Jornal Página 3
Coluna
Economia & Negócios
Por Augusto Cesar Diegoli

Economia na Semana

Costa Rica Malhas

Os investimentos da Costa Rica em Canelinha são de aproximadamente R$ 120 milhões, entre obras civis, maquinário, equipamentos, tecnologia e outros bens, gerando aproximadamente 400 vagas de emprego, sendo inicialmente 180 diretos e 130 indiretos e um faturamento médio mensal de R$ 5,5 milhões. A empresa é audaciosa: planeja para o futuro ser a maior empresa têxtil do país. A Costa Rica Malhas e Fios tem a matriz na cidade de Cambé (PR), onde há um Centro de Distribuição de malhas e confecções, com produção de 140 mil peças por mês e 250 empregos diretos. São 44 lojas próprias (uma em Brusque) em 23 Estados brasileiros e mais 180 empregos diretos. Possui uma filial em Nova Trento, onde produz 650 toneladas de fios. Também importa 300 toneladas por mês. No mesmo parque fabril há uma tecelagem com a produção de 850 toneladas de malhas e uma tinturaria pronta para tingir mil toneladas de malhas por mês. Para Canelinha, inicialmente, haverá uma fiação projetada para mil toneladas de fios. Há possibilidade de trazer do Paraná o Centro de Distribuição e Administração.

Proposta pela Renaux

Os bens da massa falida da Fábrica Renaux, avaliados em mais de R$ 70 milhões, receberam uma única proposta de compra no prazo final para a venda direta. A oferta é da Nobre Administradora de Bens, proprietária da FIP. A proposta é de R$ 25 milhões, sendo a única proposta formalizada. A venda corresponde ao lote único, incluídos a marca Renaux, a sede da empresa na Primeiro de Maio, o casarão Villa Ida, além de terrenos em Brusque, Itajaí, Blumenau e Balneário Camboriú.

Alerta do Fisco

Há 192 mil empresas catarinenses enquadradas no Simples Nacional e, do total, em 27 mil os auditores fiscais da Secretaria da Fazenda encontraram divergências em relação ao pagamento de tributos referentes aos anos de 2013 a 2016. Os contabilistas responsáveis por essas empresas vão receber um aviso quando entrarem no sistema da pasta e, após isso, terão 30 dias para apresentarem as informações.

Academia de Gestão

A Ampe de Brusque e Região e a Uniasselvi Brusque deram inicio na última semana ao projeto Academia de Gestão. Foram ofertados cinco cursos, voltados para empresários associados da Ampe. A Academia de Gestão tem como metodologia cursos de curta duração, de quatro a doze horas, que serão ministrados pelos docentes da Uniasselvi. Liderança (4 horas), Marketing (4 horas), Vendas (8 horas), Gestão Financeira e Custos (12 horas) e Procedimentos Organizacionais (3 horas) são os cursos disponibilizados nesta primeira etapa do projeto. As capacitações têm início neste mês de setembro e seguem até fins de novembro.

Carros importados

O governo confirmou que vai acabar com o “super IPI”, que acresce 30 pontos de alíquota do IPI de veículos importados vendidos no Brasil.

Mercado em reação

As vendas de veículos no Vale cresceram 12,9% em agosto na comparação com julho, segundo dados da Fenabrave-SC. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o acréscimo foi de 13,35%. No acumulado do ano, já foram comercializados 26,9 mil unidades, alta de 6,23% frente a 2016.

Receita notifica

A Receita Federal está notificando 556 mil devedores optantes do Simples Nacional de seus débitos previdenciários e não previdenciários. Quem não regularizar a situação será excluído do programa a partir de janeiro de 2018. Ao todo, as dívidas somam R$ 22,7 bilhões.

Servidores federais

Foi publicada portaria com as condições do PDV (Programa de Desligamento Voluntário) para servidores federais. A adesão já pode ser feita e o prazo vai até 31 de dezembro. A portaria também traz orientações para a jornada de trabalho reduzida com remuneração proporcional e a licença sem remuneração.

Produtividade nas empresas

O frango era uma iguaria e reservado para ocasiões especiais e almoços de finais de semana. O preparo da ave costumava ser demorado e custoso. Hoje, transformou-se em uma alternativa barata nas refeições de todos os dias. O custo atual de R$ 6 o quilo, estaria em R$ 23,80 se considerado o valor real do produto, descontada a inflação em 1975. Isso significa que há 42 anos o preço de um frango era quatro vezes maior do que hoje. O cálculo explica essa matemática e tem uma variável fundamental: a produtividade. A avicultura, em especial a catarinense, tornou-se exemplo em um universo no qual o país ainda avança a passos lentos. Um brasileiro, por exemplo, produz em média, apenas 25% do que um norte-americano. Ou seja, um empregado nos EUA faz o trabalho de quatro no Brasil. O país está atrás do Peru, Chile e da Argentina, apenas para citar alguns vizinhos. Santa Catarina não chega a ser um modelo. Vem perdendo posições no ranking entre os Estados. Entre 2004 e 2013, caiu da sexta maior produtividade por trabalhador do país para a nona colocação. Para retomar o caminho do crescimento, a economia catarinense vai precisar encontrar a chave para o ganho da produtividade.

Moda Catarina

Na última semana, aconteceu na sede da Ampe Brusque, mais uma etapa do projeto Moda Catarina, uma iniciativa que a entidade desenvolve em parceria com o Sebrae. Na oportunidade, foi ministrado palestra sobre pesquisa de moda e planejamento de coleções. O que mais se vê no mercado da moda é cópia da cópia, resultado de pesquisas rasas e pouco eficientes, que se restringem aos primeiros resultados trazidos pela internet. O desafio é encontrar a fonte original e, a partir disso, traduzir as tendências em peças que dialoguem com o público e com a empresa, que tenham a cara da marca e do próprio negócio.

Cooperativas de crédito

Há uma ligação direta entre cooperativismo e desenvolvimento. Em países desenvolvidos como os Estados Unidos e o Canadá, mais de 50% da população está associada a cooperativas. No Brasil, os municípios com maior índice de Desenvolvimento Humano (IDH) são justamente aquele que abrigam algum tipo de cooperativa. Você, morador do Vale do Itajaí, certamente já é associado ou conhece alguma delas, pois vivemos na região do Brasil com maior densidade desse tipo de organização humana baseada na união de todos em busca de objetivos comuns.

Via internet

A Junta Comercial de Santa Catarina vai lançar dia 11 de outubro, o Programa Junta Digital. A novidade permitirá que os procedimentos para a abertura de empresas poderão ser feitos pela internet. O interessado também poderá fazer requerimentos e solicitar certidões sem precisar procurar os balcões e nem de documentos em papel. O órgão possui 690 mil empresas cadastradas e ativas no Estado.

Comércio exterior cresce

As exportações catarinenses, de janeiro a agosto deste ano, totalizaram US$ 5,7 bilhões, uma alta de 14,3% em relação a igual período de 2016. O desempenho coloca Santa Catarina no oitavo lugar no ranking nacional, com 3,9% dos embarques brasileiros. As importações registraram elevação maior (22%), chegando a US$ 8 bilhões. SC é o segundo Estado brasileiro que mais importou. Com esse desempenho, o déficit de US$ 2,3 bilhões na balança comercial. Os principais produtos que entraram pelos portos catarinenses, de janeiro a agosto, foram matérias-primas, com destaque para o cobre (US$ 379 milhões), polímeros de etileno (US$ 296 milhões) e fios de filamentos sintéticos (US$ 235 milhões). Mais da metade do cobre importado entra no Brasil por Santa Catarina.

Incentivos fiscais

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Brusque está realizando um levantamento de documentos relacionados as 18 empresas que atualmente ocupam a Zona Industrial do bairro Limeira, as quais receberam doações de terrenos e incentivos fiscais para implantação e ampliação de atividades. O objetivo é apurar a regularidade das concessões e o cumprimento dos encargos pelas empresas beneficiadas. Se houver irregularidades, os incentivos serão revistos e cobrados judicialmente.

Fenarreco

Houve um desagrado geral nas redes sociais quando foi divulgada as tabelas de preços para a edição deste ano da Fenarreco. O ingresso aumentou de R$ 10 para R$ 20 (100% de aumento em um ano), fato que jamais havia ocorrido. O estacionamento também dobrou de preço, também com aumento de 100%. Considerando a insatisfação com os preços para a entrada da festa e do estacionamento, sem contar o fato da bebida e da comida também terem aumentado, podem gerar uma perda de público na festa deste ano. Certamente, parte do público que pensava em comparecer em mais dias da festa, estará repensando, tendo em vista os gastos em dobro, em comparação com o ano anterior.

Golpistas contra consumidores

Segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude foram registradas 950,6 mil tentativas de fraude contra o consumidor brasileiro no primeiro semestre deste ano. Isso representa uma tentativa a cada 16,5 segundo. Em relação ao mesmo período de 2016, quando foram constatadas 884 mil tentativas (alta de 7,5%). A alta nos golpes contra o cidadão aplicados no setor bancário e financeiro foi o responsável por puxar o aumento geral das tentativas no semestre.

Teka se manifesta

O diretor presidente da Teka (Blumenau) falou publicamente sobre o imbróglio administrativo vivido pela empresa. O executivo alega que a indicação de uma gestora e a substituição dos conselheiros da empresa, avalizada pela Justiça para evitar a falência da tradicional indústria têxtil, quebraram a rotina das operações que se eram complexas em razão da recuperação judicial, sofreram uma quase paralisação. Várias atividades estão sendo obstruídas pelos profissionais indicados. A Teka reivindicou na Justiça a anulação da decisão que mexeu em sua estrutura administrativa, mas o pedido foi negado. Em meio a intensa guerra nos bastidores e disputas judiciais, a empresa deixará de ter suas ações negociadas na Bovespa a partir do dia 25 deste mês.

Vigarice

Não dá para acreditar que alguns prefeitos de SC, movidos pela vaidade, estão caindo em uma arapuca já com mofo de tão velha e manjada: dispor-se a gastar dinheiro público para receber o título de Melhor Prefeito do Brasil, de uma tal de União Brasileira de Divulgação, com direito a pompa e circunstância, em Recife (PE). Tudo, rigorosamente tudo, vigarice. Mas teve 27 prefeitos de SC que caíram nesta arapuca.

Schulz otimista

O diretor presidente da Schultz, de Joinville, está animado com as perspectivas de negócios. Falando para empresários em evento da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) anunciou que a empresa vai investir até o final de 2018 para elevar a produção a partir de 2019. O cenário vai melhorar a partir do próximo ano. A Schultz emprega 2.500 trabalhadores, com divisões automotiva e de compressores, detém 65% do mercado nacional de compressores a ar, e exporta seus produtos para 60 países. Fora do Brasil tem duas filiais nos EUA, três na Europa e uma em Xangai, na China.

Ladrões

Os políticos brasileiros, principalmente aqueles que estão próximos a maior concentração de dinheiro mostram-se cada vez que se especializaram e têm como objetivo único, captar dinheiro de empresários, desviar recursos públicos de toda sorte, para enriquecimento particular. A fortuna desviada por essa gente sem escrúpulos há muitos anos seguidos certamente faria a diferença para um país muito melhor. Os poucos políticos descentes que sobram não têm voz, nem vez, são as lebres entre os lobos. A democracia funciona muito bem com políticos honestos, comprometidos, atuantes. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 20/09/2017 às 13h10 | acdiegoli@gmail.com

publicidade

Economia na Semana

Saindo do buraco (1)

Parece que a economia do Brasil finalmente começou a sair do buraco em que se meteu nos últimos três anos. Mas ainda falta um bom pedaço para escalar. Foram divulgados na última semana os resultados completos da produção e das compras do país no segundo trimestre do ano. É o que se chama de Produto Interno Bruto (PIB). Houve uma melhora bem pequena: o PIB cresceu 0,2%. Isso quer dizer que a renda total do país, gerada na indústria, no comércio, nos serviços e na agricultura, ficou praticamente do mesmo tamanho.

Saindo do buraco (2)

Mas o número é melhor do que parece. Primeiro porque, é bom lembrar, a economia só fez encolher sem parar em 2015 e 2016. Em segundo lugar, muita gente achava que o segundo trimestre deste ano seria bem pior, ainda mais com a crise do governo federal. Mas o mais importante é que o movimento do comércio aumentou bastante, pela primeira vez desde 2014. Isso é um sinal de que os consumidores estão se animando com a queda da inflação e dos juros. A grana do FGTS também deu uma boa força.

Saindo do buraco (3)

Se as lojas vendem mais, também podem contratar mais. O desemprego já começou a cair, ainda de maneira lenta. Não é nenhuma maravilha, mas é alguma coisa. Para a economia engrenar, falta ainda que as empresas tomem coragem de investir mais em obras, novas fábricas, novas lojas. Isso só vai acontecer para valer quando todos estiverem mais confiantes nos rumos do país. Ou seja, vai depender muito das eleições do próximo ano.

Bom sinal

Boa notícia para a economia de Santa Catarina. Pesquisa da Fiesc mostra que as vendas das indústrias do Estado cresceram 5,3% em julho na comparação com o mesmo mês de 2016. Também houve aumento da massa salarial real, de 4,5%. Por outro lado, as horas trabalhadas na produção tiveram leve queda, de 0,46% e a utilização da capacidade instalada ficou em 80%, contra 81% em julho do ano passado. Se as vendas crescem e a capacidade instalada permanece praticamente inalterada, quer dizer que as empresas estão eliminando os estoques.  Isso indica que os níveis de produção devem começar a subir, inclusive refletindo na geração de empregos.

GM anuncia investimentos

A General Motors vai investir R$ 4,5 bilhões nas unidades de Joinville (SC), São Caetano do Sul (SP) e Gravataí (RS). O anúncio foi feito pelo presidente da GM, Carlos Zarlenga. O executivo informou que a empresa continuará acelerando seus investimentos no Brasil. O montante é parte do plano de aportar R$ 13 bilhões às operações no País entre 2014 e 2020. Só na fábrica de Joinville, vai investir R$ 1,9 bilhão. A unidade produz motores e cabeçotes e se localiza na zona Sul do município, às margens da BR-101. O aporte total tem como objetivo fortalecer o negócio da companhia mediante o desenvolvimento de novos produtos, tecnologias e conceitos inovadores de manufatura. Também cria a oportunidade para desenvolver novos fornecedores e gerar empregos.

Produção de veículos

A produção de veículos em agosto registrou alta de 45,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados divulgados pela Anfavea (representante das montadoras) somam carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões. As vendas cresceram 17,2% na comparação entre os meses de agosto e julho.

Hotéis Innovare

A Rede Innovare Hotéis, criada pelo Grupo Moresco, com sede em Brusque, acaba de inaugurar uma nova unidade de hotéis na cidade de São João Batista. O Innovare Slim Hotel São João Batista localiza-se na rodovia SC-410 nº 6545. A direção do Innovare afirma que a rede vem se ampliando em toda a região. O Innovare São João Batista vem para atender uma necessidade de demanda hoteleira na cidade, sendo uma versão econômica da rede. A nova estrutura possui 65 apartamentos, com decoração moderna e duas salas para eventos corporativos e sociais. Com capacidade de até 190 pessoas, poderão ser realizados casamentos, formaturas, eventos religiosos, aniversários, reuniões e palestras nas dependências do hotel.

Cesta básica

A cesta básica de Brusque caiu 2% em agosto, em comparação a julho. O preço dos itens básicos ficou em R$ 376,10 no mês passado, conforme dados apurados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A queda no preço foi puxada pela retração de 24% no preço do tomate, além de outras quedas menores no arroz, feijão e leite. Na variação acumulada nos últimos 12 meses, o preço da cesta básica em Brusque subiu 5,78%.

Zoológicos

Deputados estaduais de SC sinalizaram que assinarão moção pedindo que a bancada catarinense no Congresso vote contra projeto de lei em cujo parágrafo 2º do artigo 50 prevê o fim dos zoológicos que não estejam sediados nas capitais de estados. Se passar esse inexplicado capricho, deixariam de existir em SC os zoos de Pomerode, Brusque, Balneário Camboriú, Penha e Joinville.

Secmasc

Brusque será sede da VII edição do Secmasc – Seminário de Conciliação, Mediação e Arbitragem de Santa Catarina dia 22 de setembro, tendo como local o Centro Empresarial, com início às 8,30hs e término às 18hs. O objetivo do evento será debater questões como as recentes alterações na Arbitragem no Brasil, os custos e benefícios da Arbitragem e da Mediação para as empresas. A intenção também é destacar a importância das Câmaras de Mediação e Arbitragem, que têm a missão de ajudar a desafogar o Judiciário brasileiro. As inscrições para o evento podem ser feitas pelo site: www.fecema.org.br/secmasc.

Poupança rende menos

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, de reduzir a taxa Selic para 8,25% ao ano afeta diretamente a remuneração das cadernetas de poupança. A rentabilidade da poupança cai toda vez que a Selic estiver igual ou inferior a 8,5% ao ano, situação atual. Com a redução da Selic, a popuança passa a render agora 70% da Selic mais a Taxa Referencial (TR), equivalente a 5,77% mais TR. A remuneração anterior era de 6,17% mais TR.

Mais prazo

Empresas podem aderir ao Refis federal, o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), até o dia 29 de setembro. É o que consta da medida provisória nº 798. A prorrogação permitirá que as companhias façam análise mais detalhada dos débitos a serem incluídos no programa. Entre as formas de pagamento que o programa oferece está a possibilidade de o contribuinte desembolsar 20% do valor inteiro em até cinco parcelas, podendo liquidar o restante com créditos tributários. A outra forma é o pagamento da dívida à vista. O valor é o mesmo, porém, conta com desconto de juros e multa.

Balanço têxtil

Números do Relatório Setorial Têxtil 2017, apresentados pelo Sintex, mostram o tamanho dos desafios das indústrias do setor. De 2012 a 2016, o número de fábricas têxteis e de confecções diminuiu 10,9% em todo o país. Em Santa Catarina, que ao final do ano passado contava com 4,7 mil unidades de produção, foram 10,8 mil vagas de emprego fechadas no segmento de 2014 em diante. A produção também vem enxugando, fruto sobretudo da recessão da economia nacional que freou o consumo. Ainda assim, no Estado os efeitos foram menos piores do que no resto do país, segundo o Instituto Inteligência de Mercado (IEMI), responsável pelo estudo. Isso porque, avaliou, Santa Catarina dispõe de uma cadeia têxtil completa e com seus elos bem integrados, com condições melhores de absorver os impactos da crise.

Perspectivas

Nem tudo no entanto, é tragédia. As empresas entrevistadas pelo IEMI indicam perspectivas de crescimento este ano, ainda que tímidas. Em Santa Catarina, a produção de têxteis deve subir 2,8%, enquanto no segmento de confecções o incremento esperado é de 3,2%. Há uma demanda reprimida e o cenário deve melhorar a partir do fim do ano. A retomada agora não é para todo mundo, é seletiva. Pelo visto, a saída para as indústrias é continuar fazendo a lição de casa, reduzindo custos e apostando em diferenciais inovadores.

Leilão de bens da Buettner

A leilão dos bens móveis da Buettner frustrou a expectativa de muitos, sobretudo do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis de Brusque. A arrecadação de R$ 142 mil foi bastante abaixo do esperado. Foram postos à venda vários maquinários antigos da empresa. O valor dos bens estavam avaliados em R$ 2,1 milhões. Os bens móveis não foram vendidos nem na primeira, nem na segunda chamada. A maior esperança de arrecadação agora para pagamento dos trabalhadores e dos credores é o leilão dos imóveis da Buettner. São dezenas de matrículas de bens imóveis.

Prova do fracasso

Conforme a atualização demográfica do IBGE, divulgada na última semana, dezenas de municípios do Oeste e Serra de SC continuam perdendo população de forma continuada, enquanto que em outros tantos do litoral chegam cada vez mais moradores, originários, em sua maioria, daquelas duas regiões. Há diferentes razões a considerar, mas se prova, mais uma vez o fracasso da política de “deslitoralização” criada pelo falecido governador LHS, ao custo de alguns bilhões de reais mal gastos até agora, com as Secretarias de Desenvolvimento Regional (agora agências). Sem dúvida uma boa ideia, mas que desde o início foi desperdiçada, com algumas honrosas exceções, por se transformarem em um cabide de empregos. E continuam assim.

Correios vão demitir

Os Correios vão lançar, nos próximos dias, o terceiro PDV (Programa de Demissão Voluntária) do ano. As duas primeiras edições cortaram 6,2 mil empregados. A meta agora é desligar mais de 5 mil trabalhadores. Dessa vez, a empresa não terá a exigência de idade mínima de 55 anos para participar. Podem aderir todos os empregados com, pelo menos, 15 anos de casa. Depois de ter sofrido prejuízo anual de R$ 2 bilhões em 2015 e 2016, os Correios estão reduzindo gastos na tentativa de não serem privatizados pelo governo.

Notificação à empresas

A Secretaria da Fazenda de Brusque divulgou uma lista de dezenas de empresas que tiveram, por decisão administrativa, seu status municipal “suepenso”, por motivo de irregularidade perante a Jucesc ou pela falta de pagamento dos tributos municipais ou cumprimento de obrigações legais. As empresas têm prazo de 60 dias para regularizar sua situação junto à pasta. Decorrido este prazo, será dado baixa no registro do contribuinte. A lista completa está na página 99 do diário oficial do município: www.goo.gl/pbsZjt.

Inflação nos supermercados

A inflação das unidades de supermercados caiu 0,24% em julho deste ano, em relação a junho. De janeiro a julho, diminuiu 0,54%. A queda nos preços foi de 1,1% em 12 meses, a menor desde dezembro de 2006.

Quem é visto é sempre lembrado

Anuncie sua marca, seus produtos, sua empresa. Temos espaço em jornais de Brusque e região. Inf. 9-9989-0720.

Emprego de luxo

Não falta emprego para ex-prefeitos de SC, principalmente os que deixaram o cargo mais recentemente, na maioria por terem perdido nas urnas. Não precisam recorrer jamais ao Sine. É que sempre tem um deputado estadual oferecendo uma sinecura em seu gabinete, na Assembleia Legislativa, com dispensa de ponto, por ser cargo comissionado. E quem paga eles é aquele otário de sempre.

 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 12/09/2017 às 14h25 | acdiegoli@gmail.com

publicidade

Economia na Semana

Na Assembleia

Está na Assembleia Legislativa projeto que manda cancelar a inscrição estadual de empresa receptadora de produtos provenientes de roubos de cargas. Para dar apoio aos transportadores e reduzir a incidência de crimes, será criada delegacia especializada em Florianópolis.

Uniasselvi no Espaço Havan

A Uniasselvi vai transferir o seu campus de Brusque, no bairro São Luiz, para o Espaço Havan, complexo que será erguido pela rede varejista em um terreno que pertencia à antiga Cia. Industrial Schlosser. A instituição de ensino será uma das âncoras do espaço multiuso, que terá operações relacionadas à educação, cultura, serviços, compras, entretenimento, saúde, tecnologia e gastronomia. Com a mudança, a Uniasselvi vai incorporar enfermagem, direito, psicologia, nutrição e fisioterapia à lista de cursos de graduação. A meta é aumentar para 2,5 mil o número de alunos no ensino presencial e para 5 mil na modalidade à distância. Outros parceiros ainda negociam participação no empreendimento, que deve ser inaugurado entre fevereiro e março do próximo ano.

Rombo do governo

O déficit primário do governo foi o pior da história tanto para meses de julho quanto para o acumulado do ano. Dados do Tesouro Nacional mostram que as despesas superaram as receitas em R$ 20,1 bilhões no mês, o que levou o rombo do ano a R$ 76,2 bilhões. No acumulado, o déficit é de R$ 183,7 bilhões.

Arbitragem

“A Arbitragem, como método alternativo de solução dos conflitos de natureza patrimonial disponível, tem adquirido cada vez mais prestígio e importância na sociedade contemporânea, mormente nas duas últimas décadas, demonstrando ser um instrumento hábil a atingir os objetivos para os quais tem sido idealizada e modernamente desenvolvida pela ciência jurídica”, alega o desembargador Joel Dias Figueira Júnior, do TJ-SC. Vários escritórios de advocacia já se utilizam da Mediação e Arbitragem como opção para seus clientes.

Cofrinhos e gavetas

Cerca de 35% das moedas emitidas no país desde 1994 estão fora de circulação, esquecidas ou guardadas em cofres, gavetas e carros (R$ 1,4 bilhão). Hoje, há R$ 6,3 bilhões em moedas (R$ 31 por pessoa), segundo o Banco Central, que lançou a campanha “Caça ao Tesouro”.

Turismo afetado

Santa Catarina está ameaçada de não ter estandes e apresentar uma fraca presença nas principais feiras e exposições deste segundo semestre. A Fazenda contingenciou as dotações orçamentárias previstas para o Festival de Turismo de Gramado, as Festas de Outubro, o Congresso da Abav e a Feira Internacional de Turismo de Buenos Aires. O secretário de Turismo vem tentando reverter a decisão em negociações constantes com a Secretaria da Fazenda.

Fim do Diário Oficial

A versão impressa do Diário Oficial do Estado deixou de circular em Santa Catarina desde 1º de setembro. Decisão da Secretaria de Administração se insere entre as medidas de redução de despesas, em função da crise que se agrava no governo estadual. Todos os atos oficiais, editais e outros avisos terão publicação oficial apenas na versão digital pela internet.

Privatização

Extensas reportagens, editoriais e artigos das maiores revistas e jornais do Brasil exaltam, quase unanimemente, a privatização da Eletrobrás. A revista Veja dá um exemplo ilustrativo. Diz que há duas décadas foi privatizada a Gerasul, subsidiária da Eletrosul. Seus ativos equivaliam então a 5% do valor de mercado da Eletrobrás. Comprada pela francesa Tractebel em 1988, foi transformada ao longo dos anos, com gestão profissional e livre e interferência política, na que é hoje a mais valiosa empresa no setor energético. A Engie, seu novo nome, com sede em Florianópolis, vale quase uma Eletrobrás e meia, mesmo tendo uma capacidade de geração de apenas 20% da qual a estatal tem.

Alerta da Receita

A Receita Federal está enviando correspondências a contribuintes que concluíram obras de construção civil, já calcularam o valor devido por meio do Aviso de Regularização de Obra (ARO), mas ainda não efetuaram o recolhimento necessário. No Brasil são cerca de 11,7 mil devedores, sendo 103 da região de abrangência da Delegacia da Receita Federal em Blumenau. Todos os devedores com débitos vencidos até 30 de abril podem incluir tais débitos no Programa Especial de Regularização Tributária e aproveitar a redução de juros e multas para regularizar seus débitos. Em Brusque, o valor devido é de R$ 520 mil.

Evolução financeira

Números do mês de agosto e o acumulado do ano (janeiro a agosto) apontam para os seguintes resultados: Selic +0,80% (acumulado +7,35%), CDI +0,80% (acumulado +7,34%), Poupança +0,55% (acumulado +4,69%), Bolsa de Valores +7,46% (acumulado +17,61%), Dólar comercial +0,97% (acumulado -3,15%), Euro comercial +1,54% (acumulado +9,96%), Ouro +4,18% (acumulado +11,11%), IPCA +0,44% (acumulado +1,87%), IGP-M +0,10% (acumulado -2,56%). Em 12 meses, o IGP-M tem uma redução de 1,71%. É o índice de reajuste (redução) para os aluguéis que vencem em setembro deste ano.

Aquisição

A paulista Duratex, empresa da holding Itausa e da Cia. Ligna de Investimentos, anunciou a aquisição de 100% do capital da Ceusa – Cerâmica Urussanga, indústria de revestimentos cerâmicos com sede em Urussanga, por R$ 280 milhões. O objetivo é ampliar a oferta de produtos para construção da Duratex, que é a maior produtora de painéis de madeira industrializada, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul e líder nacional em pisos laminados. Atua com as marcas Deca, Hydra, Durafloor e Duratex.

Roubalheira

Atualmente tramitam no Tribunal de Contas do Estado 111 processos envolvendo 196 repasses financeiros, totalizando R$ 3,9 milhões (não atualizados monetariamente), realizados em 2009, a título de subvenção social, patrocinadas por deputados estaduais, para dezenas de entidades, que terão que devolvê-los. Constatou-se que ao invés de serem revertidas na execução de projetos para a sociedade, eram divididas entre os particulares participantes do esquema. As multas já aplicadas chegam a R$ 7,9 milhões.

Ensino do alemão

Duas cidades e realidades bem diferentes, que trata sobre o  ensino do alemão na região, o Colégio Cônsul, de Brusque, informa que além de ser disponibilizado como atividade extracurricular aos alunos do 2º ao 5º ano, o alemão também consta na grade curricular dos alunos de 6º a 9º ano e de todo o Ensino Médio, devendo o aluno optar pelo aprendizado de Inglês, Espanhol ou Alemão. O colégio informa também que há 15 anos oferece para toda a comunidade aulas do idioma, sendo que a procura é grande. Hoje, o curso conta com 78 alunos.

Zehn Bier no exterior

Assim como outras cervejarias artesanais do Vale, a brusquense Zehn Bier investe no mercado nacional. Com presença já consolidada em Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, a empresa está intensificando contatos para levar seus rótulos para a região Centro-Oeste. Por outro lado, em movimento pouco comum no segmento, pela complexidade desse tipo de operação, aposta também em oportunidades no mercado internacional. Hoje a capacidade instalada da empresa é de 80 mil litros por mês, a produção tem girado em torno de 50 mil. Com novas perspectivas, estima chegar a 400 mil no futuro, o que exigiria ampliação da atual planta. Por ora, porém, trata-se apenas de uma projeção. Enquanto isso, a marca amplia a lista de cervejas com dois novos rótulos: Iris Red Ale e um chope de vinho, lançados recentemente. Já são oito no portfólio.

Maiores & Melhores

Empresas de SC são destaque no ranking Maiores e Melhores 2017 da revista Exame. A catarinense número 1 é a BRF, que aparece em 10º lugar, por ter obtido vendas líquidas de R$ 29,4 bilhões ano passado. Na sequência de SC estão a Bunge, em 11º lugar (R$ 29,37 bilhões), Aurora Alimentos em 68º (R$ 7,9 bilhões), Celesc em 90º (R$ 6,1 bilhões), WEG em 124º (R$ 4,7 bilhões) e Engie Brasil Energia em 135º (R$ 4,35 bilhões).

Varejo bilionário

Santa Catarina tem 18 empresas entre as 300 maiores varejistas do país, mostra a terceira edição de um ranking anual feito pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo. Juntas, essas empresas catarinenses acumularam um faturamento bruto de quase R$ 15 bilhões em 2016 e encerraram o ano empregando em torno de 65 mil pessoas. Desta lista, quatro companhias nasceram ou têm sua matriz instalada no Vale. A Havan é a mais bem colocada, na 29ª colocação (R$ 3,8 bilhões). Graças a sua extensa cadeia de 834 lojas por todo o país, a Hering, de perfil industrial, também entrou no ranking, na 75ª posição (R$ 1,6 bilhão). O grupo AMC têxtil, dono das marcas como Colcci e Triton, com sede em Itajaí, figura no 163º lugar (R$ 586 milhões). Também de Brusque, a rede de supermercados Archer fecha a relação na 240ª posição (R$ 357 milhões).

Siemens em Joinville

 O complexo de produção e logística da Siemens Healthineers, em Joinville, está completando cinco anos. Desde a sua inauguração em 2012, a estrutura fabril já ampliou algumas áreas para melhor atender à demanda por produtos e serviços, além da criação de um centro de treinamento. São produzidos equipamentos de ressonância magnética, tomografia computadorizada e raios X para suprir a demanda nacional. Neste ano, a unidade ainda comemorou a fabricação do seu 200º equipamento de ressonância magnética.

Dívida ativa

A Receita Federal está encaminhando para inscrição em dívida ativa da União, os débitos para os quais já se encerraram as ações administrativas de cobrança e que não foram regularizados por meio de adesão ao Programa de Regularização Tributária ou ao Programa Especial de Regularização Tributária. A inscrição em dívida ativa implica a incidência de encargos legais no âmbito da execução fiscal. O contribuinte teve opção de aderir até 31 de agosto, exclusivamente pelo endereço da Receita na internet.

Fraudes contra a Previdência

O desvio de cerca de R$ 56 bilhões anuais da Previdência, equivalente a 30% de seu déficit, estimado em R$ 185 bilhões para o final do ano, é um dado mais do que suficiente para exigir mobilização à altura dos organismos de fiscalização. A Previdência precisa vencer resistências de toda ordem e passar por mudanças amplas. É o caminho mais curto para deixar de ser apontada como uma das razões do descontrole nas contas públicas e retomar o seu papel de manter quem adquire as condições legais para se aposentar. Será difícil argumentar que a reforma, tão necessária, mas cada vez mais preterida pelo Congresso, pode resolver todos os problemas do sistema enquanto questões como as fraudes não forem enfrentadas. Onde há dinheiro público, sempre terá gente em volta recorrendo a artimanhas de todo tipo para obter vantagens de forma ilegal.

Celulose Eldorado

A J&F, que controla os negócios da família Batista, concluiu as negociações para vender a fabricante de celulose Eldorado para a Paper Excellence. O contrato foi assinado no último final de semana e monta em R$ 15 bilhões. A compradora tem unidades no Canadá, pertence à família Widjaja, que também é dona da gigante indonésia Asia Pulp and Paper. Os fundos de Funcef (Caixa) e Petros (Petrobrás) são minoritários na Eldorado com 17% por meio da FIP Florestal. Podem sair do negócio já nessa primeira fase. A Eldorado, que produz cerca de 1,7 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano, vinha sendo cobiçada por outras empresas como a chinesa China Paper e as brasileiras Fibria e Suzano. A Paper Excellence aceitou pagar um valor mais alto pelo ativo para entrar no Brasil, um dos produtores de celulose mais competitivos do mundo.

Alemães em Joinville

Uma delegação de seis empresários de Baden-Wurttemberg, um dos Estados mais desenvolvidos e inovativos da Alemanha, confirmou presença na Intermach, no dia 12 de setembro, na Expoville. Os alemães participam da rodada de negócios com empresários brasileiros em busca de negócios no Brasil. Os segmentos de atuação abrangem cervejaria, fabricante de máquinas para soldagem de plástico, produtora de equipamentos de filtragem de ar, consultoria em parcerias entre empresas inovadoras e instituições internacionais, manutenção de máquinas CNC, estações interativas e autossustentáveis que podem ser usadas como pontos de ônibus, estações de trem ou mesmo aluguel de bicicletas, além de estarem preparadas para carga de carros elétricos. A missão é organizada pela Câmara Brasil-Alemanha (AHK Santa Catarina).

Privatização e concessões

O prefeito de São Paulo colocou à venda, via privatização e concessões, vários dos mais importantes e conhecidos equipamentos públicos paulistanos: o Autódromo de Interlagos, o Centro de Exposições Anhembi, terminais urbanos e o mais recente, o Estádio do Pacaembu, que deverá ser privatizado e o prazo máximo de concessão à iniciativa privada será de 35 anos.

Empresas do governo

De uma hora para outra, a equipe do governo federal desandou a anunciar planos para vender suas empresas. Falou-se em privatizar a Eletrobrás, uma gigante que cuida de produzir a distribuir energia elétrica; a Casa da Moeda, que imprime o dinheiro que usamos no dia a dia; o aeroporto de Congonhas, que não seria vendido, mas concedido por um período de tempo. Apesar de todo o barulho, é difícil que tudo isso vá acontecer rapidamente. O atual governo só vai até o final do próximo ano, isso se o presidente não for afastado antes. Desde o ano passado, já se tenta passar para o setor privado a exploração de estradas e rodovias, mas o processo anda devagar. Com a Eletrobrás, então, será muito mais difícil. Para se ter uma ideia, essa estatal controla outras 38 empresas em vários cantos do país. É muita coisa para vender de uma só vez. Mas é fato que o governo tem estatais demais: na última contagem, eram 151. As grandes são a Petrobrás, a Eletrobrás, o BNDES, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e os Correios, que controlam outras empresas. No resto da lista está um monte de estatais menores, muitas sem serventia nenhuma. Para ficar num exemplo só, uma tal EPL foi criada para lançar o trem-bala, que nunca saiu do papel. Esse é o Brasil. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 05/09/2017 às 09h07 | acdiegoli@gmail.com

publicidade

Economia na Semana

O Brasil melhora
O economista-chefe do Bradesco, Fernando Honorato, em recente visita à Santa Catarina, transmitiu mensagem de alento aos clientes da instituição financeira. Em resumo, falou: 1) as contas externas estão mais favoráveis e o País tem condições de honrar seus compromissos com folga; 2) a aprovação do teto de gastos públicos foi um gesto na direção positiva; 3) hoje, as empresas estão ajustadas à nova realidade; 4) a inflação cairá mais e o poder de compra do assalariado aumentará; 5) a taxa de juros básica Selic vai recuar para 7,5% até o fim do ano; 6) com juros em queda, deve melhorar a situação das empresas endividadas; 7) há alguma recuperação de emprego; 8) há sinais de melhora dos negócios dependentes da cotação do dólar; 9) as vendas de automóveis aumentam; e 10) o PIB, em 2018 vai crescer entre 1,5% e 2,5%.
Schultz contrata
A Schultz está contratando, imediatamente, 100 funcionários para as suas plantas industriais de Joinville. O aumento do quadro de empregados é efeito da melhora dos negócios tanto na unidade automotiva, quanto na de compressores. A Schultz tem hoje 2,4 mil colaboradores.
Abertura aos domingos
Até 500 mil empregos podem ser gerados como consequência do decreto que permite a abertura de supermercados aos domingos e feriados sem ter que negociar com o sindicato. A previsão é da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), levando em conta cerca de 80 mil lojas do país e com base em dados de 2016.
Crescimento de Araquari
Com quatro mil vagas criadas desde 2011, Araquari é um fenômeno na criação de empregos em Santa Catarina na década, ocupando o nono lugar no ranking de geração de empregos. Com 34 mil moradores, a cidade vizinha a Joinville tem a 43ª maior população de Santa Catarina. Joinville vinha liderando no Estado até 2015, quando a crise apertou e levou mais de 13 mil vagas. Hoje, a cidade do Norte está na segunda posição no Estado, com 14,4 mil novos empregos criados na década. A liderança está com São José, onde surgiram 19 mil novas colocações nos últimos seis anos.
Leilão da Buettner
Bens da massa falida da brusquense Buettner, que já foi referência no mercado têxtil brasileiro, vão a leilão nesta sexta-feira (1º). São máquinas e veículos inutilizados divididos em lotes que somam R$ 2,89 milhões. A empresa teve a falência decretada em abril do ano passado.
No vermelho
A Teka acumulou prejuízo de R$ 89,5 milhões no primeiro semestre deste ano. No mesmo período de 2016, a operação já havia ficado no vermelho em R$ 75,2 milhões. Foram justamente os resultados operacionais ruins que levaram a Justiça a afastar, em julho, membros dos conselhos fiscal e administrativo da quase centenária indústria têxtil blumenauense, que está em recuperação judicial desde 2012. O Patrimônio Líquido da Teka em 30 de junho é negativo em R$ 1,39 bilhão, ou seja, a empresa está com seu passivo a descoberto neste valor.
Dohler
A tradicional empresa têxtil Dohler, de Joinville, teve vendas líquidas no primeiro semestre deste ano na ordem de R$ 215,0 milhões, contra R$ 207,4 milhões em igual período do ano passado. A empresa encerrou o período de seis meses com lucro líquido de R$ 12,5 milhões. Em junho de 2016, a têxtil encerrou o semestre com lucro de R$ 4,4 milhões. O Patrimônio Líquido (Capital Social e Reservas) da Dohler em 30 de junho soma R$ 523 milhões. A empresa está muito bem capitalizada.
Dr. Aureliano Albuquerque Amorim
Dia 22 de setembro, acontece em Brusque, o VII Secmasc (Seminário de Conciliação, Mediação e Arbitragem de Santa Catarina). Um dos palestrantes para esta data é o doutor Aureliano Albuquerque Amorim, juiz de Direito da 4ª Vara Cível de Goiânia, mestre em Direito Empresarial, pela Universidade de Franca, mestre em Direito dos Negócios, pela Universidade de Barcelona (Espanha), doutorando pela Universidade Autônoma de Lisboa (Portugal), especialista em Administração do Poder Judiciário pela Fundação Getúlio Vargas (Rio de Janeiro), professor de Direito Civil da PUC, em Goiânia, autor do livro Arbitragem e o Poder Judiciário, palestrante da Escola da Magistratura de Goiás e da Escola da Advocacia de Goiás. Sua palestra em Brusque terá como tema: o Novo CPC e os Métodos Alternativos de Solução de Conflitos. O Secmasc acontece no Centro Empresarial de Brusque e as inscrições podem ser feitas pelo site: fecema.org.br/secmasc.
Mais “aluga-se” em Blumenau
Não há na Rua XV em Blumenau um único lugar em que você olhe à frente e para os lados e não veja uma loja fechada. Portas cinzas, grades, portões de enrolar, sujeira acumulada, dezenas de cartas amontoadas, cartazes informando sobre o fechamento e explicando como pagar as contas com a loja que não está mais lá e placas de aluga-se ou vende-se fazem parte da principal rua do Centro da cidade. Conforme levantamento, 29 imóveis estão ociosos na rua de 1,3 quilômetro de extensão, três a mais do que em julho do ano passado e seis a mais do que em 2015.  Há uma lista extensa de possíveis motivos para explicar essa realidade: recessão da economia, preços dos alugueis nas alturas, concorrência com os shoppings, baixa atratividade das lojas, ausência de estacionamentos, comércio de bairros cada vez mais modernos e fortalecidos, facilidade de se comprar quase tudo pela internet sem sair do conforto de casa.
Troco solidário
A loja de Brusque da Havan entregou, na última semana, um cheque simbólico de R$ 38 mil à direção da Rede Feminina de Combate ao Câncer. O valor representa a arrecadação da Campanha Troco Solidário Havan no primeiro semestre do ano. No período, todas as lojas arrecadaram o equivalente a R$ 1,5 milhão e ajudaram 75 entidades pelo país.
Nepotismo à solta
Uma visualizada no Portal da Transparência da Assembleia Legislativa de SC, é um indicativo, só pelos sobrenomes simples e compostos ali dispostos em longas fileiras, dos parentes de deputados, secretários de Estado, desembargadores, juízes, conselheiros, vereadores, prefeitos e afins que ali trabalham. Sobrenomes que cruzados com os listados nos portais do Judiciário, Tribunal de Contas, MP-SC, Executivo e de prefeituras, dão uma ideia assombrosa do quanto a praga do nepotismo está presente na administração pública de Santa Catarina. São milhares de cargos comissionados, de livre nomeação sem concurso e com salários e vantagens nunca inferiores a R$ 5 mil. Centenas embolsam mais de R$ 15 mil mensais. E é evidente que a malandragem esconde outra malandragem: muitos não dão expediente. E não se vislumbra uma saída para controlar o abuso. O assunto pouco repercute na mídia porque renomados jornalistas da ativa em SC tem lá também seus tentáculos, sem nenhum constrangimento.
Na estrada
O grupo brusquense Trama Grupo de Teatro desde o ano passado vem fazendo o maior sucesso com apresentação de “Ao Som dos Teares” e se prepara para percorrer algumas cidades do Estado. A peça é baseada no livro “Tragédia e Mistério na Villa Renaux, o caso criminal que abalou Santa Catraina”, baseado em fatos reais do também brusquense João Carlos Mosimann.
Riovivo
Brusque é a única cidade catarinense que possui estação de tratamento de efluentes integrada, com capacidade para atender efluentes industriais e sanitários. Além da sua estação, o sistema dispõe de uma rede coletora de mais de 40 km, além de receber resíduos através de caminhões. Devido a isso, pode atender, de forma rápida e eficiente, empresas do ramo têxtil (tinturaria, estamparia e lavanderia), químico, metalomecânico, percolados de aterros sanitário e industrial, alimentos, bebidas e laboratórios, entre outros. Além de realizar o tratamento, a Riovivo efetua o monitoramento e controle de qualidade do efluente tratado antes de ser devolvido ao rio Itajaí-Mirim e garante a certificação de seus clientes junto aos órgãos ambientais competentes.
Uniasselvi Brusque
O diretor da Uniasselvi Brusque, Edson Andrade dos Reis, o coordenador do curso de Administração, Rogério Adilson Lana, a coordenadora do curso de Ciências Contábeis, Michelli Mendes, e o professor Luiz Henrique Eccel, receberam o presidente da Fecema (Federação Catarinense das Entidades de Mediação e Arbitragem), Roberto Adam, juntamente com o presidente da CMABQ, para uma palestra sobre os Métodos Alternativos de Solução de Conflitos. Mais de 200 alunos prestigiaram o evento, que teve uma excelente participação dos acadêmicos. A instituição informa que está de “portas abertas” para outros encontros. Todos os alunos receberam material sobre o Secmasc (Seminário de Conciliação, Mediação e Arbitragem de SC) que acontece em Brusque dia 22 de setembro, no Centro Empresarial de Brusque.
Contas do FGTS
Os recursos dos saques das contas inativas do FGTS geraram impacto positivo de R$ 10,8 bilhões nas vendas do comércio varejista, entre março e julho, segundo a CNC (confederação do comércio). O setor do vestuário e calçados, que recebeu mais de R$ 4 bilhões, foi o mais beneficiado.
Impostos recolhidos
Depois de subir em junho, a arrecadação federal voltou a cair em julho e registrou o resultado mais baixo em sete anos, de acordo com a Receita Federal. Foram arrecadados R$ 109,9 bilhões no mês, o que representa uma queda de 0,34% na comparação com o valor de julho de 2016.
Comércio ambulante
O comércio ambulante em Brusque não existe por falta de empregos. É mais profunda a causa. Aqui na cidade existe de tudo sem a mínima fiscalização do poder público, que deve acabar com esse vandalismo comercial. Hoje, há dezenas de vendedores de perfumes espalhados, em grupos, em plena avenida principal. Perfume de procedência ignorada, de qualidade duvidosa, sem fornecimento de nota fiscal e sem pagamento de impostos. Outros ficam no meio da calçada vendendo de tudo, inclusive facas afiadas a céu aberto. Uma afronta ao poder público que nada faz para acabar com esse comércio ilegal, sem contar com os “cachorrões” espalhados por vários locais em pleno centro de Brusque.
Privatização da Eletrobrás
A proposta de privatização da estatal de energia Eletrobrás pode fazer o preço da conta de luz cair para os consumidores, prevê o atual ministro de Minas de Energia. Para especialistas, porém, a conta pode ficar mais cara em um primeiro momento.
Espanha
Inacreditável. O Ministério do Interior da Espanha divulgou levantamento indicando a existência, naquele país, de 4.772 siglas partidárias legalmente registradas. Um porém em relação ao Brasil: os partidos espanhóis não recebem fundo partidário, não têm propaganda gratuita em rádio ou TV e nem outras facilidades.
Juros rotativos
Cinco em cada dez consumidores não conhecem as novas regras dos juros rotativos do cartão de crédito, mostra pesquisa. As mudanças estabelecidas pelo Banco Central entraram em vigor em abril, mas ainda são um mistério para a maioria. Agora, o consumidor que não pagar o valor total da fatura do cartão de crédito só poderá ficar no crédito rotativo por 30 dias, ou seja, no máximo até o vencimento da fatura seguinte. A partir daí, o débito terá que ser quitado integralmente ou poderá ser parcelado em outra linha de crédito que ofereça condição mais vantajosa.
Novíssimo
A MSC Cruzeiros comemorou na última semana a primeira flutuação do navio Seaview, que está em construção na Itália. O novíssimo gigante, de 424 metros, entra em operação em junho de 2018,na costa do Mediterrâneo, e de lá seguirá para o Brasil, para o tour de verão. Balneário Camboriú e Poro Belo já foram incluídas no roteiro para a temporada 2018-2019.

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 01/09/2017 às 13h37 | acdiegoli@gmail.com

publicidade

Economia na Semana

Para sacar os atrasados

Os segurados que ganharam ação contra o INSS e não sacaram os atrasados têm até o dia 31 deste mês para resgatar o dinheiro. Estão na mira os valores que foram liberados pelo governo há mais de dois anos. Em setembro, a grana que não tiver sido sacada será confiscada. Caso o aposentado que entrou com a ação tenha morrido, os herdeiros têm direito à grana.

Renúncia fiscal

A Fiesc, por meio do Sesi e a Engie Brasil Energia, assinaram termo de cooperação para promover a cultura da renúncia fiscal pelas empresas e também por pessoas físicas. Jaraguá do Sul foi a primeira cidade catarinense a implantar o Fundo Social e servirá de exemplo para os demais municípios. Em Santa Catarina, mas de duas mil empresas atuam no regime de lucro real e representam um volume de R$ 200 milhões que podem ser aplicados em projetos sociais dentro do Estado. Muitos desses recursos não são utilizados ou acabam sendo pulverizados para outras regiões do País, pela ausência de projetos bem elaborados. As empresas de lucro real podem destinar até 9% do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) para projetos nas áreas de saúde, esporte, cultura, idoso, infância e adolescência, por meio das leis federais.

Maçonaria

O Dia do Maçom, comemorado no último domingo (20), teve um encontro estadual solene no sábado (19) em Blumenau. Por iniciativa da Grande Loja e participação das demais potências, o evento aconteceu no Parque Vila Germânica. Foi a 50ª celebração em Santa Catarina e marcou também os 300 anos da maçonaria especulativa. No Brasil, a maçonaria foi fundada em 1822, lutando pela Independência.

Focado nos negócios

Em meio à expansão e a especulação de que seria candidato nas eleições de 2018, o diretor presidente da Havan, Luciano Hang, diz estar focado nos negócios da empresa e assim será por alguns anos. No momento, está descartada a participação na vida pública. O momento é de focar no futuro do Brasil. O governo precisa fazer mais com menos. A máquina pública tem que ser desburocratizada, desmontada. Precisa ser bem menor, acabar com esta burocracia que atola o país. Tirar este peso dos empreendedores e da sociedade. Nossos governantes precisam ser gestores. Não se pode entregar nas mãos de incapazes, pessoas que nunca administraram nada na vida. Eles não sabem administrar.

Reuniões de Campo

Cerca de cinco mil quilômetros percorridos no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Com a participação de mais de nove mil associados em 28 reuniões. Esse é o balanço da maratona das reuniões de campo deste primeiro semestre da Coamo. A diretoria realiza esses encontros desde a sua fundação e quem está à frente é o presidente e idealizador da cooperativa, o brusquense José Aroldo Gallassini.

SC na rota

Santa Catarina está na rota da exploração de petróleo e gás natural. Em setembro, a Agência Nacional de Petróleo realiza a 14ª rodada de leilões sob o regime de concessão em vários estados. Caso SC apresente fontes petrolíferas comerciais pode ser beneficiada com os royalties.

Novos voos

A Azul anunciou que terá 20 voos extras para Navegantes durante a Oktoberfest, entre os dias 6 e 22 de outubro. Os voos virão dos aeroportos de Viracopos (Campinas) e Porto Alegre, e representam um aumento de 30% na oferta de assentos nessas duas rotas. Outubro é tradicionalmente um mês recorde para o aeroporto e espera-se que este ano não seja diferente. Além dos voos extras, a companhia aérea também estreia em dezembro novos voos diários para o Rio de Janeiro e Ilhéus, na Bahia, com escala no Rio.

Clientes sem plano

Para reagir à perda de pacientes de planos de saúde e ao avanço das redes populares, clínicas de São Paulo vão se unir para divulgar serviços e oferecer consultas mais baratas, de R$ 90 a R$ 120. O movimento caiu 30% neste ano, pressionado pelo desemprego, que derrubou o número de pessoas com planos de saúde. Esses clientes representavam 80% das consultas. De dezembro de 2014 a dezembro de 2016, 2,7 milhões de pessoas deixaram de ter convênio médico, segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Hoje, 47,7 milhões possuem planos de saúde.

Liga da Justiça

A têxtil Brandili, que tem matriz em Apiúna e centro administrativo em Blumenau, foi escolhida pela Warner Bros. para produzir com exclusividade no mercado nacional peças de roupa infantis dos super-heróis da Liga da Justiça. O contrato vale para modelos voltados a crianças entre um a três anos e quatro a 10. As estampas integram a coleção de alto verão 2017/2018, que chega às lojas em outubro. A empresa está presente em todo o Brasil e em outros 27 países. A Brandili fechou a sua unidade produtiva no Paraguai. A filial foi aberta em 2013 e chegou a empregar 140 pessoas. Com custos de produção mais baixos, o país vizinho atraiu diversas indústrias catarinenses nos últimos anos.

Comércio

Pesquisa mostra aumento de vendas de roupas, livros e eletrodomésticos. O volume de vendas no comércio varejista cresceu 1,2% entre os meses de maio e junho. Essa é a terceira alta seguida na comparação com o mês anterior, de acordo com dados do IBGE. Até junho do ano passado, as vendas tiveram alta de 3%. O valor vendido subiu 2,4%.

Não saem da moda

Mesmo com popularidade e grande aceitação dos cartões, os carnês e o cheque pré-datado ainda são usados pelos brasileiros, segundo pesquisa do SPC Brasil e da CNDL (confederação dos lojistas). O estudo mostra que 8% usam o cheque e 26% possuem crediário de lojas.

Dívida de SC é insustentável

Durante forte pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Fernando Coruja fez um alerta sobre o aumento da dívida pública do governo catarinense. Citou o relatório do Tribunal de Contas, mostrando que a dívida pública estava em R$ 33 bilhões no final de 2016. E que terá aumento significativo com o empréstimo aprovado pela Assembleia de R$ 1,5 bilhão, com parte para o Fundam 2 e o restante para viabilizar obras atrasadas do Pacto por Santa Catarina. O rombo fiscal que hoje se verifica no governo federal também atinge o Estado. Em Santa Catarina não é diferente. Há comprometimento efetivo das contas públicas, com problemas de atraso de pagamento em vários setores, advertindo sobre as contas milionárias a serem pagas que envolvem os precatórios, a Invesc e a própria dívida pública.

Ação está para ser julgada

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) julgará a abrangência da ação contra Bamerindus e Nossa Caixa. O Idec criou a campanha on-line “STJ: meu direito não cabe numa lista”, para poupadores pedirem que os ministros não aceitem que só aqueles incluídos em lista prévia, desde o início da ação, poderiam ser beneficiados.

Sem definição

Ainda há controvérsia sobre a correção monetária, mas a cobrança de juros começa a ser feita a partir da data do cálculo dos atrasados até a data da citação do INSS no processo. O STF (Supremo Tribunal Federal) ainda precisa concluir um julgamento sobre o assunto.

Limitado a cinco anos

Os valores atrasados são calculados a partir da DIB (data do início do benefício), ou seja, desde a data em que o segurado marcou o atendimento no INSS, ou até os cinco anos anteriores ao pedido de revisão no posto ou na Justiça, se a aposentadoria for mais antiga.

Escape de pegadinhas

O segurado do INSS que trabalha em atividade prejudicial à saúde tem o direito de se aposentar mais cedo. Para isso, ele precisa comprovar, com a documentação correta, que foi exposto a riscos durante sua jornada de trabalho. O benefício especial é concedido para quem trabalhou 15, 20 ou 25 anos em condições insalubres. O trabalhador também pode converter o chamado tempo especial em mais tempo de contribuição comum e antecipar a aposentadoria. Manual publicado pelo INSS mostra quais são as normas vigentes e orienta como os servidores devem proceder na hora da concessão do benefício.

Justiça reserva R$ 34 bilhões

O Conselho da Justiça Federal (CJF) pediu ao governo federal R$ 34 bilhões para pagar os atrasados no ano que vem. A bolada inclui quem ganhou ações de revisão ou concessão contra o INSS, por exemplo. Segundo a Justiça Federal, R$ 19,6 bilhões serão destinados para quitar precatórios, que são os atrasados com valor superior a 60 salários mínimos. Os outros R$ 14,6 bilhões solicitados são para pagar as Requisições de Pequeno Valor (RPV), que são os atrasados menores, de até 60 salários. Os precatórios são pagos uma vez por ano. Em 2018, receberão a grana os segurados que tiveram o pagamento do atrasado liberado entre 2 de julho de 2016 e 1º de julho deste ano.

Novo manual evita ação judicial

O INSS introduziu algumas decisões judiciais importantes no manual da aposentadoria especial, que podem facilitar a concessão do benefício diretamente no posto e evitar a ida à Justiça. Uma delas é a decisão de 2015 do STF que determina o reconhecimento do tempo especial quando há exposição a ruído acima dos limites permitidos, mesmo que o EPI (Equipamento de Proteção Individual) utilizado pelo trabalhador seja eficaz. Em geral, para ter esse direito reconhecido, o segurado tinha que ir à Justiça. Porém, a inclusão da decisão no manual vai garantir que mais pessoas tenham esse direito respeitado. Também foi incluída no manual a Súmula 26 da TNU (Turma Nacional de Uniformização) dos Juizados especiais Federais, que reconheceu a atividade de vigilantes como perigosa, desde que o formulário apresentado comprove que havia porte de arma de fogo.

Idoso de baixa renda

Em busca de dinheiro, o governo deu início a um primeiro pente-fino no BPC (Benefício de Prestação Continuada), direcionado a idosos e deficientes de baixíssima renda e encontrou 60 mil benefícios irregulares. Os cancelamentos gerarão uma economia inicial estimada em R$ 670 milhões. O Ministério do Desenvolvimento Social encontrou 17 mil pagamentos a pessoas que já morreram. Esses casos totalizam R$ 190 milhões por ano e já foram cancelados. Em outro cruzamento de dados, foram identificadas 43 mil pessoas que recebem o recurso mesmo possuindo renda maior que o valor fixado para entrar no programa. Uma redução maior de custos é esperada em 2018, quando peritos verificarão pessoalmente as condições físicas e de moradia dos beneficiários.

Análise mais rápida

Um pedido de benefício bem feito, contendo todos os documentos necessários para a aprovação, faz com que o segurado consiga antes a concessão. A dica dos especialistas para não perder tempo é levar o maior número possível de documentos que provem o direito ao benefício.

Direito garantido

Por lei, o segurado tem direito de receber os atrasados desde a data em que agendou o pedido de aposentadoria, pensão ou auxílio-doença. Se passar de 45 dias, há correção da grana. Em geral, os valores dos atrasados caem na conta com o primeiro benefício.

A vaca

Um produtor rural vai ter que pagar indenização por danos morais e materiais de R$ 10,2 mil a um motociclista que se acidentou ao colidir com uma vaca em rodovia pública no Sul do Estado. Com a queda o rapaz fraturou a perna direita e ficou impossibilitado de trabalhar por cinco meses, além de sofrer prejuízos materiais com o conserto da moto e despesas médicas.  

CPI da Previdência

A CPI (comissão de inquérito) da Previdência ouviu representantes dos municípios que estão entre os cinco maiores devedores do INSS. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 21/08/2017 às 20h53 | acdiegoli@gmail.com

publicidade

Economia na Semana

Boato sobre rendimento do PIS

Um áudio que está circulando pelo Whatsapp sugere que todo cidadão com mais de 70 anos têm direito, ao saque de um salário mínimo pelo PIS. Porém, a regra não é bem essa. Se o trabalhador foi inscrito no PIS de 1971 a 1988, ele tem direito à cota e ao rendimento do PIS. Quem já tinha carteira assinada até 1988 ficou com a grana depositada. Aos 70 anos, é possível sacar anualmente os rendimentos, mas o valor varia. Em média, é de R$ 73. Porém, quem já sacou toda a cota do PIS quando se aposentou não tem mais nenhuma grana para retirar.

Tema Central do Seminário

Para o dia 22 de setembro, em Brusque, o Seminário terá como tema central Arbitragem, Conciliação e Mediação: Novos Mercados e Grandes Desafios. Palestrantes confirmados: Gilberto Giusti, Rafael Alves de Almeida, Daniel Jacob Nogueira, Edgar Sandri, Luiz Ricardo Espíndola, Roberto Faustino, Aureliano Albuquerque Amorim, Sérgio Roberto Back e Charles Machado. O evento acontece no Centro Empresarial de Brusque, terá início às 8,30hs e término às 18hs. A OAB/SC e a Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB/SC, juntamente com o CRC/SC, estão apoiando este seminário, que está na sua 7ª edição. Mais informações: www.fecema.org.br/secmasc

Pronegócio: Alto Verão

De 21 a 25 de agosto, mais uma vez a cidade de Brusque será palco da maior rodada de confecção do Brasil, com a realização da 42ª Pronegócio. Com coleções do Alto Verão 2017/2018, de diversas empresas de Brusque e Santa Catarina, o evento contará com a participação de empresas que representam segmentos nas áreas de confecção feminino, masculino, infantil, moda praia, fitness, cama e banho. Toda a estrutura está sendo montada no piso térreo do Pavilhão de Eventos da Fenarreco. A rodada contará novamente com o sistema próprio de software para garantir agilidade nos agendamentos e atendimentos aos clientes.

Planos econômicos

A AGU (Advocacia-Geral da União) negocia com bancos e consumidores um acordo para encerrar a discussão sobre a revisão dos planos econômicos. Com isso, a saga dos poupadores que foram prejudicados pelos planos econômicos nas décadas de 1980 e 1990 pode estar perto do fim. Ainda neste mês, os poupadores devem ser chamados pela AGU para ouvir a proposta dos bancos, na tentativa de encerrar a polêmica.

Luz no fim do túnel

Finalmente começam a aparecer algumas boas notícias para os trabalhadores brasileiros. Na política a situação continua desesperadora, mas na economia já surge alguma luz no fim do túnel. A criação de empregos, por exemplo, vem aumentando. Em julho, foram abertas quase 36 mil vagas com carteira assinada. Até setores muito castigados pela crise econômica, como indústria, construção civil e comércio, já voltaram a contratar. É verdade que um mundaréu de gente continua desempregada, cerca de 13 milhões de brasileiros. Mas pelo menos esse número começa a cair, devagarinho. Vendas e produção dão sinais de estabilidade. Inflação e juros estão caindo. Assim, o custo dos empréstimos e financiamentos fica mais baixo para as pessoas e as empresas. Se tudo continuar desse jeito, o Brasil pode contar com um crescimento da renda de uns 2% no próximo ano. Não dá, porém, para sair cantando vitória ainda. O governo continua no vermelho, com a corda no pescoço.

­Estável

Levantamento do IBGE indica que a produção da indústria catarinense praticamente se manteve estável (queda de 0,1%) de maio para junho. Das 14 regiões pesquisadas, SC acompanha outras quatro, que também registraram recuo: Bahia (-10%), o Nordeste (-4%), Rio Grande do Sul (-1,1%), Pará (-0,4%).

Clínica Lucato

Balneário Camboriú já tem seu Instituto do Sono. Fica na Rua 2070 nº 920, no Centro, entre a Quarta Avenida e a Marginal. Os telefones para contato: (47) 3367-4966 e 3081-5107. O médico responsável é dr. Luiz Aurélio F. Lucato. Polissonografia agora você leitor pode fazer em BC, não sendo necessário se deslocar para grandes centros de SC ou mesmo fora do Estado. Outro fator positivo, é que junto à clínica funciona uma terapeuta, que revende aparelhos CPAP e também faz manutenção em aparelhos usados. O telefone para contato é (47) 9-9251-725 falar com Tatiane.

Hering cresce

Depois de um período turbulento, com resultados operacionais impactados pela crise econômica, a Hering voltou a apresentar índices sólidos de crescimento. A empresa blumenauense mostra que a receita bruta acumulada no primeiro semestre de 2017 atingiu R$ 870,3 milhões, incremento de 6,1% em relação ao mesmo período de 2016. O lucro líquido saltou de R$ 90,9 milhões para R$ 125,8 milhões, alta de 38,4%. Nos seis primeiros meses do ano passado, a companhia havia registrado queda tanto nas vendas quanto no lucro na comparação com o mesmo período de 2015. Os bons números da Hering chegam mesmo com uma pequena redução do número de lojas de 828, ao final do primeiro semestre de 2016, para 818 agora. Todas as marcas da empresa cresceram, com destaque para a Hering Kids, que apresentou alta de 21,8%.

Mudanças na BRF

Quando se fala em companhias gigantes do setor carnes do Brasil, não é só a JBS que enfrenta uma série de problemas. A BRF, donas das marcas Sadia e Perdigão, que tem matriz em Santa Catarina, está atolada em problemas de gestão, tanto que a grande maioria dos acionistas quer que o empresário Abílio Diniz deixe a presidência do conselho o mais breve possível e a empresa contrate executivos que entendam do setor. A empresa pagou dividendos somente uma vez nos últimos 10 anos e, além disso, teve executivo e conselheiros com problemas na Justiça. A empresa está sem vice-presidentes: de Marketing, Financeiro e agora, de Relações Institucionais.

As melhores

WEG (bens de capital) e Whirlpool (eletroeletrônicos) foram eleitas as melhores empresas em seus respectivos setores, pela revista Exame. A publicação Maiores e Melhores mostra que as 500 maiores companhias brasileiras tiveram lucro de R$ 32,5 bilhões no ano passado. Em 2015, tiveram prejuízo superior a R$ 24 bilhões.

Imposto mais alto

Equipe técnica do governo federal faz estudos para elevar a alíquota máxima do imposto de renda de pessoas físicas de 27,5% para 35%. Pelos cálculos do Ministério do Planejamento isso alcançaria 1,2 milhão de contribuintes que ganham mais de 30 salários mínimos. As fórmulas matemáticas adotadas para verificar a possibilidade de garantir maior receita ao caixa da União, sempre produz em seus efeitos negativos sobre o bolso dos brasileiros. Claro que a ideia terá forte resistência no Congresso. Socialmente, melhor seria o governo aumentar o valor do teto de isenção de recolhimento de IR, de modo a dar algum fôlego aos que ganham menos.

Novo “Sai de Baixo”

A Globo deu a Miguel Falabella uma missão dura: produzir uma série cômica que repita o sucesso de “Sai de Baixo”. O autor escreve os roteiros de “A Morada da Alegria”, série sobre uma família muito simpática, mas repleta de problemas. Com estreia prevista para o ano que vem, aos domingos, o seriado terá o próprio Falabella e Cláudia Jimenez.

Alta seguida do emprego

Em julho, o Brasil criou 35.900 postos de trabalho, segundo o Caged, do Ministério do Trabalho. O resultado foi puxado pela indústria, um dos setores mais afetados pela crise, que, no mês passado, abriu 12.500 novas vagas. Em junho, o setor havia eliminado 7.880 empregos. O resultado do mês de julho é o quarto positivo consecutivo.

Expansão

A Unicesumar vai dobrar de tamanho com os 150 novos polos de educação à distância que a instituição de ensino superior pretende abrir em todo o Brasil até o final deste ano. O investimento planejado é de R$ 45 milhões. Na região, Indaial, Gaspar, Rio do Sul, Navegantes, Itapema e Camboriú estão mapeadas para ganhar unidades.

Mais exportações

As exportações catarinenses de janeiro a julho totalizaram US$ 4,9 bilhões, avanço de 15,2% frente ao mesmo período de 2016. O desempenho no acumulado do ano foi puxado pelo crescimento de 12,6% nos embarques de carnes de aves; de 18,7% nas exportações de soja; de 3,5% nas vendas de carne suína; e de 23,7% nas exportações de partes para motor. As informações são da Fiesc.

Assessoria financeira

A XP Investimentos, que tem braço operacional com a Manchester Investimentos, está lançando programa e faz investimento de R$ 86 milhões para dobrar o número de assessores financeiros no prazo de um ano. No País, tem 2.400; e a meta é chegar a 5 mil até o segundo semestre de 2018. A corretora busca executivos em fase de transição de carreira para compor seu quadro.

Combustíveis

De janeiro a julho, a receita do Estado com o setor de combustíveis totalizou R$ 2,2 bilhões, representando 11,8% do ICMS apurado. Deve chegar perto de R$ 4 bilhões no ano todo. Em 2016, somou R$ 3,6 bilhões o total de ICMS arrecadado no setor em SC. É o setor que mais contribui para que o Fisco catarinense consiga manter os níveis de receita aceitáveis.

Orçamento apertado

Pesquisa do SPC Brasil e da CNDL (confederação de lojistas) mostra que 53% dos brasileiros devem diminuir os gastos neste mês de agosto. Os principais motivos citados pelos entrevistados são a alta nos preços e o desemprego. Segundo o levantamento, apenas 17% dos consumidores dizem ter sobras no orçamento do mês.

Altona reage

Depois de passar os últimos dois anos apertando os cintos, a Altona (Blumenau) começa a enxergar uma luz no fim do túnel da crise. As vendas da empresa especializada na fundição e usinagem de peças de aço para variados setores da indústria, cresceram 11,2% no primeiro semestre de 2017 na comparação com os seis primeiros meses de 2016. As boas notícias começaram a chegar no início do ano. Clientes, principalmente dos segmentos de máquinas, equipamentos e mineração, procuraram a Altona avisando que aumentariam as encomendas. A direção da empresa religou maquinário até então parado, encerrou a jornada de trabalho reduzida, aprovada em junho do ano passado, e voltou a recrutar trabalhadores depois de demitir dezenas deles ao longo de 2016 por causa da queda na demanda. Duzentos funcionários já foram contratados e outros 40 ainda serão admitidos nas próximas semanas. Hoje a empresa conta com 780 colaboradores. A produção de aço também aumentou.

Déficit

O Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev) registra que hoje o governo é responsável por 70 mil aposentados e pensionistas. As despesas consomem mais de 18% da receita líquida do Estado, uma das mais altas do País. O atual presidente do Iprev, Roberto Faustino, adverte que a curva é crescente e os gastos, insustentáveis. Nota: este é o resultado de altas aposentadorias em SC e de muitos aposentados que nunca trabalharam, mas recebem o benefício. Um dia a casa vai cair. Se fizer uma limpa na folha atualmente, muitos terão que procurar emprego. Nunca trabalharam, sequer vão trabalhar e em poucos anos vão estar aposentados pelo Iprev.

Menor déficit com o exterior

As trocas do Brasil com o exterior caminham para o melhor resultado em 10 anos, favorecidas especialmente por um forte aumento das exportações. Ninguém chega a prever superávit, mas o déficit em conta-corrente neste ano deve ser pequeno, de US$ 20 bilhões, algo ao redor de 1% do PIB. Há um grupo de economistas que espera que essa conta fique na metade disso. Ainda que o número fique mais perto do teto, será o melhor resultado desde 2007. Outro aspecto positivo é que o déficit menor será financiado com folga por recursos trazidos por estrangeiros, o chamado investimento direto. 

Escrito por Augusto Cesar Diegoli, 14/08/2017 às 14h24 | acdiegoli@gmail.com

publicidade





publicidade



1 2 3 4 5 6





Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br