Jornal Página 3
Coluna
Falando nisso
Por Marlise Schneider

Página3...26 anos com vocês!

Há exatos 26 anos circulava a primeira edição do jornal Página3 em Balneário Camboriú.

Nos primórdios do Página 3

Era diferente. Um tablóide de 12 páginas em preto&branco. A redação ficava na Rua 600, na parte da frente da casa da dona Rosa e bem em frente ao Centro Espírita. A casa continua lá. A redação era tímida, tinha apenas um computador, duas máquinas de escrever, uma máquina fotográfica e uma grande vontade de acertar, de vencer. Até porque o dono da imobiliária que alugou a sala pra nós garantiu que nenhum jornal durava mais do que um ano na praia. Mas apesar desse 'agouro' decidimos apostar todas as fichas nesse sonho.

Primeira sede do Página 3 em 1991

Ainda hoje é nítida na memória a ansiedade, a correria, agonia naquela semana de julho que prevíamos o lançamento. Mas algo deu errado, não ficou pronto, a impressão teve que ser adiada uma semana e a edição não saiu do forno no dia 20 de julho como queríamos para presentear Balneário Camboriú, que aniversaria nesse dia. Adiamos uma semana e o lançamento aconteceu dia 26 de julho de 1991, no posto do Jaison Barreto, na Terceira Avenida. O posto continua lá, mas o Jaison aposentou-se e deixou o bar onde tantas reuniões importantes aconteceram, onde o jornal mesmo 'bateu ponto'...comemorou vários aniversários...entrevistou figurões, entre eles governadores, senadores, prefeitos e até o candidato a presidente Luís Inácio. Naquele tempo eu acreditava nele, achava mesmo, de verdade, que ele seria uma saída para esse país. Aliás acreditava tanto que votei três vezes nele e não ganhou nenhuma. Depois da terceira, perdi a fé. Hoje vejo que estava certa.

*A praia já tinha muitos prédios, mas não havia mais chance de planejar melhor para evitar o paredão de concreto tão pertinho do mar.

*A praia já se ressentia de um negócio chamado 'turismo o ano todo', porque a sazonalidade dava sinais de esgotamento.

*As casas de excursão e as feiras livres de verão eram dor de cabeça quando a temporada se aproximava.

*Os ambulantes, camelôs eram outra forte polêmica na praia.

*O trânsito era 'problemão' naquela época e estacionar já era difícil.

*A Atlântica foi reurbanizada, ganhou calçamento moderno, quiosques que geraram muita confusão política na cidade e até uma surra histórica de cinta do prefeito em um vereador de oposição.

*Na Brava as pedreiras eram dor de cabeça, porque detonavam os morros e as questões ambientais começavam a ganhar espaço, mas abriam caminho para o desemprego.

*As invasões aconteciam na periferia. O Municípios era um loteamento só, ninguém sabia quem era dono do quê naquela região. Mas nos morros da Barra e do Nações as invasões aconteciam da noite pro dia, em ritmo de galope.

*A segurança era 'problemão' e as lideranças organizadas da cidade criaram um grupo chamado Intersindical, que lutava para conseguir mais policiamento pelo menos no verão. Fizeram alguns milhares de quilômetros até Floripa para pedichar mais policiais ao governador.

*Há 26 anos eu não tinha netos. Hoje tenho 5.

*Há 26 anos Balneário tinha 40 mil moradores. Hoje tem quase 140 mil.

*Há 26 anos a praia era soberana. Hoje tem forte concorrência na região.

*Há 26 anos a cidade pedia um Centro de Convenções, anseio que tem a mesma idade do jornal. Hoje estamos perto de inaugurar um.

*Há 26 anos a praia apresentava sinais de declínio, línguas de uma água preta fétida invadiam a areia, a sombra dos prédios atrapalhava o sol que todo mundo queria na praia. Hoje no lugar das línguas temos briozoários que fedem igual ou pior e a sombra segue 'assombrando' os turistas.

*Há 26 anos a praia era o principal cartão postal da cidade. Hoje divide com novas atrações que surgiram, primeiro o Cristo Luz e depois o Parque Unipraias.

*Há 26 anos existia um lugar famoso chamado Baturité, o point dos jovens, o começo de tantos amores, o ponto de encontro, boa música, bares e noites inesquecíveis para um bocado de gente. Hoje tem um edifício moderno naquele lugar batizado com o nome que continua na memória de todos: Baturité.

*Há 26 anos o campus da Univali começou em uma salinha de aula no bairro das Nações e logo em seguida foi lançada a pedra fundamental no bairro dos Municipios. Hoje é um conjunto de cursos e uma realidde: a Univali mudou, transformou aquele bairro.

*Há 26 anos escrevi um texto chamado 'Hora de Melhorar' enfatizando as principais situações que pediam mudanças. Hoje o texto segue atual, muitas daquelas situações não foram solucionadas. Podemos continuar dizendo que é 'Hora de Melhorar' e na edição impressa de julho, que está nas bancas, apresentamos o Mapa Temático e todas as sugestões que traz. A reportagem está intitulada "Balneário, 2030". Faltam apenas 13 anos e há mudanças audaciosas e belas. Um desafio para todos, administradores públicos e iniciativa privada. Eles precisam da ajuda de todos.

*Há 26 anos estas e outras histórias estão registradas em nossas páginas. Nós fomos ponte. Um canal entre a notícia e o leitor.

E isso não mudou.

--- 26 anos depois continuamos ponte.

--- 26 anos depois continuamos um canal de comunicação entre a notícia e o leitor.

E hoje com a velocidade da informação, imposta pela tecnologia, posso garantir que o conceito sobre 'FAZER JORNAL' não mudou, porque esse vem de dentro, nunca mudará, porque é nisso que acredito, é nisso que acredita a equipe Página3.

É por isso tudo que estamos comemorando muito esses 26 anos com vocês!

Escrito por Marlise Schneider, 26/07/2017 às 09h30 | lisi@pagina3.com.br

publicidade





publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br