Jornal Página 3
Coluna
Céres Felski
Por Céres Fabiana Felski

Sobre os modismos em saúde

                Vamos começar deixando bem claro: não sou nutricionista, nem nutróloga. Fiz uma especialização em Nutrição Parenteral há muitos anos atrás, mas isto se aplica apenas a uma dieta especial, que é administrada na veia, em pacientes gravemente enfermos que não podem receber a dieta por via oral.

                 Eu não sei vocês, mas eu ando achando que este nosso mundo anda muito cheio de extremismos, de excessos. Qual a dieta da moda? Low carb? Paleo? E aquela dieta do tipo sanguíneo? Restrição de gluten... jejum intermitente... Não sei como as pessoas não precisam de ansiolíticos cada vez que vão ter que escolher um prato num cardápio.

                 Talvez eu já esteja muito velha (26 anos de formada podem caracterizar velhice?), mas continuo achando que na alimentação, como em tudo na vida, o que a gente precisa mesmo é ter bom senso. Embora este não pareça ser um item em moda ultimamente, me atrevo a dizer que é o que mais está faltando no mundo.

                    Quem já assistiu alguma palestra minha sabe o que sempre falo: Deus nos fez perfeitos num mundo perfeito, certo? Cada alimento no mundo que Ele criou tem a quantidade certa de sal, de açucar, de água... E nós, eternamente insatisfeitos, criamos as compotas, as frituras, modificamos todos os alimentos e ainda criamos a roda, e com ela, o sedentarismo e a obesidade. Daí a conclusão óbvia: nós inventamos as doenças! Com todos os nossos modismos, de fast food, de comidas industrializadas, de cada vez mais adição de produtos quimicos...

                     E tudo isso começa cedinho: quando os bebês nascem. A criança nasce sem paladar, e este é desenvolvido com base no que ofertamos a ela. Então, pra que adicionar açúcar na mamadeira? Aliás, bebê tem que mamar no peito, com amamentação exclusiva pelo menos até os seis meses de idade. É ele que fornece as informações e os anticorpos que a criança vai precisar para se proteger, e até mesmo evitar alergias futuras. É o leite materno que dá as primeiras informações para a maturação do sistema imunológico.

                    Vindo na contramão de todo este processo, a agricultura orgânica vem começando a se destacar no mercado alimentício. Os alimentos orgânicos não são perfeitos na estética, a exemplo das modelos de capa de revista: na vida real, não tem fotoshop. Posso até ilustrar isso com uma situação que ocorreu lá em casa. Comprei uns tomates no mercado e deixei na geladeira. Fui passar uns dias fora, e quando voltei (duas semanas depois) eles estavam intactos. Isso é normal? Você há de convir que não, né? Mesmo na geladeira, ele deveria ter se deteriorado. Mas ele estava intacto. Usei? Óbvio que não. No meu corpo não cabe mais agrotóxicos, conservantes, estabilizantes, etc.

                    Então, meus amigos, vamos aderir a uma nova dieta: a do bom senso. Não é natural, não pode ser bom. Junto com o amor, a natureza ainda nos oferece as melhores opções. Cultivem uma hortinha em casa, ensinem a seus filhos de onde vem os alimentos. Lembrem que a nossa maior responsabilidade é com o futuro que deixaremos para nossos descendentes.

                    Boa semana!

Escrito por Céres Fabiana Felski, 18/09/2017 às 09h46 | cereshmrc@gmail.com

publicidade





publicidade









Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br