Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

O pior está por vir

No final deste ano a prefeitura de Balneário irá reajustar o IPTU, e se usar a correção pelo IGPM, como ocorreu na virada de 2016 para 2017, esta variação será inferior a 2%.

Tenho escrito repetidas vezes que o sistema de remuneração do funcionalismo municipal é insustentável porque só de triênio (10% de aumento a cada três anos) os salários aumentam em média 3,33% ao ano.

Em economia com inflação baixa isso abre um buraco na conta pública.

Se o município corrige sua arrecadação em menos de 2% e aumenta sua despesa salarial em no mínimo 3,33%, como essa conta pode fechar?

Triênio não deveria existir, mas existe, é um direito adquirido que prefeito algum teve coragem de eliminar para os novos que ingressarem no serviço público daqui em diante.

A prefeitura não conseguiu colocar em prática uma nova Planta de Valores que poderia aumentar a receita do IPTU então, sinceramente, acho que haverá problemas financeiros no ano que vem.

Se os números do portal da transparência do município estão corretos, faltando três meses para o final do ano a prefeitura arrecadou 74% da receita estimada, portanto mantida a média chegará a 95%, se chegar.

Parece pouco, mas é uma diferença de R$ 30 milhões faltando em caixa.

Em 2016 o cenário foi bem diferente, a cidade arrecadou 13% a mais do que o esperado e em 2015 foram 9,5%.

Não quero bancar o agourento, mas se eu fosse prefeito a essa hora já estaria pensando num jeito de cortar radicalmente as despesas, apesar de todo o impacto político negativo que isso causa.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 20/09/2017 às 11h28 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade





publicidade









Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br