Jornal Página 3
Coluna
Viagens & Turismo
Por Marcos Vinicios Pagelkopf

Os guias de turismo apresentando Blumenau

Outro dia fui convidado pelos guias de turismo a fazer um reconhecimento e escrever sobre os atrativos culturais e gastronômicos de Blumenau. Fomos nos museus, nas cervejarias e na escola dos Mestres Cervejeiros, a única da América Latina.

Essa visita foi programada pelos profissionais do turismo de Blumenau, Balneário Camboriú, Itajaí e Florianópolis. Conhecemos o lado cultural de Blumenau, pois normalmente apresenta-se ao turista que visita o litoral um roteiro tendo Blumenau como destino de compras e Oktoberfest, mas tem muito mais na cidade Jardim, a Capital Nacional das Cervejas.

Nos foi apresentado um café colonial com mesa farta e produtos diversificados, como cucas, pães, salsichas, empadões, os doces misturam-se aos salgados, isso é um diferencial da cultura gastronômica adquirida pelos descendentes dos imigrantes.

Um café que mais parece um jantar. Seguindo o roteiro conhecemos o museu dos Usos e Costumes situado na casa do primeiro comerciante de Blumenau onde foi também o primeiro banco da cidade. Bem ao lado está o museu da Cerveja e o centro histórico que proporcionam uma volta ao passado, com a beleza e a geografia do rio Itajai Açú serpenteando o centro da cidade que junto com a arquitetura formam no local num cenário das belezas de Blumenau.

Cultura não falta na cidade, conhecemos o museu Da Água que além dos utensílios o local tem uma das mais belas vistas panorâmica do centro. Visitamos a primeira e única escola de Mestre Cervejeiro da América Latina com curso superior. Para conhecer temos que aprender, e foi justamente isso que aconteceu e comprovamos porque Blumenau é a Capital da Cerveja.

Vimos a dedicação para se chegar a perfeição da exata levedura, saber conduzir o processo de fermentação e o grau, são detalhes mínimos que fazem o sabor numa cerveja.

Da escola fomos para as fábricas, conhecer as cervejarias e o processo de como se produz uma cerveja.

A primeira foi a cervejaria Blumenau que detêm o rótulo da cerveja Frida, premiada mundialmente três vezes, deixando um rastro de sucesso entre as melhores do mundo, eu provei, mas quem sou eu para dizer alguma coisa desse sabor único, somente você provando para saber e sentir a leveza e a sensação que ela proporciona.

A cervejaria Blumenau proporciona visita programada com degustação de chopp e cervejas, e tem um restaurante com comida típica deliciosa. Os sabores de Blumenau são realmente exclusivos. Na parte da tarde conhecemos o outro lado de Blumenau o lado realmente cultural, onde os costumes estão vivos e o uso é diário, o museu é em céu aberto, a história está viva nesse pedaço de Blumenau. 

Distante apenas 27 km do centro da cidade está a Vila Itoupava, reduto dos descendentes dos primeiros imigrantes que aportaram em Blumenau.

Fomos recepcionados na rua pelo grupo de dança do club de Caça e Tiro, a cerimônia e o desfile foram exclusivas e também o convite para participar da competição de tiro ao alvo. 

Foi fantástico e marcante, como já comentei é exclusivo no Brasil, um pouco dos costumes europeus para você conhecer, isso não é somente para os guias e profissionais, esses atrativos estão ali bem perto, em Blumenau. Fomos em dois clubes e depois muitos tiros e muitas risadas, nos foi proporcionado um legitimo café rural estilo caseiro, sabores que lembrou da casa da Oma, pão caseiro com chimia de ovo, sardinha, queijinho com melado e cucas recheadas com frutas.

A minha maior alegria em visitar a Vila Itoupava é poder hoje apresentar como atrativo turístico esse destino. Esse lugar faz parte da minha origem, foi justamente a Vila que meus avós escolheram quando partiram da Alemanha para dar continuidade na luta pela vida, as emoções transbordam a quem conhece o sofrimento e a batalha para conseguir sobreviver na época da chegada desses guerreiros que foram os precursores do que é hoje Blumenau.

Fechamos com chave de ouro em duas cervejarias, uma estilo Inglês, com detalhes impressionantes, nela funciona um Pub temático, um show a parte, e a outra funciona um pesque pague um centro de pequenos eventos com restaurantes, vale conhecer, mas essas experiências ficarão para outra matéria que inclui a noite de Blumenau e onde dormir na cidade das festas, das flores e da cerveja.

A dica dos profissionais do turismo é que você venha conhecer Blumenau com outro olhar, uma visão cultural, sentir o sabor da gastronomia e conhecer suas verdadeiras origens. Conforme uma das organizadoras dessa ação Vivian Carla Brand a próxima visita dos Guias de turismo de Santa Catarina será em Balneário Camboriú,
Aguardem.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 19/06/2017 às 14h46 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Pedal na Costa Verde & Mar

Conhecer a região em duas rodas.

Quando se fala em cicloturismo, na hora vem na cabeça bikes com valores que comprariam uma moto, marcas internacionais, os km de rodovias, o temor de acidentes e os grandes percursos que precisam ser feitos com carro de apoio, e assim vai aparecendo dificuldades para se chegar ao objetivo que é um passeio de bicicleta com aventura e segurança.

Buscando alternativas para satisfazer um público que é o verdadeiro ciclo turista, não o ciclista, mas sim pessoas iguais a eu e a você que querem pedalar com segurança mesmo com uma Caloi ou qualquer outra marca ou modelo convencional como a minha.A sugestão veio do meu filho mais velho, ir no Beto Carrero de zica.

 Me surpreendi com a facilidade de se chegar em Penha de bike saindo de Balneário Camboriú, são 28 km pelo mais belo cenário da Costa Verde Mar, uma hora e 40 minutos com paradas para fotos e descansos.

O melhor de tudo que 20 km são de ciclovias totalmente seguras e bem sinalizadas, muitas retas e poucas subidas, na realidade duas, o morro da Rainha e da ponta do Morcego.

E aos mais aventureiros, a praia Vermelha e o mirante estão ao lado do parque, outros atrativos que agregam valor a essa pedalada. Se não optar em conhecer e divertir-se no complexo Beto Carrero, tem a estrada de chão que circula grande parte de Penha saindo praticamente na frente da portaria do Beto, passando pela praia Vermelha e a do Poa, chegando na praia do Cascalho e retornando ao parque. Nesse percurso do passeio tem mais duas subidonas, que empurrei e muito a minha magrela, mas o visual surpreende e vale o esforço
 
 
Chegando a dica é saborear os deliciosos frutos do mar de Penha, e como é comprovado pelas pesquisas cientificas depois de um execício físico é recomendado uma cerveja.
 
O roteiro:
Saímos de Balneário Camboriú na av. Atlântica sentido a Brava pela estrada da Rainha, agora com a passarela ligando a Brava com a ponta norte sai direto em Cabeçudas.
 
De Cabeçudas até Gravatá na divisa de Navegantes com Penha o percurso é totalmente por ciclovias.
Em Itajaí tem o visual do Saco da Fazenda, os barcos, o esporte náutico figura a todo momento, o mercado Público, a raia náutica, o porto, os pescados, marujos e marinheiros, tudo isso em conjunto com as embarcações formam aquele brilho que somente as cidades litorâneas tem.
 
 
A travessia pelo Ferry Boat é outra distração visual, cruzar o rio e visualizar o progresso em andamento é show.
Em Navegantes a ciclovia é interminável, são 15 km de reta que dá oportunidade ao ciclista a apreciar a vegetação da restinga que está sendo muito bem preservada, a praia, os rochedos, os parcéis formam excelentes ondas, tornando o lugar um paraíso para os surfistas, o colorido feito pelas pranchas é permanente tanto na água como também na avenida.
 
Foram muita as paradas para fotos e para descanso, uma hora e quarenta minutos de diversão e desafios.
Mas vimos que é muito fácil, empolgante e saboroso, conhecer o litoral e se divertir em duas rodas, sensação total de liberdade. Nesse roteiro gastronomia, natureza, diversão e muita segurança se unem.
 
Venha pedalar, venha sentir os atrativos procurados pelos milhares de turistas que vem de todo o Brasil e do Mundo para conhecer o que você tem aqui ao lado.
 
 
Essa ação tem apoio da agencia de viagem Casa do Turista.
Mais informações no blog euqueroirnessa.com
 
Venha sentir essas emoções e liberdade.
Venha conhecer a nossa Santa & bela Catarina.

 

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 31/05/2017 às 12h18 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Pré lançamento do Caminho de Santa Paulina

Olá meus amigos e leitores da coluna Viagens & Turismo.

Na última postagem comentei do caminho de Santa Paulina e do desejo de montar esse circuito. Foi um grande desafio que está dando resultados.
 
Depois de 45 dias de muitas ações e experiências junto com meus amigos, Isaque e Marco Badeco, conseguimos apresentar um roteiro onde tem belezas naturais, boas estruturas para acolher, gastronomia e qualidade no atendimento aos peregrinos fugindo sempre das rodovias, respeitando o caminho original da comitiva que percorreu essas trilhas na inauguração da igreja de Camboriú, em meados dos anos de 1899 a 1900.
 
 
Antes de apresentar como participar e o que tem no Caminho, quero deixar meus agradecimentos pelo apoio e presença no dia 05 (dia em que oficializamos o circuito turístico Caminho de Santa Paulina) em particular a irmã Anna Tomelini Diretora do Santuário de Nova Trento, aos secretários dos municípios onde passa o caminho, as empresas de turismo, aos guias da Aguitur, a imprensa que está colaborando para divulgação desses atrativos.
 
 
Meu muito obrigado também aos administradores da Fazenda Caetés, a meu amigo de infância e colaborador ativo para realização do evento de abertura, Patrick Machado, a diretora do turismo de Camboriú juntamente com os produtores rurais que apresentaram um show gastronômico, ao Dedi e sua equipe que nos proporcionou um almoço digno e saboroso na chegada dos primeiros 12Km e também ao novo empresário do turismo o senhor Pedro Paulo Laus, da Pousada modelo em Tijucas.
 
 
Existe atrás dos grandes montes de Camboriú um caminho em que a fé e a determinação levará você a sentir experiências marcantes e únicas.
 
Um caminho coberto pela mata atlântica que leva você de um santuário ecológico ao santuário religioso em Nova Trento. Esse circuito passa por Camboriú, Tijucas, Canelinha, São João Batista finalizando em Nova Trento.
 
Tem o lado cultural forte e vivo na leitura das construções, nas formas e cores, além do dialeto marcante juntamente com o carisma desses descendentes de imigrantes italianos, trentinos e também austríacos.
 
O circuito tem seu traçado por lugares bucólicos cheios de energia, onde a mata atlântica dá seu show com cheiros, sons e tons de verdes. O ambiente rural é apresentado em cada metro, o circuito está sendo programado com paradas estratégicas nos sítios que abrem as portas para atender os visitantes. São propriedades com pomares enormes, pousadas que antigamente eram estufas de fumicultores, restaurantes ao ar livre e o lado da fé que é o apelo principal desse Caminho.
 
 
Descobrimos no traçado do caminho os parentes da Madre Paulina, e ouvimos histórias de como era a vida da Santa na terra.
 
É quase impossível explicar e tentar passar as emoções e as experiências, é melhor você vir conhecer, viver e sentir o que temos de novo em nossa região.
 
Nesse caminho a fé supera os limites, você se encontra e sente os sabores da liberdade, da aventura segura e contagiosa.
 
 
Venha conhecer o Caminho oficial de Santa Paulina.
Venha viver essas emoções.
 
Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 09/05/2017 às 12h01 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Reconhecimento do Caminho de Santa Paulina

Na continuidade dos reconhecimentos dos atrativos turísticos do Caminho de Santa Paulina, encontramos atrações espetaculares na região do Oliveira em Tijucas, atrás dos grandes montes de Camboriú.

Essa região é formada pelos descendentes dos imigrantes italianos vindos da Europa para povoar esse pedaço do Sul do Brasil.

Pense num povo acolhedor e carismático, saímos dali com frutas, legumes e muitos amigos.

Para quem não está acompanhando os serviços, estamos catalogando e fazendo um diagnóstico dos atrativos que tem no circuito turístico entre Balneário Camboriú, Camboriú, Tijucas, Canelinha, São João Batista e Nova Trento via bairro Caetés em Camboriú.

Estamos montando um circuito turístico com roteiros variados para atender os peregrinos, cicloturistas e os adeptos a caminhadas e aventuras.

Em Tijucas, além da gastronomia caseira e italiana encontramos duas estruturas prontas para atender os turistas como pousadas, são estufas totalmente restauradas e com muito capricho remodeladas.

Uma delas com um diferencial, tem uma lagoa onde o proprietário convida a pescar e degustar o peixe ali mesmo da lagoa para mesa.

O que me chamou muito a atenção foram os pomares com suas árvores frutíferas carregadas com laranjas, tangerinas, maracujás e uma enorme quantidade de hortaliças.

No primeiro momento veio um letreiro a minha mente "Colha & Pague". Quando conheci os proprietários da enorme plantação de frutas e legumes, apresentei a ideia mostrando que essa prática de atividade turística já existe e está em alta no Brasil e no Mundo. Uma experiência única, você colher, comer e levar para sua casa frutas e verduras fresquinhas e sem agrotóxicos.

Wilson um os irmão sócios na lavoura falou "se essa moda pega só teremos que plantar, eles irão colher" rindo e concordando com a ideia.

Venha Conhecer os frutos dessa iniciativa turística e deliciar-se no Caminho que Santa Paulina caminhou, conforme relata o meu amigo idealizador desse projeto, historiador e museólogo Isaque Borba Correa.

Nessa investida, andamos mais e 15 km entre o último ponto que foi no final do roteiro Mata Atlântica no restaurante do Dédi em Campo Novo, Tijucas.

Para minha surpresa no caminho que denominamos "Dos Imigrantes" tem água potável na beira da estrada, vários armazéns e bares com estrutura de banheiros, alimentação e muitas frutas.

Tudo isso colabora para concretização do roteiro turístico Caminho de Santa Paulina, que para mim será um dos melhores atrativos turísticos da região da Costa Esmeralda, pois inclui Turismo Religioso, Ecológico, Rural, Gastronômico e Cultural.

Dia 05 é o pré-lançamento e no dia 06 a primeira caminhada.

Venha caminhar junto, venha conhecer o que temos de melhor atrás dos grandes montes de Camboriú.

As agências, as pousadas e os participantes apoiadores nessa ação turística, irei publicar no meu blog pessoal
www.euqueroirnessa.com

Mais informações pelo e-mail caminhodemadrepaulina.com

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 19/04/2017 às 11h08 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Visitar o Vale Europeu é uma maneira espetacular de sentir emoções

Nessa última visita apresentei o roteiro que envolve ecologia, gastronomia e adrenalina para a agência de viagens e turismo receptivos Centrotur de Balneário Camboriú e para alguns convidados.

A região escolhida foi entre Dr. Pedrinho e Rio dos Cedros.

As emoções iniciaram-se em Timbó na Thaphyoca e não foi diferente em Benedito Novo no Salto Donner. Apresentei a gastronomia e atrativos como uma legitima Taberna, uma cachoeira que servia de refúgio aos índios, sua cortina d'água fecha a frente de uma gruta que é acessada por trilhas e que completaram esse maravilhoso passeio...

A extraordinária gastronomia é feita com produtos totalmente orgânicos, que é marcante nos sabores das receitas feitas como magica no fogão a lenha da Oma, o escondidinho de aipim com frango caipira e os pratos servidos como a torta de cebola não tem explicação, só saboreando para saber, é simplesmente marcante.

Outra atração do Recanto da Oma são as trilhas e as cachoeiras que tem na propriedade. Além do divino café colonial e almoço, o recanto abre as portas, somente com reservas, atendendo com hospedagens e jantar.

Você é acolhido numa casa aconchegante com enxovais e utensílios, na cozinha tem uma vista maravilhosa das escarpas das floresta, pois o recanto está na divisa da floresta das Araucárias e no término das vegetações da mata Atlântica.

É um lugar que me surpreende a cada visita. Nessa, quando íamos em direção a cachoeira do Índio encontramos na estradinha coberta de pinheiros um cervo. Em todos as minhas aventuras em Santa Catarina foi a primeira vez que me deparei com um animal de tal formosura, a emoção em vê-lo deixou-me sem ação, como fotografá-lo, ficamos todos perplexos.

Depois desse contato, estávamos em meio a floresta tropical, que guarda um espetáculo a cada instante. O que muitos buscam como opção de lazer no exterior, temos aqui bem pertinho, belezas naturais invejáveis e experiências únicas e inesquecíveis.

A cachoeira do Índio é outra mostra do potencial turístico do Vale Europeu, além dessa maravilha feita por Deus, a propriedade tem uma legítima Taberna, que é hospedaria, restaurante e café colonial, bem ao meio de um lugar inóspito, sem vizinhos, rodeado de muita natureza, uma estrutura pronta para lhe atender e com internete.

Como já comentei em outra postagem apresentando o Vale aos Agenciadores da Bravatur e da Centrotur, que foi a empresa que nos levou nessa experiencia, é logo ali. Saímos de Balneário Camboriú as 8:00 hs da manhã e retornamos as 21h, foram 13 horas de muita diversão, experiências e sabores.

Venha conhecer. Tanto a Centrotur como a Bravatur levam você, seus amigos e familiares a sentir essas emoções.
Venha sentir nossa Santa Catarina.

 

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 07/04/2017 às 15h41 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Caminho de Santa Paulina via Caetés - Camboriú

Nesses últimos dias estou empenhado na realização do roteiro Caminho de Santa Paulina em Camboriú, participei de ações e convites feitos pela prefeitura de Camboriú e Balneário Camboriú. Ver a predisposição desses administradores públicos em querer realizar esse novo atrativo turístico, nos deu a mim e ao Isaque, um certo ânimo.

Fui mais uma vez ver de perto todas as estruturas e as comunidades onde passa o Caminho de Santa Paulina, mas dessa vez foi caminhando.

Convidei um dos diretores da Casa do Turista para acompanhar essa divertida caminhada juntamente com o Isaque de Borba Correia, o idealizador dessa espetacular odisseia, e meu filho como fotógrafo para registrar os melhores e piores momentos do percurso Mata Atlântica, que corresponde de Camboriú no bairro rural dos Caetés até Tijucas no bairro rural Campo Novo, onde a CentroTur agência de viagens e receptivos fez nosso resgate.

Foi aí que saborearmos uma deliciosa costelinha, no restaurante do Dedi. Um restaurante que serve como apoio e também serve uma deliciosa refeição no meio da região rural e mata atlântica, com wifi, bebidas geladas e um cardápio espetacular que ajudou a consagrar o roteiro do Circuito do Caminho de Santa Paulina.

Nossa empreitada iniciou-se na fazenda dos Caetés, as 8h da manhã. Caminhamos até o sitio do Joel, os primeiros 5 quilômetros foram de análise e de observação, pois estou oferecendo um atrativo que requer disposição e força de vontade para caminhar e chegar no destino.

Chegando ao sitio do Joel onde o visual começa a ficar mais pitoresco, tem mais ar de campo com rural e bom astral. Além do ótimo e caloroso atendimento familiar o lugar é base dos praticantes de off road, ora visto que no dia que estávamos lá mais de 80 Amarok iriam confraternizar e divertir-se nas pistas preparadas no sitio.

Quando falei na última postagem referente ao Caminho, eu errei em comentar dizendo que ele é um tesouro que temos que polir, na verdade é um tesouro que temos que mostrar e apresentar ao turismo, pois já está público e pronto para atender todos o tipo de clientes, de caminhantes ao cicloturismo, do religioso ao simples amante da natureza e suas belezas.

Continuando o relato sobre a nossa caminhada rumo a Nova Trento, saindo do sitio seguimos já em terras tijucanas, onde a mata é mais fechada e o esplendor da natureza se apresenta em todos os lados.

São córregos e pequenas cachoeiras nos dois lados da pequena estradinha e volta e meia encontrávamos um ou mais quadriciclos, 4x4 e alguns cicloturistas, isso porque nos fins de semana os amantes da natureza encontram-se nas vias rurais da nossa região. Eu aconselho a quem quer fazer o caminho que faça durante a semana, pois é praticamente sem ninguém nos 12 km entre Camboriú e Tijucas.

E a Centrotur e a Casa do Turista irão comercializar esse roteiro.

A outra etapa entre Tijucas e Nova Trento ficará para próxima postagem, outro lugar que guarda uma riqueza cultural, ecológica e gastronômica.

Estamos preparando um pré lançamento para que então as demais agências de viagens iniciem as vendas e os serviços de retorno.

Venha conhecer Santa Catarina.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 28/03/2017 às 17h36 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade





1 2 3 4 5 6

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br