Jornal Página 3
Coluna
Viagens & Turismo
Por Marcos Vinicios Pagelkopf

2ª AGTESC

Essas duas últimas semanas foram agitadas, fomos a Governador Celso Ramos fazer as trilhas liberadas pelo Ministério Público, fomos ao Vale Europeu conhecer a Cruz de Pedra, o Morro Azul, a Serra da Leoa, o Caminho dos Anjos e também participei de mais uma ação dos Guias de Turismo da nossa regão na Capital do Turismo Catarinense 2° AGTESC.

Nessa postagem irei relatar o Day Use em Balneário Camboriú no 2° AGTESC. O convite foi para fazer a cobertura da visita em Balneário Camboriú.

A ação reuniu os guias de turismo de Balneário Camboriú, Itajaí, Blumenau, Jaraguá do Sul, Joinville e Florianópolis.

As boas vindas foram no hotel Marambaia, onde tivemos após o café da manhã uma palestra sobre a história de Balneário Camboriú e região feita pelo meu amigo museólogo, historiador, escritor e pescador Isaque De Borba Correa, foi literalmente um banho de cultura e aprendizado.

Os representantes da Secretaria de Turismo explicaram como funcionam a entrada dos ônibus e as taxas de circulação, e proporcionaram ao grupo uma vista inédita nas obras do Centro de Eventos que irá mudar o quadro do turismo, não somente em Balneário Camboriú, mas em toda região.

Após a visita recepcionada por um representante do governo estadual, fomos fazer um reconhecimento cultural no bairro da Barra onde saboreamos cuscus e biju remetendo a uma experiência sensorial, gastronômica e cultural.

Após conhecer os equipamentos turísticos da Barra Sul fomos a Laranjeiras com o bonde aéreo, e como sempre nosso anfitrião em Laranjeiras foi Fabio M. Pellegrine que abriu as portas do Restaurante Quarta Estação, servindo uma sequência de pratos como paella, peixes fritos, camarões e bolinhos de Lagosta, apresentando assim os sabores de Balneário Camboriú.

No retorno foi feito uma explanação sobre o parque Unipraias e suas atrações em forma de city tour e apresentamos aos guias a Av. Atlântica, Centro da cidade, Pontal Norte e a Estrada da Rainha. Para finalizar fomos recepcionados pelo secretário de Turismo de Balneário Camboriú no Complexo Cristo Luz com jantar de enceramento dessa ação programada pelos guias de Turismo.

Essas ações são formas de integração e reciclagem referente aos dados informativos do que temos de atrativos turísticos em Santa Catarina, pois são os guias de Turismo os responsáveis pelas boas vindas a você meu amigo turista quando vier visitar Santa Catarina.

As trilhas de Governador Celso Ramos e a visita ao centro da terra na Cruz de Pedra e com os pés nas nuvens na Serra da Leoa no Vale Europeu irei publicar posteriormente.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 14/08/2017 às 13h38 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Sugestão de passeio

Tem uma região em Santa Catarina que você pode conhecer ilhas fluviais, praticar rafting, canoagem, tirolesas, rapel, percorrer trilhas ecológicas, visualizar canyons e cachoeiras, ter contato e visitar aldeias indígenas, cavernas e cidadezinhas com caraterística marcantes dos imigrantes europeus.

As construções, os costumes e dialetos juntamente com as mesas fartas proporcionam muitas experiencias, sabores e lazer.

Essa região foi desmembrada turisticamente do Vale Europeu, formando o Circuito do Caminhos do Alto Vale, são 28 cidades com inúmeras atrações esperando sua visita.

As cachoeiras e ranchos escondidos em Presidente Getúlio, o passeio de Maria fumaça em Apiúna e o moinho do seu Manfred em Ibirama são exemplos de museus sensoriais genuínos.
Cultura, adrenalina, gastronomia é o que tem para você curtir no Alto Vale do Itajaí.

Se formos catalogar todas atrações das pequenas cidades como em Witmarsum, no sitio Recanto da Natureza que acolhe com muito carinho, precisaria mais de 30 dias de pesquisas e visitas.

E vindo conhecer os Caminhos do Alto Vale a dica é almoçar no Recanto das Bromélias, o restaurante está localizado em uma das ilhas fluviais do rio Hercílio em Ibirama.

Venha descobrir você mesmo Santa Catarina.
Venha conhecer os Caminhos do Alto Vale.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 26/07/2017 às 11h44 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Caminhada em Floripa

Na quinta-feira dia 29 fui fazer uma caminhada na costa da ilha de Santa Catarina.

Na verdade foi um grande encontro de peregrinos, amantes das caminhadas e da natureza. Estava previsto 150 participantes, mas o evento teve uma dimensão que surpreendeu os organizadores, foram quase 600 pessoas, cada um com suas ideologias e crenças. Eu estava lá para trocar experiências, conhecer um novo atrativo e um novo roteiro turístico dentro de Florianópolis.

Foi também uma oportunidade para entender um pouco mais sobre a Caminhada de Compostela, pois os objetivo dos organizadores é tornar esse percurso de 21km num start para Compostela na Espanha, sendo que a caminhada de Compostela inicia quando e onde você decidir caminhar.

Fizemos o trajeto entre Canasvieiras e Ingleses no norte da Ilha de Santa Catarina, levei junto doze amigos, passamos por praias, trilhas ecológicas, lagoas, dunas, restingas, costões, servidões e ruas.

Na trilha do Rapa a grandeza está na contemplação do arquipélago que rodeia Floripa, sendo a Ilha do Arvoredo a mais majestosa de todas, a maior das ilhas, a grande montanha no mar do norte de Florianópolis, um espetáculo de visual.

As belezas são infinitas, o Mirante da Brava, a Trilha da Feiticeira, as Dunas dos Ingleses, um lugar mais belo do que o outro. A Ilha é mágica, não é a toa que o apelido de Floripa é Ilha da Magia.

A caminhada de 21 km era a proposta, mas como Floripa tem muitos atrativos não poderíamos deixar de conhecer o lado cultural, arquitetônico, ecológico e histórico. E para completar fomos visitar a ilha de Anhatomirim onde está localizada a Fortaleza de Santa Cruz que foi a principal fortificação do antigo sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina, projetada e construída pelo brigadeiro português José da Silva Paes a partir de 1739. A gastronomia não podia ser outra, ostras, peixes fritos e assados.

Meu amigo Julio da Scuna Maresia fez a gentileza de vir nos buscar em Biguaçu na praia de San Miguel, pois de segunda a sexta feira não tem saídas de embarcações em Florianópolis, a não ser se agendar com antecedência para no mínimo 20 passageiros. A ilha oferece uma infraestrutura que atende até 250 mil turistas no ano.

As opções de embarque são na praia de Canasvieiras, na Baia Norte, embaixo da ponte Hercílio Luz e também na Baia dos Golfinhos em Celso Ramos.

Para fazer esse roteiro completo é preciso reservar no minimo dois dias na ilha de Florianópolis ou na região, eu optei em dormir na praia do Campeche, um lugar fantástico, a ilha é cheia de opções de hospedagens, a Natur Campeche é uma delas mas tem para todos os gostos e bolsos.

Outra sugestão para quem quer viver experiências é conhecer a ilha do Campeche, mas isso ficará para próxima postagem.

Venha Caminhar em Floripa, venha navegar nas histórias da ilha das feiticeiras, da magia, das bruxas, das rendeiras, das moças faceiras e dos manezinhos.

Venha conhecer a ilha de Santa Catarina.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 04/07/2017 às 17h38 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Os guias de turismo apresentando Blumenau

Outro dia fui convidado pelos guias de turismo a fazer um reconhecimento e escrever sobre os atrativos culturais e gastronômicos de Blumenau. Fomos nos museus, nas cervejarias e na escola dos Mestres Cervejeiros, a única da América Latina.

Essa visita foi programada pelos profissionais do turismo de Blumenau, Balneário Camboriú, Itajaí e Florianópolis. Conhecemos o lado cultural de Blumenau, pois normalmente apresenta-se ao turista que visita o litoral um roteiro tendo Blumenau como destino de compras e Oktoberfest, mas tem muito mais na cidade Jardim, a Capital Nacional das Cervejas.

Nos foi apresentado um café colonial com mesa farta e produtos diversificados, como cucas, pães, salsichas, empadões, os doces misturam-se aos salgados, isso é um diferencial da cultura gastronômica adquirida pelos descendentes dos imigrantes.

Um café que mais parece um jantar. Seguindo o roteiro conhecemos o museu dos Usos e Costumes situado na casa do primeiro comerciante de Blumenau onde foi também o primeiro banco da cidade. Bem ao lado está o museu da Cerveja e o centro histórico que proporcionam uma volta ao passado, com a beleza e a geografia do rio Itajai Açú serpenteando o centro da cidade que junto com a arquitetura formam no local num cenário das belezas de Blumenau.

Cultura não falta na cidade, conhecemos o museu Da Água que além dos utensílios o local tem uma das mais belas vistas panorâmica do centro. Visitamos a primeira e única escola de Mestre Cervejeiro da América Latina com curso superior. Para conhecer temos que aprender, e foi justamente isso que aconteceu e comprovamos porque Blumenau é a Capital da Cerveja.

Vimos a dedicação para se chegar a perfeição da exata levedura, saber conduzir o processo de fermentação e o grau, são detalhes mínimos que fazem o sabor numa cerveja.

Da escola fomos para as fábricas, conhecer as cervejarias e o processo de como se produz uma cerveja.

A primeira foi a cervejaria Blumenau que detêm o rótulo da cerveja Frida, premiada mundialmente três vezes, deixando um rastro de sucesso entre as melhores do mundo, eu provei, mas quem sou eu para dizer alguma coisa desse sabor único, somente você provando para saber e sentir a leveza e a sensação que ela proporciona.

A cervejaria Blumenau proporciona visita programada com degustação de chopp e cervejas, e tem um restaurante com comida típica deliciosa. Os sabores de Blumenau são realmente exclusivos. Na parte da tarde conhecemos o outro lado de Blumenau o lado realmente cultural, onde os costumes estão vivos e o uso é diário, o museu é em céu aberto, a história está viva nesse pedaço de Blumenau. 

Distante apenas 27 km do centro da cidade está a Vila Itoupava, reduto dos descendentes dos primeiros imigrantes que aportaram em Blumenau.

Fomos recepcionados na rua pelo grupo de dança do club de Caça e Tiro, a cerimônia e o desfile foram exclusivas e também o convite para participar da competição de tiro ao alvo. 

Foi fantástico e marcante, como já comentei é exclusivo no Brasil, um pouco dos costumes europeus para você conhecer, isso não é somente para os guias e profissionais, esses atrativos estão ali bem perto, em Blumenau. Fomos em dois clubes e depois muitos tiros e muitas risadas, nos foi proporcionado um legitimo café rural estilo caseiro, sabores que lembrou da casa da Oma, pão caseiro com chimia de ovo, sardinha, queijinho com melado e cucas recheadas com frutas.

A minha maior alegria em visitar a Vila Itoupava é poder hoje apresentar como atrativo turístico esse destino. Esse lugar faz parte da minha origem, foi justamente a Vila que meus avós escolheram quando partiram da Alemanha para dar continuidade na luta pela vida, as emoções transbordam a quem conhece o sofrimento e a batalha para conseguir sobreviver na época da chegada desses guerreiros que foram os precursores do que é hoje Blumenau.

Fechamos com chave de ouro em duas cervejarias, uma estilo Inglês, com detalhes impressionantes, nela funciona um Pub temático, um show a parte, e a outra funciona um pesque pague um centro de pequenos eventos com restaurantes, vale conhecer, mas essas experiências ficarão para outra matéria que inclui a noite de Blumenau e onde dormir na cidade das festas, das flores e da cerveja.

A dica dos profissionais do turismo é que você venha conhecer Blumenau com outro olhar, uma visão cultural, sentir o sabor da gastronomia e conhecer suas verdadeiras origens. Conforme uma das organizadoras dessa ação Vivian Carla Brand a próxima visita dos Guias de turismo de Santa Catarina será em Balneário Camboriú,
Aguardem.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 19/06/2017 às 14h46 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Pedal na Costa Verde & Mar

Conhecer a região em duas rodas.

Quando se fala em cicloturismo, na hora vem na cabeça bikes com valores que comprariam uma moto, marcas internacionais, os km de rodovias, o temor de acidentes e os grandes percursos que precisam ser feitos com carro de apoio, e assim vai aparecendo dificuldades para se chegar ao objetivo que é um passeio de bicicleta com aventura e segurança.

Buscando alternativas para satisfazer um público que é o verdadeiro ciclo turista, não o ciclista, mas sim pessoas iguais a eu e a você que querem pedalar com segurança mesmo com uma Caloi ou qualquer outra marca ou modelo convencional como a minha.A sugestão veio do meu filho mais velho, ir no Beto Carrero de zica.

 Me surpreendi com a facilidade de se chegar em Penha de bike saindo de Balneário Camboriú, são 28 km pelo mais belo cenário da Costa Verde Mar, uma hora e 40 minutos com paradas para fotos e descansos.

O melhor de tudo que 20 km são de ciclovias totalmente seguras e bem sinalizadas, muitas retas e poucas subidas, na realidade duas, o morro da Rainha e da ponta do Morcego.

E aos mais aventureiros, a praia Vermelha e o mirante estão ao lado do parque, outros atrativos que agregam valor a essa pedalada. Se não optar em conhecer e divertir-se no complexo Beto Carrero, tem a estrada de chão que circula grande parte de Penha saindo praticamente na frente da portaria do Beto, passando pela praia Vermelha e a do Poa, chegando na praia do Cascalho e retornando ao parque. Nesse percurso do passeio tem mais duas subidonas, que empurrei e muito a minha magrela, mas o visual surpreende e vale o esforço
 
 
Chegando a dica é saborear os deliciosos frutos do mar de Penha, e como é comprovado pelas pesquisas cientificas depois de um execício físico é recomendado uma cerveja.
 
O roteiro:
Saímos de Balneário Camboriú na av. Atlântica sentido a Brava pela estrada da Rainha, agora com a passarela ligando a Brava com a ponta norte sai direto em Cabeçudas.
 
De Cabeçudas até Gravatá na divisa de Navegantes com Penha o percurso é totalmente por ciclovias.
Em Itajaí tem o visual do Saco da Fazenda, os barcos, o esporte náutico figura a todo momento, o mercado Público, a raia náutica, o porto, os pescados, marujos e marinheiros, tudo isso em conjunto com as embarcações formam aquele brilho que somente as cidades litorâneas tem.
 
 
A travessia pelo Ferry Boat é outra distração visual, cruzar o rio e visualizar o progresso em andamento é show.
Em Navegantes a ciclovia é interminável, são 15 km de reta que dá oportunidade ao ciclista a apreciar a vegetação da restinga que está sendo muito bem preservada, a praia, os rochedos, os parcéis formam excelentes ondas, tornando o lugar um paraíso para os surfistas, o colorido feito pelas pranchas é permanente tanto na água como também na avenida.
 
Foram muita as paradas para fotos e para descanso, uma hora e quarenta minutos de diversão e desafios.
Mas vimos que é muito fácil, empolgante e saboroso, conhecer o litoral e se divertir em duas rodas, sensação total de liberdade. Nesse roteiro gastronomia, natureza, diversão e muita segurança se unem.
 
Venha pedalar, venha sentir os atrativos procurados pelos milhares de turistas que vem de todo o Brasil e do Mundo para conhecer o que você tem aqui ao lado.
 
 
Essa ação tem apoio da agencia de viagem Casa do Turista.
Mais informações no blog euqueroirnessa.com
 
Venha sentir essas emoções e liberdade.
Venha conhecer a nossa Santa & bela Catarina.

 

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 31/05/2017 às 12h18 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Pré lançamento do Caminho de Santa Paulina

Olá meus amigos e leitores da coluna Viagens & Turismo.

Na última postagem comentei do caminho de Santa Paulina e do desejo de montar esse circuito. Foi um grande desafio que está dando resultados.
 
Depois de 45 dias de muitas ações e experiências junto com meus amigos, Isaque e Marco Badeco, conseguimos apresentar um roteiro onde tem belezas naturais, boas estruturas para acolher, gastronomia e qualidade no atendimento aos peregrinos fugindo sempre das rodovias, respeitando o caminho original da comitiva que percorreu essas trilhas na inauguração da igreja de Camboriú, em meados dos anos de 1899 a 1900.
 
 
Antes de apresentar como participar e o que tem no Caminho, quero deixar meus agradecimentos pelo apoio e presença no dia 05 (dia em que oficializamos o circuito turístico Caminho de Santa Paulina) em particular a irmã Anna Tomelini Diretora do Santuário de Nova Trento, aos secretários dos municípios onde passa o caminho, as empresas de turismo, aos guias da Aguitur, a imprensa que está colaborando para divulgação desses atrativos.
 
 
Meu muito obrigado também aos administradores da Fazenda Caetés, a meu amigo de infância e colaborador ativo para realização do evento de abertura, Patrick Machado, a diretora do turismo de Camboriú juntamente com os produtores rurais que apresentaram um show gastronômico, ao Dedi e sua equipe que nos proporcionou um almoço digno e saboroso na chegada dos primeiros 12Km e também ao novo empresário do turismo o senhor Pedro Paulo Laus, da Pousada modelo em Tijucas.
 
 
Existe atrás dos grandes montes de Camboriú um caminho em que a fé e a determinação levará você a sentir experiências marcantes e únicas.
 
Um caminho coberto pela mata atlântica que leva você de um santuário ecológico ao santuário religioso em Nova Trento. Esse circuito passa por Camboriú, Tijucas, Canelinha, São João Batista finalizando em Nova Trento.
 
Tem o lado cultural forte e vivo na leitura das construções, nas formas e cores, além do dialeto marcante juntamente com o carisma desses descendentes de imigrantes italianos, trentinos e também austríacos.
 
O circuito tem seu traçado por lugares bucólicos cheios de energia, onde a mata atlântica dá seu show com cheiros, sons e tons de verdes. O ambiente rural é apresentado em cada metro, o circuito está sendo programado com paradas estratégicas nos sítios que abrem as portas para atender os visitantes. São propriedades com pomares enormes, pousadas que antigamente eram estufas de fumicultores, restaurantes ao ar livre e o lado da fé que é o apelo principal desse Caminho.
 
 
Descobrimos no traçado do caminho os parentes da Madre Paulina, e ouvimos histórias de como era a vida da Santa na terra.
 
É quase impossível explicar e tentar passar as emoções e as experiências, é melhor você vir conhecer, viver e sentir o que temos de novo em nossa região.
 
Nesse caminho a fé supera os limites, você se encontra e sente os sabores da liberdade, da aventura segura e contagiosa.
 
 
Venha conhecer o Caminho oficial de Santa Paulina.
Venha viver essas emoções.
 
Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 09/05/2017 às 12h01 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade





1 2 3 4 5 6

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br