Jornal Página 3
Coluna
Fabular é preciso!
Por Fabi Langaro Loos

Sweden Rock Festival 2017

Mais um ano, mais uma viagem e mais uma edição do Sweden Rock Festival para colocar na conta de bons momentos vividos. Esse foi o oitavo ano consecutivo que viajei para a Suécia a fim de curtir o festival de música que considero o melhor entre tantos outros mundo afora, tanto pelo estilo musical, quanto pela organização do festival.

Classic rock, hard rock, metal e um pouco de blues para todos os gostos. Segurança, localização perto do mar, poucas filas, boa visibilidade dos palcos, banheiros limpos, área vip, área de imprensa, múltiplas barracas com venda de produtos como camisetas, cds, discos de vinil, acessórios, roupas e merchandising, casa de câmbio, supermercado, camping, enfim, essas são algumas das características e atrações do Sweden Rock Festival, realizado anualmente, desde 1992, na Suécia.

Inicialmente, o festival recebeu outros nomes e ocorreu em outras cidades suecas. Em 1999 foi, definitivamente, intitulado como Sweden Rock Festival e, desde então, é realizado em Sölvesborg. São quatro dias de festival, com cinco palcos simultâneos e mais de oitenta bandas. Nesse ano, o festival ocorreu nos dias 7, 8, 9 e 10 de junho e, para manter a ordem e a qualidade do evento, em cada dia o limite de público fica estabelecido em no máximo 33 mil pessoas.

Nessa edição, entre as bandas que estiveram por lá, podemos destacar Aerosmith, Scorpions, In Flames, Running Wild, Venom, Saxon, The Dead Daisies, Rival Sons, Ratt, Doro Pesch and Warlock, Kix, Iced Earth, Black Star Riders, Metal Church, Helix, Dare, Great King Rat, Grave Digger, Electric Boys, Primal Fear, Treat, Picture, Artch, Alter Bridge, Steel Panther, Apocalyptica, Edguy, Mustasch, Gotthard, Candlemass, Hardline, Lucifer´s Friends, Grand Magus e Sweden Rock Symphony Orchestra.

Mesmo sendo início de verão europeu, é preciso ir ao festival com roupas para quatro estações pois durante o dia é relativamente quente, mas sempre sopra um vento marinho que faz a temperatura diminuir bastante com o cair da noite. E também há pancadas de chuva. No quesito alimentação, há uma grande variedade de comidas, para todos os paladares, inclusive para veganos e celíacos, afinal, a organização não esquece de nada. E para amantes de café, como eu, sempre há um carrinho de café disponível em algum canto do festival, ótimo para esquentar o corpo quando o frio aparece. Senão, podemos escolher entre vinho, cerveja e água. Além de outros tipos de drinks na área vip e de imprensa.

Poderia contar muito mais sobre o festival e sobre as inúmeras histórias que aconteceram por lá, falar da sensação incrível que é assistir shows tão perto das bandas e de maneira tão confortável e segura, além da boa recepção e da alegria dos suecos durante todo o festival que preza pelo espírito de amizade, liberdade, confraternização, paz e amor. Então, para resumir o quanto amo esse festival, só tenho a dizer: Até 2018, Sweden Rock Festival!

Galera do Brasil no Sweden Rock Festival 2017

A boa vibe do Sweden Rock Festival! 

Uma coelhinha no Sweden Rock Festival

Festival Stage, o palco principal do Sweden Rock Festival, à noite, com céu ainda azul.

Um pouco dos quatro dias de Sweden Rocl Festival, no video feito por TheSwedishLad: 

 See you in 2018, Sweden Rock Festival!

Escrito por Fabi Langaro Loos, 29/06/2017 às 21h44 | fabiloos@terra.com.br

publicidade





publicidade









Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br