Jornal Página 3
Coluna
Falando nisso
Por Marlise Schneider

Luz no 2015

Último dia do ano, dia de abraços, beijos, todo mundo desejando amor, paz, saúde, energia, tuuuuudo de bom.

Dia de agradecer a oportunidade de estar aqui agradecendo.

Mas também dia de fazer um balanço das coisas que marcaram, que doeram, que abalaram e nesses últimos dias a balança ficou bem pesada.

*A rebeldia da natureza cada vez mais presente, mostrando que estamos tratando mal nosso planeta, arrancando de uma só vez mais de 200 árvores na enuviada São Paulo...

*Mais um avião que caiu no mar...

*Mais uma família apagada porque o garotão excedeu na bebida e decidiu fazer um racha, apagando um pai e sua filha...e deixando em risco de morte a mãe e o outro filho...

*A corrupção que disseminou e está cada vez mais forte em todos os níveis...provocando um escândalo atrás do outro...e nós achamos que sabemos tudo o que rola nos bastidores federais, estaduais e municipais. Não sabemos quase nada. Perdemos a noção da ética. E continuamos assistindo a presidente dizendo que tudo isso é ficção. Ah e a culpa é da imprensa. Sempre.

*Em Balneário fomos atingidos pela Trato Feito...da missa não sabemos a metade! Ainda não terminou, mas será que os larápios serão mesmo punidos?

*Quatro pessoas da mesma família mortas por um raio na praia...

*Mais uma temporada com problemas de abastecimento na praia...estamos falando disso o ano todo e ficou por isso mesmo.

*O amigo que descobriu uma doença difícil poucos dias antes do Natal...

*Os pais que perderam seus três filhos eletrocutados na cerca do quintal da casa...

*O vizinho que resolveu colocar calçada nova, quebrou a velha e despejou todo o lixo, cimento, tijolos, no terreno baldio duas casas adiante...

*O governador piadista que mandou um 'super' reforço de 28 policiais para a praia...

*Falta de segurança é grande. A violência também. Assustador. Salve-se quem puder!

*Os vizinhos agroboys que vem fazer festa na 'casa da praia' e não deixam mais ninguém dormir...

*O aumento de salário que os deputados, senadores etc...se deram...saltando de R$ 29 mil para R$ 33 mil...

*O salário mínimo também aumentou oras...de R$ 724 para R$ 788. Tão reclamando por quê?

*A inflação correndo solta e todo mundo se fazendo de cego.

*O mole ministro Mantega até que enfim reconhecendo que a economia vai mal e o crescimento esperado para 2015 é de...0,2%...

 

Chega, chega!

O melhor neste momento é se fortalecer na fé, naquilo que acredita e mais uma vez agradecer por estar aqui, porque apesar de tudo isso, a vida é bela e muito passageira. Então muita luz neste 2015! Para todos.

Escrito por Marlise Schneider, 31/12/2014 às 09h11 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

Então é Natal...

 Aprendi que nesta época tudo fica melhor, as pessoas ficam mais harmoniosas, mais sensíveis, mais solidárias. 

Aprendi que é um período de assimilar coisas boas, energias positivas, afinal estamos celebrando um nascimento. Não é assim que fazemos em casa quando nasce alguém? Todo mundo fica eufórico, feliz, é sorriso pra todo lado e mensagens otimistas e positivas. 

Mas em meio a esse espírito que me invade e que aprendi a cultivar, parece que preciso fazer força para 'cobrir' fatos que estão ao nosso redor e pipocam nos noticiosos, me causando uma impressão preocupante para o ano novo que está chegando. Guerras e desavenças no mundo se fortalecendo.Por aqui também, estamos em guerra permanente, contra violência, tráfico, discriminação social...Na área econômica, os especialistas estão pessimistas. Dizem que é preciso ficar com as antenas ligadas para um período de recessão (?). Economizar onde for possível. No momento, aqui na praia, estamos economizando água, pra não faltar na semana mais populosa da praia. Corrupção? Onde tem? Não foi isso que a presidente Dilma disse essa semana aos jornalistas, que queriam saber sobre esse atoleiro brabo, essa pouca vergonha em que a Petrobras está envolvida. Falta de segurança, onde você vai, tem alguém reclamando...sem falar em outros problemas do nosso dia-a-dia, como saúde deficitária, sistema viário complicado e enervante, falta de estacionamento onde quer que se vá...como vamos sair de um ano com esses pepinos todos e iniciar um ano novo como se tudo fizesse parte do passado? 

Confesso que estou com dificuldades em desviar essas coisas do pensamento e pensar que nesta época tudo fica melhor. Será que isso também mudou? O conceito do 'tudo fica melhor' ainda é o mesmo? 

O jeito é se cercar de coisas boas, de companhias que amamos, de pessoas que nos fazem felizes. O jeito é desejar, desejar e desejar que as coisas melhorem para todos nós, para o país. O jeito é sonhar que políticos corruptos serão apeados do poder. Sonha nega!!! Não são eles que fazem as leis que tanto precisamos mudar para melhorar? Como então? Não foram eles que acabaram de se conceder um presentão de Natal, aumentando seus belos salários...enquanto o povo fica na merda, mas feliz da vida porque pode comprar (quase) tudo o que deseja em 10 vezes sem juros...como se não tivesse que pagar...acumulando dívidas que pagará o resto do ano...

Então a saída é acreditar. Ele nasceu para nos salvar. Acho que a proposta continua de pé. Com fé e força, iniciaremos um novo ano. Quero acreditar nisso. E ponto final.

 

Escrito por Marlise Schneider, 23/12/2014 às 14h45 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

Alma lavada

 Um deleite para os ouvidos e uma paz na alma...foi isso que a viagem musical pelo mundo do cinema, que a Camerata Florianópolis trouxe para Balneário Camboriú, na noite desta terça-feira (16), me proporcionou. O espetáculo praticamente lotou a igreja luterana Martin Luther e todos saíram de lá com gostinho de 'quero mais'. 

 

Os 23 músicos apresentaram 20 trilhas sonoras de filmes famosos, entre eles 'Smile' (Chaplin), 'O Poderoso Chefão', 'Perfume de Mulher', 'Indiana Jones', 'Star Wars' etc...e durante a apresentação de cada música, estavam passando cenas do filme, todos puderam 'viajar' no tempo. Estas trilhas conhecidas no mundo todo foram interpretadas por sons de violinos, violas, violoncelos, piano e violão/guitarra, tudo sob a regência do super simpático maestro Jeferson Della Rocca.

 

A produtora musical do espetáculo Maria Elita Pereira havia me dito na véspera que ela tem planos para Balneário Camboriú, porque o público daqui responde positivamente. Quando o espetáculo é bom, responde sim. Vale ressaltar a proposta destes músicos, de mudar aquele conceito de que música erudita é só pra rico, pra entendido etc. Eles querem o povo mais perto da música clássica, de violinos e violoncelos. E este não é o primeiro programa para a democratização do acesso a espetáculos eruditos. Já teve o projeto Concertos nas Comunidades, Turnês pelo interior do Estado, Rock, MPB e jazz. E Balneário Camboriú é um dos municipios que poderá receber vários desses concertos por ano, se os planos derem certo. Já estamos torcendo por isso.

 

Além de um grande espetáculo a Camerata Florianópolis está dando um passo gigante na tentativa de chegar perto do popular. Ontem chegou. Quem foi gostou. Deu pra sentir o clima positivo, uma energia muito boa que dominou o ambiente e quem lá esteve. Foi 10!

Escrito por Marlise Schneider, 17/12/2014 às 10h02 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

Sim, vamos deixar por isso mesmo

Já estou quase me 'acostumando' a perder em eleições...é um exercício de cidadania, no qual acredito, por isso faço o que considero certo e depois respeito a decisão da maioria. É assim que funciona, não é mesmo? 

 

Mas dentro das minhas convicções, e nos últimos anos isso tem se reforçado sobremaneira, me sinto uma espécie de palhaça, nesse contexto. Eu não suporto roubalheira, corrupção, porque aprendi que é errado e defendo essa verdade com veemência. Não consigo concordar, muito menos aceitar essa corrupção instalada no país, em todos os níveis. 

 

 

Por quê isso nunca acaba?

 

Por que os brasileiros aceitam passivamente uma situação como esta, carimbando mais um período para um governo que permite tudo que está acontecendo? Alguém pode explicar como se processa isso na cabeça dos brasileiros? Aquela vergonha do mensalão...a vergonha da Petrobras...escândalos que os brasileiros que lêem jornais e revistas, só ficam sabendo porque tem imprensa que corre atrás, investiga...senão nada disso viria a público...e mesmo assim, a maioria diz...sim, vamos deixar por isso mesmo.

O que há de errado comigo afinal?

 

Escrito por Marlise Schneider, 27/10/2014 às 11h09 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

Vamos deixar por isso mesmo?

 

Nos últimos dias a campanha 'embaralhou' as cabeças desse país, ou pelo menos, tentou. Tenho certeza que muitas cabeças 'foram feitas'. De um lado e de outro. Parece que estamos vivendo uma luta corporal, do bem e do mal, do certo e do errado, do passado e do presente...e acho que vai piorar nestas últimas horas antes do povo ir às urnas.

 

Lembro de algo parecido na minha infância e que me marcou. Era uma disputa frenética e acusações de tudo que era lado e onde eu morava, até os vizinhos se xingavam. Eu curtia porque um dos candidatos, Marechal Lott, distribuía botons, em forma de espada prateada e seu principal adversário, Jânio Quadros, distribuía botons em forma de vassourinhas douradas. Lott dizia que Jânio afundaria o país em dois toques. Jânio dizia que iria 'varrer' a sujeira do país. Marcas da política na infãncia. A vizinhança quase se matava por um ou outro. Eu aproveitava para colecionar espadas e vassouras.

 

Durante a semana acompanhei os programas da campanha, tem mais xingação do que projetos, tem ataques violentos e mentiras deslavadas e o Lula parece 'tremer' de raiva quando fala das aves adversárias. Perdeu a compostura. Não parece um ex-presidente. Mas qualquer brasileiro sabe que o homem não saciou sua fome e quer voltar ao trono. E isso vai acontecer, se o PT ganhar esta eleição.

 

Voto pelo fim da reeleição. Acho que muito tempo no poder, favorece a roubalheira, a impunidade vai se agigantando e o povo vai se ferrando. Acho que quatro anos é um bom tempo para governar. Depois dar lugar a outros projetos e outras ideias. Acredito que só assim o país voltará a crescer para todos e de verdade.

 

Além disso, gosto de mudança. Até aquelas que a gente faz dentro de casa, mudando um móvel de lugar, mudando as cores de um quarto, mudando o quadro do corredor, mudando o corte de cabelo, mudando o que tem dentro do guarda-roupa, mudando o que tem dentro da bolsa...dá um novo alento, um novo ânimo...quem não gosta de mudar?

 

A verdade é que faço parte daquele time de brasileiros que fica com vergonha quando os outros roubam...verdade, gente! Nos últimos anos, a roubalheira dominou esse país em todos os níveis, lá de cima, de onde deveria vir o exemplo, até aqui nas redondezas. É uma vergonha o que está acontecendo. Eu sinto vergonha de tudo isso e de deixarmos isso acontecer.

Vamos deixar por isso mesmo? 

 

Escrito por Marlise Schneider, 24/10/2014 às 14h48 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

PELO FIM DA REELEIÇÃO

 

Desde semanas antes do primeiro turno tenho perguntado aos meus botões quem, afinal, está no comando desse país? A presidente está em campanha pela reeleição, o vice-presidente também está...os ministros também estão...então se supõe que estamos 'ao Deus dará'. Por essa e outras, sou firmemente contra a reeleição. Penso que ela, a reeleição, é uma das responsáveis pelo lamaçal de ladroagem (existe essa palavra???) que se instalou em todos os níveis desse país. Em todos os níveis mesmo.

 

Parece que quanto mais m....aparece, mais eles fazem. Tá faltando ventilador no mercado e sobrando m....e impunidade.

É triste, mas é verdade. Estamos cansados de ouvir e ler sobre tantas barbaridades. Quando isso vai parar? Agora mesmo nessa campanha o que mais se ouve são tiroteios de ambos os lados, acusações, tudo ligado a corrupção, a roubalheira e nós ficamos assistindo...pouco se ouve sobre planos de governo, projetos, o que vai mudar de verdade...

Essa semana participei de uma reunião, onde a maioria é classe média ou classe média baixa e ali senti que o pessoal está muito, mas muito indignado com a roubalheira, corrupção na Petrobras, algo que chocou os brasileiros e a presidente tenta de todas as maneiras desconversar, não toma uma atitude...também senti irritação com o bolsa-família, diziam que esse 'paternalismo social' não incentiva o trabalho, o emprego, tem um 'bocado' de gente atirada nas cordas...exatamente essa a expressão que escutei! E enquanto isso essa classe trabalhadora, classe média e média baixa, é sacrificada, vai no mercado e os preços subiram, vai abastecer e o preço vai subir logo, logo...tem que pagar plano de saúde (caríssimos), tem que mandar os filhos pra colégio particular, paga impostos sobre tudo que consome...senti que o pessoal cansou, porque paga, paga e paga de novo pra depois ver e ouvir corrupção por todos os lados...é ela, a corrupção, quem está consumindo o povo...ah e ainda querem mudar a lei pra fechar a boca da imprensa. O pouco-que-se-sabe é graças à imprensa. Ou não?

Por tudo isso que escutei e por tudo que penso, acho que está mesmo na hora de mudar e acabar com a reeleição será uma mudança que beneficiará o povo e intimidará o lastro da corrupção nesse país. Em todos os níveis. Eu ainda acredito.

 

 

Escrito por Marlise Schneider, 15/10/2014 às 12h20 | lisi@pagina3.com.br

publicidade

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br