Jornal Página 3
Coluna
Condomínio Garden City
Por Saint Clair Nickelle

Um dia a casa cai

- Meu Deus! Está acontecendo mesmo! A Polícia Federal, junto com o Exército começou a prender todo mundo. Só no Congresso Nacional, foram 500 Deputados e 80 Senadores ...Os noticiários só falavam dessa megaoperação...As cenas televisivas mostravam parlamentares sendo arrastados pela gravata, pelo cabelo, agarrados as suas mordomias, mas sendo incapazes de resistir. Alguns tentavam chamar seus advogados, mas os celulares lhes eram arrancados e quebrados. Outros diziam que isso não ficaria impune, mas continuavam sendo levados à força para os camburões, onde eram jogados como sacos de batata.

- Pensei comigo: Só posso estar sonhando...deve ser porque vi, ainda ontem, aquele filme A Lista de Schindler...Mas, tudo parecia real. Belisquei-me várias vezes para ver se acordava e nada, os noticiários estavam ali para comprovar...

- O povo foi às ruas para aplaudir e dar apoio. Havia tanto entusiasmo que parecia uma grande festa. Quando passavam os camburões lotados de presos jogavam-se de tudo, desde ovos até coco de cachorro...A alegria do povo varou a noite, em todos os lugares. Eu não conseguia sair de frente da televisão, até que ouvi uma gritaria e fogos de artifício...Saí para ver o que ocorria no Garden City...Eram os moradores que faziam festa, chamando todos para a rua. Saí de pijama mesmo, caindo na folia...Entre abraços e choros nunca havia visto tanta alegria, parecíamos todos crianças. A praga da impunidade alcançara também os Estados, onde a maioria estava sendo presa.

- De repente, sacudidas constantes tentavam me acordar, achei que fora sufocado pelos abraços dos vizinhos do Condomínio, mas não, eram médicos e enfermeiros que faziam massagens cardíacas... eu tivera um surto e suava muito, depois fiquei sabendo do desfalecimento, em casa.

Quando, finalmente, me estabilizaram a pressão, pude compreender que nada daquilo, que é o sonho dos brasileiros honestos, tinha acontecido. Minha frustração só não era maior pela medicação sonolenta que me aplicaram. Muitas horas depois, acordei, sendo monitorado pela enfermeira que media minha pressão arterial. Ela, gentilmente me perguntou:

- Como está se sentindo, Seu Gumercindo?

- Melhor! Mas, você poderia me esclarecer uma coisa?

- Sim, o que o Senhor quer saber?

- Quantos dias eu estou no hospital?

- Trinta dias!

- Credo, tudo isso?

- O Senhor entrou em situação muito grave, mas felizmente conseguimos recuperá-lo...

- Enquanto estive internado, aconteceu alguma coisa no país?

- Não! Continua tudo igual...Mas, para seu próprio bem, não veja televisão, em especial os noticiários, pois as notícias podem piorar a sua situação.

- Agora, descanse e, qualquer coisa, me chame, tá bem?

- Sim, obrigado  

- Dias depois, tive alta hospitalar. Em casa, consegui me recuperar bem e, hoje, para minha satisfação, estou recebendo os meus amigos de mateada.

- Estou muito feliz por tê-los aqui em casa. Só lamento que o meu sonho, ou seja lá o que tive, não fosse realidade. Mas me contem as novidades, já que se passaram mais de um mês, desde a minha internação:

- Olha, Gumercindo, nem tudo que pensaste ter acontecido, foi sonho ou pesadelo, pois muito mais gente, entre políticos e empresários, foram presos pela Operação Lava Jato, nesse ínterim. Claro que não na proporção que nos contaste, mas, mesmo assim, os presídios estão abarrotados de engravatados safados, ou usando tornozeleiras eletrônicas. O país é uma prisão plena, só os traficantes continuam soltos.

- Aliás, as tornozeleiras viraram moda.

- Moda! Como assim?

- Em Brasília já tem a ala dos que usam tornozeleiras vermelhas com estrela branca. Também, os que as usam com símbolos religiosos, tucanos... alguns mais “abastados”, aplicaram ouro e pedras preciosas, como sinal de status.

- Meu Deus! Então, em trinta dias, pouco mudou o quadro político e social que me levou à internação?

- Infelizmente, é verdade!

- E o Presidente da República, foi cassado?

- Que nada, está no poder ainda, comprando todo mundo. Haja dinheiro, neste país, para agradar tanto político. Ele, nem sai mais do Jaburu, só negociando, mas mesmo assim achamos que ele cai...

- Alguém foi preso?

- Sim, todos os que denunciaram o Presidente.

- E os ministros corruptos?

- Continuam no poder, mais fortes do que nunca, com uma diferença, eles usam tornozeleiras verde-amarelas.

- E, o Juiz Sérgio Moro?

- Tá lá em Curitiba, mandando gente pra cadeia, sem parar. Dizem que ele teve até um problema na mão, de tanto assinar sentenças de prisão.

- Como é mesmo o problema do Juiz, Luiz Paulo?

- LER, lesão por esforço repetitivo...

- Mas, a frustração dele deve ser ainda mais dolorida... ele manda prender e o Supremo manda soltar ou, no máximo, ficar em prisão domiciliar.

- E, aqui no Garden City, como tão as coisas?

- Como sempre foram...

- Como assim?

- Toda aquela lorota do nosso síndico, enquanto candidato, que faria uma administração centrada em “Novas Ideias”, não aconteceu. É buraco no asfalto, é prestador de serviço se recusando a continuar nos atendendo, a limpeza das áreas comuns está péssima, não tem havido manutenção na iluminação... Enfim, não estamos muito diferentes do resto país.

- Credo, gente! Nada de bom aconteceu na minha ausência?

- É, quase nada. Bom, tem uma coisa, que pode parecer boba, mas foi implantada no Garden. Todas as domésticas são obrigadas a usar uniforme, fornecido pela Administração do Condomínio.

- Essa é a boa notícia?

 Depois disso ele passou mal e precisou ser internado novamente.

Escrito por Saint Clair Nickelle, 10/07/2017 às 09h54 | sannickelle@gmail.com

publicidade





publicidade









Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br