Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Piruka age tipo boneco-biruta

Há algumas semanas o vereador Piruka (PP) resolveu falar balançando os braços teatralmente, tipo esses bonecos-birutas que ficam em frente a pontos comerciais.

Ele pensa que está num palco, corre o risco da mosca azul estragar o rapaz.

Ontem ele voltou a fazer isso, nos bastidores da sessão que elegeu a nova mesa diretora da Câmara.

Reclamava que todos ali, exceto ele, naturalmente, estavam sob o comando do novo prefeito.

Falta ao Piruka leitura correta da realidade. Todos ali estavam sob o comando das forças políticas; um bloco de 8 do governo eleito; um bloco de 5 do PMDB etc.

Seu partido, o PP, tem apenas 3 votos, perdeu a eleição para a prefeitura.

O nome disso é política, processo democrático.

Enquanto Piruka bancava o boneco de vento seu colega de partido, Marcelo Achutti, mais ligeiro, tentava negociar a entrada do PP na composição da mesa, ficando ele como vice-presidente ...

No final o PP –que até pouco tempo atrás era comandado pelo Edson Piriquito, lembra Piruka?)- ficou com a segunda secretaria, pelo critério de proporcionalidade.

Na saída eu disse ao Meirinho (do PP) que considerava ele uma pessoa adequada para presidir a Câmara. E continuo considerando.

Ao Piruka, penso eu, falta a substância que tiveram outros oposicionistas históricos no Legislativo: Leonel Pavan que mostrava ao povo que a elite oprimia; Aristo Manoel Pereira e Claudir Maciel com seu conhecimento dos trâmites; o messianismo de Edson Piriquito ou o conhecimento acadêmico de Marisa Fernandes.

Piruka, por enquanto, só balança os braços e isso não basta.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 02/01/2017 às 09h18 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Índio não é bobo

Sem sinal
O chefe da Varitus, empresa do setor de notas fiscais eletrônicas escreveu artigo mostrando que a falta de internet obriga produtores rurais a emitirem 8,5 milhões de notas fiscais em papel e isso custa R$ 3,5 milhões.

Sem sinal 2
Quem tem recursos tecnológicos à mão nem se dá conta de como é complicado para quem não tem.

Sem sinal 3
O Brasil é muito grande, só o rádio cobre todo o território.

Sem sinal 4
O economista norte americano Nathaniel Leff escreveu em “Subdesenvolvimento e Desenvolvimento no Brasil” que um dos motivos do nosso atraso foi a falta de integração do mercado interno e alto custo do transporte.

Sem sinal 5
Olhando assim alguém pode imaginar que ele se referia ao Brasil de agora, mas não o tema era 200 anos atrás. Ele compara nós com os Estados Unidos com seus rios navegáveis, depois trens etc...

Sem sinal 6
Quem assiste Globo Rural vê a toda hora a agricultura e a pecuária sofrendo com transporte. Há dois séculos é assim. Poucas décadas atrás levar um produto daqui até Curitiba já era uma façanha, então Leff, cujas teses após sua morte passaram a ser tratadas com mais atenção, parece ter acertado no alvo.

Bem feito
Fui falar mal de Blumenau e já levei uma no nariz. Leitora telefonou dizendo que lá pelo menos se sabe quem fundou a cidade e Balneário nem fundador teve.

Espelhinhos
A CDL sugeriu a construção de um espaço “com mais qualidade e atrativos comerciais, valorizando a cultura indígena” para tirar os índios do centro da cidade. Índio deixou de ser bobo, não aceitou.

Espelhinhos 2
Os índios têm direito de ocupar 29 pontos comerciais. Cabe à sociedade dar uma solução honesta e criativa, empurrar para um canto não resolve.

Anos depois
Há muitos anos entrego jornais todos os sábados no Supermercado Xande. No começo, 25 anos atrás, eu entregava em todas as bancas, depois fiquei com uma só, para não perder totalmente o contato com o canal de vendas.

Anos depois
Hoje é o último sábado que vou entregar jornais, o Página 3 será mensal e deixarei esse encargo ao colega que cuida das bancas. Vou sentir falta? Bem... ter uma obrigação todo sábado na mesma hora, por tanto tempo, acaba cansando.

Herança
Edson Piriquito deixará de ser prefeito dentro de poucos dias. Já vai tarde, mas a herança que nos deixou assombrará a cidade durante muitos anos.

Herança 2
Porque corroeu a estrutura. No seu governo campeou o empreguismo, a corrupção e o descompromisso com a coisa pública, com a cidade.

De passagem
Leonel Pavan apareceu esta semana na audiência que discutiu o centro de eventos. Ficou meia hora e foi embora. Ele deve assumir a secretaria estadual do turismo.

Bar
Existem malucos para tudo, até para irem a um bar de gelo numa cidade litorânea de um país tropical.

Bar 2
A cidade é Balneário Camboriú que terá não apenas um, mas dois bares desse tipo. Um no centro e outro na Barra Sul.

Bar 3
Aqui, no verão, tudo já começa em dobro e se der certo na próxima temporada teremos 40 bares de gelo.

Atravessado
Normalmente não carrego sapos na goela, mas neste ano carreguei, de um presidente de sindicato laboral aqui da cidade que disse serem vagabundas as pessoas que iam as ruas protestar contra a quadrilha do PT.

Atravessado 2
Vagabundo para mim é sindicalista que defende ladrão. Vagabundo para mim é sindicalista que coloca interesses pessoais e políticos acima dos interesses dos trabalhadores.

Atravessado 3
Está acontecendo agora, sindicatos se posicionam contra a flexibilização da legislação trabalhista mesmo sabendo que é necessário alterar leis de 50 anos atrás que engessam as relações empregado-empregador.

Atravessado 4
Isso gera atraso na economia do país e menos vagas, o empregador se retrai. O empregado fica sem emprego e o vagabundo do sindicalista continua recebendo o dele. E sem trabalhar porque a maioria desses vagabundos realmente não trabalha, vive do trabalho alheio.

Reparem
No currículo do secretário da fazenda do governo Fabrício, Weslei Galvão dos Santos. Não me lembro da prefeitura ter no passado um profissional com experiência e títulos acadêmicos tão vistosos.

 
 
2014
Superintendente de Auditoria Interna
§ FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos            Rio de Janeiro - RJ
Empresa pública federal, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Financia estudos, projetos e programas de interesse para o desenvolvimento econômico, social, científico e tecnológico do País.
- Administração Geral do Departamento de Auditoria Interna
2012 - 2013
Secretário Executivo
§ ECONOMUS – Instituto de Seguridade Social              São Paulo - SP
Entidade Fechada de Previdência Complementar, de fins previdenciais e de assistência à saúde, não lucrativos.
 
-         Assessoria à Presidência.
-         Coordenação dos trabalhos de secretariado ao Conselho Deliberativo, ao Conselho Fiscal e à Diretoria Executiva.
-         Coordenação do Comitê Executivo.
-         Coordenação das áreas de Planejamento Estratégico, Estrutura Organizacional e Comunicação Institucional.
2011
Auditor Geral
§ ECONOMUS – Instituto de Seguridade Social              São Paulo - SP
 
-         Implantação da Auditoria Interna no Economus.
-         Administração Geral e da área de Auditoria Interna e coordenação dos trabalhos de auditoria.
2003 – 2010
Auditor Sênior – GA Mercado Financeiro e de Capitais
§ BANCO DO BRASIL                                                      Rio de Janeiro - RJ
 
-         Coordenação e realização de auditorias de processos na PREVI, BB-DTVM, Diretoria de Finanças e Diretoria de Mercado de Capitais do BB:
- Tesouraria (Finanças)
- Precificação de Produtos e Serviços (Finanças)
- Precificação de Ativos de Renda Fixa (BB-DTVM)
- Precificação de Ativos de Renda Variável (Previ)
- Oferta Pública de Ações do Banco do Brasil em 2009 (DIMEC).
2001 – 2002
Auditor Sênior – GA Contabilidade
§ BANCO DO BRASIL                                                                Brasília - DF
 
-         Realização de auditorias na Diretoria de Contabilidade e Controladoria, como: Processo Orçamentário e Orçamento de Investimentos Fixos (Orfix).
 
Formação
§ Graduação em Direito
§ Pós-graduação em Direito e Política Tributária (FGV-DF)
§ MBA Auditoria (FIPECAFI-SP)
§ Administração Financeira (FGV-RJ)
§ Especialização em Métodos Atuariais (ENCE-RJ)
§ Pós-graduação em Gestão de Fundos de Pensão (FIPECAFI-SP)
 
 
 

 

Boas festas
Desejo tudo de bom às minhas nove leitoras. A lista com os destaques do ano de 2016 será publicada aqui, nos próximos dias.

 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 28/12/2016 às 08h43 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Faltou mulher e comunicação


O prefeito eleito Fabrício Oliveira cometeu grave erro ontem ao anunciar um secretariado composto só por homens.

Pegou mal, bem mal sendo merecida a reprovação que li nas redes sociais.

Foi principalmente erro de comunicação porque Fabrício poderia ter revelado que para diversas secretarias foram sondadas e até convidadas mulheres.

Também poderia ter dito que dos quatro colaboradores do primeiro time que ainda serão anunciados, provavelmente dois (educação e comunicação) serão mulheres.

Fato relevante que ele omitiu: é mulher a futura gestora do Fundo Municipal de Saúde, cargo equivalente ao de secretária com a responsabilidade de gerir um orçamento maior do que o da vizinha Camboriú.

Arrisco dizer que possivelmente metade ou mais dos cargos de confiança serão ocupados por mulheres, na maioria servidoras de carreira.

Merecida reprovação repito, mas já repararam minhas nove leitoras que também esquecemos as mulheres?

Sim, elas são maioria no eleitorado e só elegemos uma, a vereadora Juliethe.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 21/12/2016 às 08h43 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Não precisa lavar dinheiro com origem

Desde sábado, quando publique matéria dizendo ser ilógico achar que o pastor Silas Malafaia e outros pastores ou igrejas evangélicas lavaram dinheiro de um esquema supostamente criminoso no Pará, que envolve um advogado de Balneário Camboriú, estou tomando coices.

O problema para quem me escoiceia é que eu estou certo e vocês errados.

Em seu boletim sobre a operação (leia a íntegra aqui) a Policia Federal escreveu que “a suspeita a ser esclarecida pelos policiais é que este líder religioso (Malafaia) pode ter emprestado contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores...”.

Eu acredito que a essa altura a PF já deve ter percebido que cometeu um erro, Malafaia não lavava dinheiro pelo simples e bom motivo que este dinheiro não precisa ser lavado.

É dinheiro obtido de maneira oficial, com a chancela do próprio judiciário.

O advogados Jader Alberto Pazinato, morador de Balneário Camboriú, firmou contratos com municípios onde existe mineração para cobrar das mineradoras a chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais.

São bilhões de reais sonegados por grandes mineradoras voando por aí, à espera de advogados empreendedores.

A PF diz que em algum momento Jader teria deixado de ser empreendedor e se transformado em criminoso, pagando propinas a agentes públicos para obter prefeituras-clientes e informações privilegiadas no Departamento Nacional de Produção Mineral.

Jader, um homem muito rico, é membro da igreja Embaixada do Reino de Deus, foi um dos fundadores. Doou dinheiro ao candidato Fabrício Oliveira na eleição de 2014. E prestou consultoria ao deputado Fabrício em 2016.  

Os documentos reproduzidos abaixo, do Portal da Transparência da Prefeitura Municipal de Parauapebas, mostram que o advogado Jader recebeu em dois anos R$ 56.478,964,16.

Se ele recebeu e está no Portal da Transparência, qual a necessidade de lavar? Nenhuma, obviamente.

O outro documento é do Tribunal de Justiça do Pará, descreve os processos que deixaram o advogado de Balneário milionário.

Não estou discutindo se o advogado é pilantra ou deixa de ser isso será apurado no curso do inquérito e do processo.

Estou afirmando sim é que não existe lavagem de dinheiro em igrejas neste caso, nem no cheque dado a Malafaia, nem nas contribuições que o advogado faz regularmente à igreja que frequenta.

 


 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 19/12/2016 às 10h13 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Papagaios da RBS e as praias

Veículos da RBS noticiaram que uma ONG, o Instituto Pronatura, vai analisar as areias de algumas praias, inclusive da nossa central para ver se estão contaminadas.

Não precisa analisar, elas estão, é fato conhecido que as areias de dezenas de praias brasileiras padecem deste problema.

A nossa tem sua situação agravada pela concentração de briozoários, problema de difícil solução e que nem os estudiosos conseguiram ainda entender direito.

A RBS tem repórteres que praticam jornalismo papagaio, não conseguem perceber o que se esconde por trás de uma notícia. Com isso, causam danos a comunidades inteiras do litoral catarinense. 

Vamos aos fatos:

Não se encontra na internet menções de ações ambientais relevantes promovidas por essa ONG.

Na verdade, não encontrei menção nenhuma à essa ONG, se existe está bem escondida na rede.

Ela é representada por Jackson Gilberto Trindade Favero que desde 2011 (leia aqui) vem tentando motivar políticos e governantes a adotarem soluções para limpeza de areias de praias fornecidas por ele.

Me procurou algumas vezes, senti o cheiro de dinheiro no ar e pulei fora.

Tenho provas disso, até o Nelson Nitz, um engenheiro experiente quase embarcou nessa conversa anos atrás quando era, se a memória não me trai, vereador.

Outras pessoas foram procuradas por Jackson e escutaram a mesma lenga-lenga.

O objetivo é mercantil. Jacson é ou era dono da Comercial Tecnobio e Química Ltda – ME e para ele é conveniente falar sobre praias poluídas quando elas estão prestes a encher de turistas porque isso pressiona as autoridades a arranjarem uma solução.

Existem máquinas que limpam praias, precisa ser uma ação contínua de governo e não esporádica de uma ONG que tem por trás interesses mercantis.

Basta lembrar que o ex-secretário do meio ambiente Raimundo Malta limpava a praia central com uma geringonça atrelada a um trator. O futuro secretário, Ike Gevaerd, lembra disso, participou disso.  

As máquinas que limpam praias são parecidas com a geringonça inventada pelo Malta e que funcionava bem.

Para + infos sobre limpeza de areia de praias visite os links

http://www.hbarber.com/Cleaners/Beach_Cleaning_Equipment.html

http://www.beach-tech.com/en.html

http://www.beachcleaner.com/beach-cleaner-faq.html
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/12/2016 às 11h38 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Greve em Blumenau

 

Férias
Leio nos jornais de Blumenau que funcionários da Cremer ameaçaram entrar em greve porque a empresa não pretende conceder férias coletivas no final do ano.

Férias 2
Os funcionários alegam que é hábito, a empresa não se manifestou. Hoje a Cremer é uma Sociedade Anônima, tem fábricas em outros estados, parte do grupo está em mãos de capitais internacionais que estão se lixando para o que um dia foi ou deixou de ser hábito.

Férias 3
Sei que Blumenau é uma droga nesta época, um calor dos infernos, não bate um ventinho e quem está lá trabalhando fica pensado numa beira de praia, cervejotas... mas, as coisas são como são... pedidos de fornecedores, crise de mercado, crise de emprego etc...

Férias 4
Vim morar em Balneário para cuidar de uma empresa carioca que tinha um pequeno escritório em Blumenau. Fique dois anos andando numa estrada projetada por asnos, repleta de lombadas, aturando um clima horroroso, trocava de camisa várias vezes por dia. E tinha, em parte, um povo de nariz empinado que parecia se sentir acima dos demais, em especial aqueles que não tivessem a pele branca e o cabelo amarelinho.

Férias 5
Alguns gostavam de considerar os índios incapazes e os portugueses burros. Pois, com todo o respeito, penso que um dos homens mais burros que já veio para Santa Catarina foi o fundador de Blumenau que construiu uma cidade num local que submerge nas águas regularmente.

Férias 6
Os índios “incapazes”, preferiram rio acima, pros lados de Ibirama, onde não bate água. Outros mais incapazes ainda se fixaram na Praia de Laranjeiras esse local feioso e com vento frio que temos aqui perto.

Férias 7
Enquanto isso os portugueses “burros” foram morar na foz do Itajaí, na foz do Camboriú, no Caixa d´Aço, em Porto Belo, na Ilha do Desterro... locais onde hoje os espertos descendentes do Dr. Blumenau querem ir de qualquer forma e ameaçam greve se não puderem.

Férias 8
Blumenauenses não gostam de críticas, seu senso de humor costuma ser semelhante ao de um tijolo. Adoro provocar meus amigos blumenauenses no boteco, eles ficam irados.

Férias 9
Eu admirava o sistema empresarial de Blumenau, com os empregos passando de pai para filho, a vida social e esportiva em torno da empresa, aquele conceito do deixa que nós cuidamos dos nossos empregados.

Férias 10
Por essa época insensatos da CUT e da CGT conseguiram promover a primeira greve dos têxteis em Blumenau e região em mais de 100 anos. Coincidência ou não o setor têxtil nunca mais foi o mesmo, empresas faliram ou foram vendidas e nenhum sindicalista arranjou emprego para os trabalhadores demitidos.

Férias 11
Zezinho, meu concunhado, calejado no ambiente fabril de São Paulo, costuma dizer que sindicalista bom é sindicalista morto. E que petistas deveriam estar todos na cadeia. Ficou assim depois que sua cidade, São José dos Campos, foi governada pelo PT.

Férias 12
Digo que é melhor trabalhar num feriadão de final de ano do que não ter emprego, por isso no fundo, no fundo, não entendo os funcionários da Cremer.

Datafolha
Lula lidera a corrida para a Presidência, mas seu melhor desempenho nos diferentes cenários chega a 26%. Lula tem 44% de rejeição e Temer 45%.

Datafolha 2
Marina Silva lidera quase todos os cenários no segundo turno e isso mostra o buraco da falta de lideranças que o Brasil se meteu.

Datafolha 3
Suponho que as pessoas prefiram Marina porque ela é quem tem mais aparência de honesta já que seu currículo executivo é mais magro do que o da Dilma, foi ministra do meio ambiente e mais nada.

Datafolha 4
Da cartola onde poderia sair um coelho, o ninho tucano, só surgem indícios de escândalos envolvendo a cúpula partidária. E o eleitor, parece, está de saco cheio dos Serras, Alckmins e Aécios da vida.

Datafolha 5
Terreno fértil para salvadores da pátria ou figuras de extrema direita tipo Bolsonaro. Pelo que escuto continuamos procurando o que o brasileiro mais gosta, um ditadorzinho, alguém que pense por nós, que nos dê relativa estabilidade, pode até ser meio ladrão como foi Getúlio ou bem ladrão como é Lula.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/12/2016 às 07h01 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br