares presenciais reiniciem dia 18 de novembro.

Nas escolas particulares, os planos já foram analisados e permitido o retorno imediato das atividades, de forma gradual e escalonada.

A secretária de Educação, Rosângela Percegona Borba, disse que a adesão dos alunos às aulas presenciais será facultativo, pois um dos requisitos para retomada é de que as plataformas online permaneçam ativas.

“Conforme as portarias do Estado, nesse primeiro momento retornam somente os últimos anos da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio”, disse a secretária.

De acordo com a presidente do comitê, Nilzete Teixeira, a retomada só é possível com o atendimento dos critérios estabelecidos pelo governo do Estado.