Jornal Página 3
Coluna
Viagens & Turismo
Por Marcos Vinicios Pagelkopf

Conhecendo Governador Celso Ramos

Outro dia fui fazer o reconhecimento das trilhas ecológicas que dão acesso às praias praticamente desertas na cidade de Governador Celso Ramos na Grande Florianópolis.

Conhecida pelas maravilhas naturais e pelo bom peixe, a cidade da baía dos golfinhos, da Fortaleza de Anhatomirim, da reserva Ambiental do Arvoredo, Governador Celso Ramos tem dezenas de praias, as mais conhecidas são Palmas, Armação da Piedade e a Baía dos Golfinhos.

No lado sul da península está localizada Ganchos, uma região ainda intocada pelo progresso. O cenário é de uma vila de pescadores muito pacata. O verde da mata e do azul do céu, juntamente com o verde infinito do mar, formam nesse lugar um clima suave que não dá vontade de sair, esse é um dos lugares onde o tempo não passa.

A Villa Dos Ganchos é o lugar escolhido para receber as estrelas, tem a mais glamourosa das acolhidas de Santa Catarina, o Resort Ponta dos Ganchos, um lugar único e exclusivo, que acolhe e recepciona os astros de cinema e cantores de renomes nacionais e internacionais que escolhem Santa Catarina como seu refúgio particular.

Para fazer essa visita fomos de carona (eu e meu filho) que conseguimos através de um aplicativo online, o BlaBlaCar, ele programou o horário e os detalhes da carona de Balneário Camboriú até Governador Celso Ramos, uma experiência bem marcante.

Chegando lá fomos na prefeitura e fui recepcionado pelo procurador jurídico do município que relatou que naquele dia estavam sendo feitas as últimas negociações das liberações aos acessos pelas trilhas para as praias, que até então eram privadas.

Fomos até Ganchos onde estão as trilhas da praia de Fora e da Ponta dos Ganchos, chegando lá conheci o Edu, uma figura espetacular, nascido na vila que conhece cada canto e recanto da península, do costão ao fundo do mar de Celso Ramos "todinho".

Além de conhecedor, ele administra o restaurante que leva seu nome e serve um delicioso buffet com vários pratos e petiscos feitos de frutos do mar fresquinhos, peixe, camarão, bolinho de lagosta, bolinho de siri, iscas de peixe, lulas de várias formas e sabores, chega a dar água na boca só de lembrar desse cardápio, você precisa vir sentir esses sabores.

Ele relata com muito orgulho que o que dá sabor a toda comida e tudo que é servido lá foi pescado por ele, por algum companheiro, vizinho ou parente, que vivem diariamente dessa árdua tarefa que é a pesca.

Voltando ao restaurante do Edu, a vista é uma das melhores. Você delícia das iguarias dos frutos do mar em um lugar simples mas muito aconchegante e acolhedor, e para completar a digestão a vista é para uma calma enseada onde as cores dos barcos no verde do mar formam um clima de muita paz.

O Edu também indica quem transporta você para conhecer as ilhas e os encantos da Costa de Celso Ramos.

As trilhas são muito fáceis de percorrer, são mirantes e várias praias pequenas e muito charmosas.

A receptividade dos pescadores e dos moradores da vila foi impressionante, ensinando como encontrar as entradas das trilhas e até que ponto poderíamos chegar com segurança, onde está a mais bela vista.

Um dia foi é pouco mas com certeza é inesquecível.

Venha conhecer e procure o Edu, você vai amar o lugar, as praias as trilhas, venha conhecer o outro lado de Celso Ramos.

Mais informações e sugestões no blog euqueroirnessa.com

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 06/09/2017 às 15h13 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Serra da Leoa no Vale Europeu

Fomos conhecer a Serra da Leoa, a Cruz de Pedra em Ascurra, o Morro Azul em Timbó, as construções enxaimel em Benedito Novo e o caminhos dos Anjos em Rodeio, onde tivemos o privilégio de visitar uma vinícola em pleno funcionamento, a San Michele.

Foram várias as coincidências nessa visita ao Vale Europeu. Quando início a busca por um novo destino, faço uma pesquisa antes, e no caso da Cruz de Pedra no Vale Europeu o acaso me proporcionou várias surpresas, uma delas foi a Andréia, proprietária da fazenda onde localiza-se a fissura na rocha em forma de cruz, ser irmã de um amigo meu de infância em época dos primeiros anos de escola em Timbó.

Esse roteiro inicia-se na cidade de Timbó, a entrada é pelo acesso da Mulde Alta, uma localidade rural com aspecto característicos dos primeiros imigrantes. Estando na BR 470 próximo a Indaial, observe quando estiver passando pela empresa de lâmpadas Taschibra, tem uma ponte a 100 metros, você deve entrar na primeira via à direita.

Nos primeiros quilômetros visualiza-se as primeiras propriedades com as características do velho mundo. As casas com jardins bem arrumados e ordenados formam um conjunto com a paisagem cortada por riachos, pequenos vales e morros com tons de cor verde exuberante.

Entrando no bairro Mulde Alto há placas indicando o caminho ao Morro Azul, o visual obriga a reduzir a velocidade pois a beleza desse lugar força você registrar cada momento. Como diria meu amigo Ramon Galliani "cada curva é um Flash".

O parque onde está o Morro Azul é público, tem uma infraestrutura completa, churrasqueiras, banheiros, um mirante e trilhas ecológicas que proporcionam a você um contato com a mata Atlântica, eu tive o privilegio de fotografar um esquilo, você poderá ver também.

Tenho o orgulho de dizer que foi na cidade de Timbó o incio da minha jornada no turismo, um dos primeiros hotéis dessa cidade foi administrado pelos meus pais na década de 70.

Uma parada obrigatória é na TaphyoKa. Fomos também conhecer o Timbó Park Hotel, onde mais uma vez lembrei de minha infância entregando jornal diariamente naquele mesmo endereço que hoje é o charmoso hotel. A linda casa e seus jardins hoje abrigam os visitantes do Vale Europeu, pura nostalgia. O lugar é exclusivo e muito aconchegante, a receptividade ficou por conta do Rogério Barboza, que me relatou como que ele conheceu o Vale Europeu, e para minha surpresa foi através das minhas publicações, outra coincidência dessa visita.

Saímos de Timbó após um delicioso café na confeitaria das Capitais, fomos a Benedito Novo, a cidade sem sinaleiras. Em Benedito Novo concentra-se um grande número de casas Enxaimel, e é onde está a unica igreja com esse estilo de construção fora da Alemanha.

Outra atração é a tirolesa e logo em seguida o caminhos dos Anjos, um pequeno paraíso construído pelo sonhador e visionário senhor Paulo Notari. Essa parada é também obrigatória nesse roteiro, uns minutos de aprendizado, esse contato dá para se ter um exemplo de como ter foco nas realizações e aos mais sábios uma oportunidade de usufruir das história de vida desse ser iluminado que é o senhor Paulo.

Saindo do Caminhos dos Anjos três quilômetros à direita outro paraíso, mais esse é para os amantes de um bom vinho, a Vinícola San Michele proporciona uma degustação dos melhores vinhos de Santa Catarina, venha sentir esses sabores.

Nos hospedamos na Pousada Nona Rosina, jantamos no restaurante Thapyoka e após o café subimos a tão falada Serra da Leoa, o mirante é um dos mais lindos do Vale, a trilha é de difícil acesso e indicada aos adeptos a caminhada e aventura, vale conhecer.

Não se aventure a fazer a trilha com os chamados "mateiros", pois a Cruz de Pedra está localizada em uma propriedade particular, que pertence a Família Possamai. Para você saber a diferença entre o caminho oficial e o dos clandestinos é só perguntar a distância quando lhe for oferecido esse passeio. O oficial tem 4 km e o clandestino tem 8km.

Mas informações para conhecer e fazer esse roteiro leia no blog euqueroirnessa.com

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 28/08/2017 às 13h56 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

2ª AGTESC

Essas duas últimas semanas foram agitadas, fomos a Governador Celso Ramos fazer as trilhas liberadas pelo Ministério Público, fomos ao Vale Europeu conhecer a Cruz de Pedra, o Morro Azul, a Serra da Leoa, o Caminho dos Anjos e também participei de mais uma ação dos Guias de Turismo da nossa regão na Capital do Turismo Catarinense 2° AGTESC.

Nessa postagem irei relatar o Day Use em Balneário Camboriú no 2° AGTESC. O convite foi para fazer a cobertura da visita em Balneário Camboriú.

A ação reuniu os guias de turismo de Balneário Camboriú, Itajaí, Blumenau, Jaraguá do Sul, Joinville e Florianópolis.

As boas vindas foram no hotel Marambaia, onde tivemos após o café da manhã uma palestra sobre a história de Balneário Camboriú e região feita pelo meu amigo museólogo, historiador, escritor e pescador Isaque De Borba Correa, foi literalmente um banho de cultura e aprendizado.

Os representantes da Secretaria de Turismo explicaram como funcionam a entrada dos ônibus e as taxas de circulação, e proporcionaram ao grupo uma vista inédita nas obras do Centro de Eventos que irá mudar o quadro do turismo, não somente em Balneário Camboriú, mas em toda região.

Após a visita recepcionada por um representante do governo estadual, fomos fazer um reconhecimento cultural no bairro da Barra onde saboreamos cuscus e biju remetendo a uma experiência sensorial, gastronômica e cultural.

Após conhecer os equipamentos turísticos da Barra Sul fomos a Laranjeiras com o bonde aéreo, e como sempre nosso anfitrião em Laranjeiras foi Fabio M. Pellegrine que abriu as portas do Restaurante Quarta Estação, servindo uma sequência de pratos como paella, peixes fritos, camarões e bolinhos de Lagosta, apresentando assim os sabores de Balneário Camboriú.

No retorno foi feito uma explanação sobre o parque Unipraias e suas atrações em forma de city tour e apresentamos aos guias a Av. Atlântica, Centro da cidade, Pontal Norte e a Estrada da Rainha. Para finalizar fomos recepcionados pelo secretário de Turismo de Balneário Camboriú no Complexo Cristo Luz com jantar de enceramento dessa ação programada pelos guias de Turismo.

Essas ações são formas de integração e reciclagem referente aos dados informativos do que temos de atrativos turísticos em Santa Catarina, pois são os guias de Turismo os responsáveis pelas boas vindas a você meu amigo turista quando vier visitar Santa Catarina.

As trilhas de Governador Celso Ramos e a visita ao centro da terra na Cruz de Pedra e com os pés nas nuvens na Serra da Leoa no Vale Europeu irei publicar posteriormente.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 14/08/2017 às 13h38 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Sugestão de passeio

Tem uma região em Santa Catarina que você pode conhecer ilhas fluviais, praticar rafting, canoagem, tirolesas, rapel, percorrer trilhas ecológicas, visualizar canyons e cachoeiras, ter contato e visitar aldeias indígenas, cavernas e cidadezinhas com caraterística marcantes dos imigrantes europeus.

As construções, os costumes e dialetos juntamente com as mesas fartas proporcionam muitas experiencias, sabores e lazer.

Essa região foi desmembrada turisticamente do Vale Europeu, formando o Circuito do Caminhos do Alto Vale, são 28 cidades com inúmeras atrações esperando sua visita.

As cachoeiras e ranchos escondidos em Presidente Getúlio, o passeio de Maria fumaça em Apiúna e o moinho do seu Manfred em Ibirama são exemplos de museus sensoriais genuínos.
Cultura, adrenalina, gastronomia é o que tem para você curtir no Alto Vale do Itajaí.

Se formos catalogar todas atrações das pequenas cidades como em Witmarsum, no sitio Recanto da Natureza que acolhe com muito carinho, precisaria mais de 30 dias de pesquisas e visitas.

E vindo conhecer os Caminhos do Alto Vale a dica é almoçar no Recanto das Bromélias, o restaurante está localizado em uma das ilhas fluviais do rio Hercílio em Ibirama.

Venha descobrir você mesmo Santa Catarina.
Venha conhecer os Caminhos do Alto Vale.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 26/07/2017 às 11h44 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Caminhada em Floripa

Na quinta-feira dia 29 fui fazer uma caminhada na costa da ilha de Santa Catarina.

Na verdade foi um grande encontro de peregrinos, amantes das caminhadas e da natureza. Estava previsto 150 participantes, mas o evento teve uma dimensão que surpreendeu os organizadores, foram quase 600 pessoas, cada um com suas ideologias e crenças. Eu estava lá para trocar experiências, conhecer um novo atrativo e um novo roteiro turístico dentro de Florianópolis.

Foi também uma oportunidade para entender um pouco mais sobre a Caminhada de Compostela, pois os objetivo dos organizadores é tornar esse percurso de 21km num start para Compostela na Espanha, sendo que a caminhada de Compostela inicia quando e onde você decidir caminhar.

Fizemos o trajeto entre Canasvieiras e Ingleses no norte da Ilha de Santa Catarina, levei junto doze amigos, passamos por praias, trilhas ecológicas, lagoas, dunas, restingas, costões, servidões e ruas.

Na trilha do Rapa a grandeza está na contemplação do arquipélago que rodeia Floripa, sendo a Ilha do Arvoredo a mais majestosa de todas, a maior das ilhas, a grande montanha no mar do norte de Florianópolis, um espetáculo de visual.

As belezas são infinitas, o Mirante da Brava, a Trilha da Feiticeira, as Dunas dos Ingleses, um lugar mais belo do que o outro. A Ilha é mágica, não é a toa que o apelido de Floripa é Ilha da Magia.

A caminhada de 21 km era a proposta, mas como Floripa tem muitos atrativos não poderíamos deixar de conhecer o lado cultural, arquitetônico, ecológico e histórico. E para completar fomos visitar a ilha de Anhatomirim onde está localizada a Fortaleza de Santa Cruz que foi a principal fortificação do antigo sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina, projetada e construída pelo brigadeiro português José da Silva Paes a partir de 1739. A gastronomia não podia ser outra, ostras, peixes fritos e assados.

Meu amigo Julio da Scuna Maresia fez a gentileza de vir nos buscar em Biguaçu na praia de San Miguel, pois de segunda a sexta feira não tem saídas de embarcações em Florianópolis, a não ser se agendar com antecedência para no mínimo 20 passageiros. A ilha oferece uma infraestrutura que atende até 250 mil turistas no ano.

As opções de embarque são na praia de Canasvieiras, na Baia Norte, embaixo da ponte Hercílio Luz e também na Baia dos Golfinhos em Celso Ramos.

Para fazer esse roteiro completo é preciso reservar no minimo dois dias na ilha de Florianópolis ou na região, eu optei em dormir na praia do Campeche, um lugar fantástico, a ilha é cheia de opções de hospedagens, a Natur Campeche é uma delas mas tem para todos os gostos e bolsos.

Outra sugestão para quem quer viver experiências é conhecer a ilha do Campeche, mas isso ficará para próxima postagem.

Venha Caminhar em Floripa, venha navegar nas histórias da ilha das feiticeiras, da magia, das bruxas, das rendeiras, das moças faceiras e dos manezinhos.

Venha conhecer a ilha de Santa Catarina.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 04/07/2017 às 17h38 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade

Os guias de turismo apresentando Blumenau

Outro dia fui convidado pelos guias de turismo a fazer um reconhecimento e escrever sobre os atrativos culturais e gastronômicos de Blumenau. Fomos nos museus, nas cervejarias e na escola dos Mestres Cervejeiros, a única da América Latina.

Essa visita foi programada pelos profissionais do turismo de Blumenau, Balneário Camboriú, Itajaí e Florianópolis. Conhecemos o lado cultural de Blumenau, pois normalmente apresenta-se ao turista que visita o litoral um roteiro tendo Blumenau como destino de compras e Oktoberfest, mas tem muito mais na cidade Jardim, a Capital Nacional das Cervejas.

Nos foi apresentado um café colonial com mesa farta e produtos diversificados, como cucas, pães, salsichas, empadões, os doces misturam-se aos salgados, isso é um diferencial da cultura gastronômica adquirida pelos descendentes dos imigrantes.

Um café que mais parece um jantar. Seguindo o roteiro conhecemos o museu dos Usos e Costumes situado na casa do primeiro comerciante de Blumenau onde foi também o primeiro banco da cidade. Bem ao lado está o museu da Cerveja e o centro histórico que proporcionam uma volta ao passado, com a beleza e a geografia do rio Itajai Açú serpenteando o centro da cidade que junto com a arquitetura formam no local num cenário das belezas de Blumenau.

Cultura não falta na cidade, conhecemos o museu Da Água que além dos utensílios o local tem uma das mais belas vistas panorâmica do centro. Visitamos a primeira e única escola de Mestre Cervejeiro da América Latina com curso superior. Para conhecer temos que aprender, e foi justamente isso que aconteceu e comprovamos porque Blumenau é a Capital da Cerveja.

Vimos a dedicação para se chegar a perfeição da exata levedura, saber conduzir o processo de fermentação e o grau, são detalhes mínimos que fazem o sabor numa cerveja.

Da escola fomos para as fábricas, conhecer as cervejarias e o processo de como se produz uma cerveja.

A primeira foi a cervejaria Blumenau que detêm o rótulo da cerveja Frida, premiada mundialmente três vezes, deixando um rastro de sucesso entre as melhores do mundo, eu provei, mas quem sou eu para dizer alguma coisa desse sabor único, somente você provando para saber e sentir a leveza e a sensação que ela proporciona.

A cervejaria Blumenau proporciona visita programada com degustação de chopp e cervejas, e tem um restaurante com comida típica deliciosa. Os sabores de Blumenau são realmente exclusivos. Na parte da tarde conhecemos o outro lado de Blumenau o lado realmente cultural, onde os costumes estão vivos e o uso é diário, o museu é em céu aberto, a história está viva nesse pedaço de Blumenau. 

Distante apenas 27 km do centro da cidade está a Vila Itoupava, reduto dos descendentes dos primeiros imigrantes que aportaram em Blumenau.

Fomos recepcionados na rua pelo grupo de dança do club de Caça e Tiro, a cerimônia e o desfile foram exclusivas e também o convite para participar da competição de tiro ao alvo. 

Foi fantástico e marcante, como já comentei é exclusivo no Brasil, um pouco dos costumes europeus para você conhecer, isso não é somente para os guias e profissionais, esses atrativos estão ali bem perto, em Blumenau. Fomos em dois clubes e depois muitos tiros e muitas risadas, nos foi proporcionado um legitimo café rural estilo caseiro, sabores que lembrou da casa da Oma, pão caseiro com chimia de ovo, sardinha, queijinho com melado e cucas recheadas com frutas.

A minha maior alegria em visitar a Vila Itoupava é poder hoje apresentar como atrativo turístico esse destino. Esse lugar faz parte da minha origem, foi justamente a Vila que meus avós escolheram quando partiram da Alemanha para dar continuidade na luta pela vida, as emoções transbordam a quem conhece o sofrimento e a batalha para conseguir sobreviver na época da chegada desses guerreiros que foram os precursores do que é hoje Blumenau.

Fechamos com chave de ouro em duas cervejarias, uma estilo Inglês, com detalhes impressionantes, nela funciona um Pub temático, um show a parte, e a outra funciona um pesque pague um centro de pequenos eventos com restaurantes, vale conhecer, mas essas experiências ficarão para outra matéria que inclui a noite de Blumenau e onde dormir na cidade das festas, das flores e da cerveja.

A dica dos profissionais do turismo é que você venha conhecer Blumenau com outro olhar, uma visão cultural, sentir o sabor da gastronomia e conhecer suas verdadeiras origens. Conforme uma das organizadoras dessa ação Vivian Carla Brand a próxima visita dos Guias de turismo de Santa Catarina será em Balneário Camboriú,
Aguardem.

Escrito por Marcos Vinicios Pagelkopf, 19/06/2017 às 14h46 | mvpagelkopf@gmail.com

publicidade





publicidade



1 2 3 4 5 6





Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br