Jornal Página 3
Colunistas
Cidade

Pontos de milho e churros precisam se adequar às normas sanitárias para continuar funcionando  


Política

Houve muita discussão e até pedido de retirada do projeto


Cidade

Ele lança campanha nacional de atrativos do Sul do país 


Cultura


Geral


Cidade

Data será comemorada neste sábado (26), com um jantar no Complexo Cristo Luz.


Agora Balneario

São esperadas quase duas mil pessoas de diversos países


Cidade

Com isso o município passará a gerenciar o uso e a ocupação 


Publicidade

Empresa desponta também no atendimento ao atacado  


Publicidade

Leia a publicação do Convention Bureau 


Geral

Saída será no dia 28


Petrobras volta a reduzir preço da gasolina

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Petrobras anunciou nesta quarta (14) nova redução nos preços da gasolina e do diesel. O ajuste se dá 20 dias após os últimos cortes e já marca o início de mudanças na política de preços da estatal, que passará a fazer ajustes com mais frequência.

Desta vez, o valor de venda da gasolina pelas refinarias será reduzido em 2,3%, e o do diesel, em 5,8%.

Se o repasse for integral, diz a Petrobras, o preço da gasolina nos postos cairá 0,9% (ou R$ 0,03 por litro). No caso do diesel, a queda será de 3,5% (R$ 0,11 por litro).

A companhia ressalta, porém, que os preços são livres e o repasse dependerá da política comercial de distribuidoras e revendedores.

Em nota, a Petrobras diz que os cortes respondem à queda do barril petróleo para a casa dos US$ 46 e à estabilização do dólar em torno de R$ 3,30 após a desvalorização "provocada por incertezas políticas" -a delação da JBS.

No ajuste anterior, em 25 de maio, gasolina e diesel foram cortados em 5,4% e 3,5%, respectivamente. A queda foi questionada pelo mercado, por ter sido feita em um momento de alta do petróleo e desvalorização do real.

Segundo analistas, naquele momento o preço interno da gasolina chegou a se equiparar às cotações internacionais. O produto tem grande impacto nos índices de inflação e, em 2017, vem tendo peso relevante na desaceleração do IPCA.

"Os novos preços continuam com uma margem positiva em relação à paridade internacional", afirmou a Petrobras nesta quarta.

A empresa vinha realizando ajustes mensais, mas já havia anunciado que estudava rever a periodicidade para reagir ao aumento de importações por empresas privadas.

Nesta quarta, informou que a decisão por aumentar a frequência foi tomada pelo comitê interno que avalia os preços dos combustíveis.

Segundo a estatal, o grupo "iniciará a prática de ajustes de preços em períodos mais curtos, sem alterar a regra de formação de preços da atual política, para acomodar as volatilidades observadas no mercado internacional". 


Quinta, 15/6/2017 6:44.




publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br