Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Faltou mulher e comunicação


O prefeito eleito Fabrício Oliveira cometeu grave erro ontem ao anunciar um secretariado composto só por homens.

Pegou mal, bem mal sendo merecida a reprovação que li nas redes sociais.

Foi principalmente erro de comunicação porque Fabrício poderia ter revelado que para diversas secretarias foram sondadas e até convidadas mulheres.

Também poderia ter dito que dos quatro colaboradores do primeiro time que ainda serão anunciados, provavelmente dois (educação e comunicação) serão mulheres.

Fato relevante que ele omitiu: é mulher a futura gestora do Fundo Municipal de Saúde, cargo equivalente ao de secretária com a responsabilidade de gerir um orçamento maior do que o da vizinha Camboriú.

Arrisco dizer que possivelmente metade ou mais dos cargos de confiança serão ocupados por mulheres, na maioria servidoras de carreira.

Merecida reprovação repito, mas já repararam minhas nove leitoras que também esquecemos as mulheres?

Sim, elas são maioria no eleitorado e só elegemos uma, a vereadora Juliethe.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 21/12/2016 às 08h43 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Não precisa lavar dinheiro com origem

Desde sábado, quando publique matéria dizendo ser ilógico achar que o pastor Silas Malafaia e outros pastores ou igrejas evangélicas lavaram dinheiro de um esquema supostamente criminoso no Pará, que envolve um advogado de Balneário Camboriú, estou tomando coices.

O problema para quem me escoiceia é que eu estou certo e vocês errados.

Em seu boletim sobre a operação (leia a íntegra aqui) a Policia Federal escreveu que “a suspeita a ser esclarecida pelos policiais é que este líder religioso (Malafaia) pode ter emprestado contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores...”.

Eu acredito que a essa altura a PF já deve ter percebido que cometeu um erro, Malafaia não lavava dinheiro pelo simples e bom motivo que este dinheiro não precisa ser lavado.

É dinheiro obtido de maneira oficial, com a chancela do próprio judiciário.

O advogados Jader Alberto Pazinato, morador de Balneário Camboriú, firmou contratos com municípios onde existe mineração para cobrar das mineradoras a chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais.

São bilhões de reais sonegados por grandes mineradoras voando por aí, à espera de advogados empreendedores.

A PF diz que em algum momento Jader teria deixado de ser empreendedor e se transformado em criminoso, pagando propinas a agentes públicos para obter prefeituras-clientes e informações privilegiadas no Departamento Nacional de Produção Mineral.

Jader, um homem muito rico, é membro da igreja Embaixada do Reino de Deus, foi um dos fundadores. Doou dinheiro ao candidato Fabrício Oliveira na eleição de 2014. E prestou consultoria ao deputado Fabrício em 2016.  

Os documentos reproduzidos abaixo, do Portal da Transparência da Prefeitura Municipal de Parauapebas, mostram que o advogado Jader recebeu em dois anos R$ 56.478,964,16.

Se ele recebeu e está no Portal da Transparência, qual a necessidade de lavar? Nenhuma, obviamente.

O outro documento é do Tribunal de Justiça do Pará, descreve os processos que deixaram o advogado de Balneário milionário.

Não estou discutindo se o advogado é pilantra ou deixa de ser isso será apurado no curso do inquérito e do processo.

Estou afirmando sim é que não existe lavagem de dinheiro em igrejas neste caso, nem no cheque dado a Malafaia, nem nas contribuições que o advogado faz regularmente à igreja que frequenta.

 


 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 19/12/2016 às 10h13 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Papagaios da RBS e as praias

Veículos da RBS noticiaram que uma ONG, o Instituto Pronatura, vai analisar as areias de algumas praias, inclusive da nossa central para ver se estão contaminadas.

Não precisa analisar, elas estão, é fato conhecido que as areias de dezenas de praias brasileiras padecem deste problema.

A nossa tem sua situação agravada pela concentração de briozoários, problema de difícil solução e que nem os estudiosos conseguiram ainda entender direito.

A RBS tem repórteres que praticam jornalismo papagaio, não conseguem perceber o que se esconde por trás de uma notícia. Com isso, causam danos a comunidades inteiras do litoral catarinense. 

Vamos aos fatos:

Não se encontra na internet menções de ações ambientais relevantes promovidas por essa ONG.

Na verdade, não encontrei menção nenhuma à essa ONG, se existe está bem escondida na rede.

Ela é representada por Jackson Gilberto Trindade Favero que desde 2011 (leia aqui) vem tentando motivar políticos e governantes a adotarem soluções para limpeza de areias de praias fornecidas por ele.

Me procurou algumas vezes, senti o cheiro de dinheiro no ar e pulei fora.

Tenho provas disso, até o Nelson Nitz, um engenheiro experiente quase embarcou nessa conversa anos atrás quando era, se a memória não me trai, vereador.

Outras pessoas foram procuradas por Jackson e escutaram a mesma lenga-lenga.

O objetivo é mercantil. Jacson é ou era dono da Comercial Tecnobio e Química Ltda – ME e para ele é conveniente falar sobre praias poluídas quando elas estão prestes a encher de turistas porque isso pressiona as autoridades a arranjarem uma solução.

Existem máquinas que limpam praias, precisa ser uma ação contínua de governo e não esporádica de uma ONG que tem por trás interesses mercantis.

Basta lembrar que o ex-secretário do meio ambiente Raimundo Malta limpava a praia central com uma geringonça atrelada a um trator. O futuro secretário, Ike Gevaerd, lembra disso, participou disso.  

As máquinas que limpam praias são parecidas com a geringonça inventada pelo Malta e que funcionava bem.

Para + infos sobre limpeza de areia de praias visite os links

http://www.hbarber.com/Cleaners/Beach_Cleaning_Equipment.html

http://www.beach-tech.com/en.html

http://www.beachcleaner.com/beach-cleaner-faq.html
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/12/2016 às 11h38 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Greve em Blumenau

 

Férias
Leio nos jornais de Blumenau que funcionários da Cremer ameaçaram entrar em greve porque a empresa não pretende conceder férias coletivas no final do ano.

Férias 2
Os funcionários alegam que é hábito, a empresa não se manifestou. Hoje a Cremer é uma Sociedade Anônima, tem fábricas em outros estados, parte do grupo está em mãos de capitais internacionais que estão se lixando para o que um dia foi ou deixou de ser hábito.

Férias 3
Sei que Blumenau é uma droga nesta época, um calor dos infernos, não bate um ventinho e quem está lá trabalhando fica pensado numa beira de praia, cervejotas... mas, as coisas são como são... pedidos de fornecedores, crise de mercado, crise de emprego etc...

Férias 4
Vim morar em Balneário para cuidar de uma empresa carioca que tinha um pequeno escritório em Blumenau. Fique dois anos andando numa estrada projetada por asnos, repleta de lombadas, aturando um clima horroroso, trocava de camisa várias vezes por dia. E tinha, em parte, um povo de nariz empinado que parecia se sentir acima dos demais, em especial aqueles que não tivessem a pele branca e o cabelo amarelinho.

Férias 5
Alguns gostavam de considerar os índios incapazes e os portugueses burros. Pois, com todo o respeito, penso que um dos homens mais burros que já veio para Santa Catarina foi o fundador de Blumenau que construiu uma cidade num local que submerge nas águas regularmente.

Férias 6
Os índios “incapazes”, preferiram rio acima, pros lados de Ibirama, onde não bate água. Outros mais incapazes ainda se fixaram na Praia de Laranjeiras esse local feioso e com vento frio que temos aqui perto.

Férias 7
Enquanto isso os portugueses “burros” foram morar na foz do Itajaí, na foz do Camboriú, no Caixa d´Aço, em Porto Belo, na Ilha do Desterro... locais onde hoje os espertos descendentes do Dr. Blumenau querem ir de qualquer forma e ameaçam greve se não puderem.

Férias 8
Blumenauenses não gostam de críticas, seu senso de humor costuma ser semelhante ao de um tijolo. Adoro provocar meus amigos blumenauenses no boteco, eles ficam irados.

Férias 9
Eu admirava o sistema empresarial de Blumenau, com os empregos passando de pai para filho, a vida social e esportiva em torno da empresa, aquele conceito do deixa que nós cuidamos dos nossos empregados.

Férias 10
Por essa época insensatos da CUT e da CGT conseguiram promover a primeira greve dos têxteis em Blumenau e região em mais de 100 anos. Coincidência ou não o setor têxtil nunca mais foi o mesmo, empresas faliram ou foram vendidas e nenhum sindicalista arranjou emprego para os trabalhadores demitidos.

Férias 11
Zezinho, meu concunhado, calejado no ambiente fabril de São Paulo, costuma dizer que sindicalista bom é sindicalista morto. E que petistas deveriam estar todos na cadeia. Ficou assim depois que sua cidade, São José dos Campos, foi governada pelo PT.

Férias 12
Digo que é melhor trabalhar num feriadão de final de ano do que não ter emprego, por isso no fundo, no fundo, não entendo os funcionários da Cremer.

Datafolha
Lula lidera a corrida para a Presidência, mas seu melhor desempenho nos diferentes cenários chega a 26%. Lula tem 44% de rejeição e Temer 45%.

Datafolha 2
Marina Silva lidera quase todos os cenários no segundo turno e isso mostra o buraco da falta de lideranças que o Brasil se meteu.

Datafolha 3
Suponho que as pessoas prefiram Marina porque ela é quem tem mais aparência de honesta já que seu currículo executivo é mais magro do que o da Dilma, foi ministra do meio ambiente e mais nada.

Datafolha 4
Da cartola onde poderia sair um coelho, o ninho tucano, só surgem indícios de escândalos envolvendo a cúpula partidária. E o eleitor, parece, está de saco cheio dos Serras, Alckmins e Aécios da vida.

Datafolha 5
Terreno fértil para salvadores da pátria ou figuras de extrema direita tipo Bolsonaro. Pelo que escuto continuamos procurando o que o brasileiro mais gosta, um ditadorzinho, alguém que pense por nós, que nos dê relativa estabilidade, pode até ser meio ladrão como foi Getúlio ou bem ladrão como é Lula.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/12/2016 às 07h01 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Afinal, promotor, o que é superfaturada?

Recebi comunicado do promotor Jean Michel Forest, da moralidade pública, indeferindo minha comunicação de que uma licitação promovida pela prefeitura de Balneário Camboriú estava superfaturada.

Ele alegou, dentre outras coisas, que o preço que eu pesquisei para denunciar o superfaturamento não incluia frete, impostos, taxas e acessórios.

Incluia sim, sei fazer meu trabalho direito, mas meu propósito não é discutir e sim entender.

Os fatos:

Noticiei, no dia 13/10/2016 que

“o principal item da licitação envolve 12 veículos tipo SUV, estimados em R$ 88.971,67 cada um. Um veículos desses pode ser comprado no mercado local por cerca de R$ 71.000,00 em prestações, sem pedir desconto para empresa/órgão público e desconto de quantidade.

Para frotistas, com pagamento à vista, como é caso da prefeitura, o valor hoje da EcoSport Freestyle na Globo Ford de Itajaí é R$ 65.690,00”.

O promotor indeferiu, disse que não havia irregularidade, porém aberta a licitação, o preço vencedor (R$ 65.700,00 cada SUV) foi R$ 10,00 acima daquele que eu apontei como o real de mercado e não o base da licitação fixado em R$ 88.971,67.

Mais do que isso, quem venceu a licitação foi exatamente a Globo Ford, aquela que eu apontei como referência de preço mais baixo para afirmar que havia superfaturamento no preço fixado pela prefeitura.

Então eu quero saber, para não ficar incomodando o promotor com bobagens, qual o conceito de superfaturamento.

Algo que a prefeitura anuncia o propósito de comprar com R$ 23.281,00 acima do mercado, a unidade, totalizando um possível prejuízo ao cofre público de R$ 279.372,00 não é superfaturado?

O que é, então?

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 15/12/2016 às 08h28 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Bob Jr. o mais engavetado

Das dezenas de projetos que os vereadores pretendem votar hoje a maior quantidade foi proposta pele vereador Roberto Souza Jr.

Difícil entender o motivo de propostas, como as listadas abaixo, ficarem engavetadas, sem irem à discussão. Talvez o presidente da Câmara, o engavetador geral Nilson Probst, consiga explicar.

(Esperando desde) 2015 - Autoriza o Poder Executivo a implantar câmeras de segurança nas escolas da Rede Municipal de Ensino.

2011 - Dispõe sobre o concurso Ornamentação Natalina em Balneário Camboriú.

2014 - Determina que boates, danceterias, casas noturnas e afins disponibilizem terminais de consultas a seus clientes para controle gradativo, de suas respectivas despesas.

2015 - "Dispõe sobre a proibição da Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú inaugurar obras sob sua tutela construtiva sem a prévia aquisição de respectivo Alvará de Funcionamento (Habite-se)".

2015 - Define procedimentos a serem adotados quanto à remoção (guinchamento) de veículos automotores no Município de Balneário Camboriú.

2015 - Dispõe sobre a proibição da comercialização ou fornecimento de bebidas, alcoólicas ou não, em copos de vidro ou similares, nos locais e eventos que menciona.

2015 - Determina a inclusão de ensino de lingua brasileira de sinais, como disciplina curricular, nas instituições de ensino públicas e privadas estabelecidas no município de Balneário Camboriú.
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 14/12/2016 às 11h31 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

1 2 3 4 5 6 7 8

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br