Jornal Página 3
Coluna
Ponto de Prosa
Por Céres Fabiana Felski

É como se fosse doce - parte 11

Todos conversaram alegremente, e a menina provou e escolheu os alimentos que mais tinha gostado. Pediu para a avó os nomes das folhas que não conhecia, e disse que preferia o arroz branco, mas do jeito que a avó tinha feito o integral, tinha ficado bem parecido. Fernanda olhou feliz para a neta. Tinha conversado com Cauê para que eles almoçassem com ela sempre, pois estava aposentada, tinha tempo para ficar fazendo refeições coloridas e cheias de graça para atrair a atenção da neta.

Sem dúvida, almoçar na casa de Fernanda facilitaria muito para todos, inclusive para ela que estaria segura do alimento fornecido à neta e feliz de estar participando do tratamento. Desta forma, Cauê não se opôs, enquanto se servia de mais uma porção de arroz integral com legumes, disse que então, até que tudo se estabilizasse, almoçariam ali.

A sobremesa veio na forma de uma salada de frutas bem gostosa, com as frutas bem picadinhas como só a vó Fernanda sabia fazer. Pena foi não poder repetir, mas para evitar a tentação, Fernanda já havia feito a dose ideal e trazido a mesa somente a taça de cada um. Não havia sobras para um segundo tempo.

Bia pediu, então, para ficar com a avó durante a tarde, e pediu com uma carinha tão meiga que Cauê não teve como negar.  Ligou para casa e pediu para sua ajudante que aproveitasse para dar uma boa limpeza no quarto de Bia, para preparar para seu retorno à noite.

Já Bia, naturalmente, tinha más intenções ao pedir para ficar com a avó. Assim que o pai saiu, ela correu para os braços de Fernanda e pediu para que ela fizesse um bolo de chocolate. Fernanda deu uma parada para pensar e correu para a internet. Pediu à Bia que a ajudasse a achar uma receita de bolo de chocolate diet. Achada a receita, fizeram a lista do que tinham que comprar e foram ao mercado.

Como o mercado era bem pertinho de casa, não precisavam nem ir de carro. E, afinal, era pouco o que faltava, apenas açúcar diet, ou adoçante culinário. Mas Fernanda queria caminhar um pouco com a neta no mercado e mostrar a ela a quantidade de coisas que havia que ela podia comer, com moderação, mas podia.

Bia ficou feliz. Tinha até bala sem açúcar! Gelatina! Pudim! Tinha chocolate diet, mas este a nutricionista tinha falado para evitar devido ao excesso de gordura. Neste caso, melhor comer chocolate normal (com alto teor de chocolate, não achocolatado) em menor quantidade.

Depois de comprar umas balas diet para a neta e o necessário para o bolo, foram para casa felizes. A casa e a cozinha foram inundadas por risos e gargalhadas que nem de longe lembravam o stress vivido há pouco mais de dois dias, quando Bia ainda estava internada.

Escrito por Céres Fabiana Felski, 28/08/2017 às 11h40 | cereshmrc@gmail.com

publicidade





publicidade








Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br