Jornal Página 3
Política

Prefeitura ainda não divulgou quem o substituirá 


Cidade

Proibição dos fogos barulhentos visa proteção de crianças, idosos e animais. 


Cidade

Vereadores e governo perderam a oportunidade de discutir com a comunidade e melhorar a proposta 


Educação


Cultura

Shows começam às 20h e a entrada é franca


Esportes

Uma nova frente fria passará por SC nesta semana


Esportes

O circuito mostrou que veio para ficar


Esportes

Desempenho não correspondeu e será avaliado em reunião


Política


Publicidade


Publicidade

Resort de Balneário Camboriú terá programação especial para crianças e adultos


publicidade

PF faz megaoperação contra grupo suspeito de roubar cargas em 5 Estados

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma megaoperação deflagrada na manhã desta quinta-feira (10) busca desarticular a atuação de um grupo de empresários e políticos que davam suporte financeiro a roubos de cargas de alto valor em diversas cidades do país.

Cerca de 450 agentes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar de Goiás cumprem 91 mandados, dentre eles, 40 de prisão em cidades dos Estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, e Santa Catarina, além do Distrito Federal. As ações estão centralizadas em Goiás.

A ação desta quinta (10) é um desdobramento da primeira fase da Operação Hicsos que prendeu 104 pessoas em fevereiro e auxilou os investigadores a identificar os financiadores do crime de receptação.

Entre os políticos suspeitos, a PF informou que uma suplente de vereador de uma cidade de Minas Gerais foi presa sob a suspeita de lavar dinheiro para integrantes da organização criminosa. Os policiais identificaram o envolvimento da suplente com o grupo de roubo de cargas após a prisão do marido dela na primeira fase da operação.

Segundo cálculos da PF, o esquema criminoso teria movimentado cerca de R$ 30 milhões. Durante as investigações, os policiais já haviam prendido 30 pessoas e apreendido 15 armas de fogo, 15 veículos e cerca de R$ 500 mil em cargas roubadas.

Os suspeitos, segundo a PF, vão responder na Justiça pelos crimes de roubo qualificado, cárcere privado, lavagem de dinheiro, organização criminosa, tráfico de drogas e receptação.

OPERAÇÃO HICSOS

A primeira fase da operação ocorreu em fevereiro deste ano. Segundo a PF, os criminosos montavam barreiras falsas nas estradas de vários Estados para roubar as cargas.

O grupo avaliava a carga de cada caminhão parado e, quando se deparava com uma de alto valor, anunciava o assalto. Além disso, para facilitar a ação, os criminosos utilizavam equipamentos de alta tecnologia com o intuito de evitar o rastreamento do veículo. 


Quinta, 10/8/2017 9:15.


publicidade






publicidade





Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br