Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Gestão Probst precisa ser investigada

 


No dia 21/07/2016 a Câmara de Vereadores, então comandada por Nilson Probst, comprou R$ 46.789,20 em serviços postais usando a seguinte alegação:

“REFERENTE AQUISIÇÃO DE SELOS 1° PORTE COMERCIAL, SELOS CARTA COMERCIAL 1° PORTE COMERCIAL COM AR, CONFORME TABELA EM VIGÊNCIA, VALOR ESTIMADO PARA PERÍODO DE 1 (UM) ANO, PARA USO DA CÂMARA DE VEREADORES DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ – SC”.

Comprou em julho para usar durante um ano e pagou tudo dois meses depois, no dia 19/09/2016.

Comprou com aumento, as tarifas dos Correios foram reajustadas em 10,64% no dia 20 de junho.

Nas empresas privadas não conheço gente suficientemente estúpida para comprar selos para 12 meses e pagar integralmente com 10 meses de antecedência. Selo se compra no dia, na semana, no mês... nunca para um ano.

O problema maior e por isso mesmo o negócio precisa ser investigado é que a Câmara não gasta 49 mil com selos em um ano.

Na verdade não gasta a metade disso, então como explicar esse negócio?

As despesas anuais, antes da compra suspeita na gestão Nllson Probst, foram as seguintes:

2013 - R$ 15.617,06

2014 - R$ 17.730,09 + 49,03

2015 – 19,491,56

2016 - R$ 46.789,20

É isso, investiguem senhores vereadores.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 24/01/2017 às 09h21 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Piruka, Bola e a demagogia populista

Nos últimos três anos, entre 2013 e 2016, os professores da prefeitura tiveram entre 69% e 43% de reajuste salarial, sem incluir o triênio.

No mesmo período o reajuste de quem paga os salários dos professores, nós, o povo, foi 38%.

Com o triênio o salário dos professores aumentou entre 86% e 58%.

Os comerciários tiveram reajuste de 25%; os empregados da construção civil 32% e os da hotelaria e restaurantes 34%.

Os professores ganharam reajustes que totalizam até o dobro do que nós que lhes pagamos os salários.

Em 2013, apenas 57% das séries finais nas escolas municipais atingiram as metas educacionais. Em 2015 esse descalabro aumentou, apenas 23% das séries finais das escolas do município atingiram a meta.

Isso quer dizer que 77% dos alunos examinados não aprenderam o necessário de português e matemática.

Enquanto isso os vereadores Bola Pereira e Leonardo Piruka fazem demagogia populista afirmando que os professores não tiveram reajuste adequado.

Tiveram sim, aquele definido na lei nacional, a do Fundeb, que nos últimos cinco anos os beneficiou. Quem teve reajuste menor (a faixa 1) ganhou mais do que nós que somos balizados pela inflação oficial, o Salário Mínimo etc.

Todas as outras faixas do magistério foram beneficiadas pela Lei Complementar municipal 12/2015 e ganharam reajuste MUITO ACIMA do restante do funcionalismo e da população.

Vocês, Bola e Piruka, em nome da politicagem, não têm o direito de enganar a opinião pública.

Façam uma discussão clara, honesta das vantagens salariais crescentes e dos resultados educacionais decrescentes.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 19/01/2017 às 09h26 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Vereadores não fizeram contas

As queixas de alguns vereadores que o magistério teve reajuste menor que os demais servidores da prefeitura de Balneário Camboriú caiu por terra após a prefeitura divulgar nota alegando que os índices variaram entre 7,64% e 10,33%.

A nota é confusa, porém real, calculei hoje pela manhã os números relativos aos professores dos anos finais do ensino fundamental e o reajuste desse grupo variou entre 7,67% e 11,89%.

Isso derruba o discurso dos oposicionistas e revela que eles sequer fizeram contas, produziram discursos vazios e irresponsáveis.

Foi o caso do vereador Leonardo Piruka que distribuiu nota à imprensa e gravou um vídeo demagógico falando em valorização dos professores.

O prefeito tem sua parcela de culpa. Não divulgou com antecedência a proposta de reajuste do magistério, ela só foi apresentada com a sessão da Câmara de Vereadores em andamento.

E lá na Câmara, quem olhar a tabela anexa ao projeto, terá dificuldades para entender se não estiver familiarizado com o assunto.

A proposta do Fabrício na campanha eleitoral era de transparência e práticas desse tipo, apresentar projetos para os vereadores na última hora, não são transparentes

Me sinto à vontade para criticar porque sempre critiquei no governo Piriquito. Esses joguinhos de esconde-esconde são infantis.

Por outro lado, o reajuste dos servidores da prefeitura muito acima da inflação, do salário mínimo e do que as empresas costumam dar aos seus empregados não é justo para a sociedade, para o contribuinte, que vive dificuldades econômicas.

Vocês fazem política com o nosso dinheiro. Falta a administração municipal vir a público explicar isso  e o motivo desses reajustes diferenciados na carreira do magistério.

Essa é tabela que calculei agora cedo:

A linha com * é o salário de 2016; a linha com ** o salário de 2017 e a terceira linha a variação percentual.

 

Carga horária

PI

PIII

PIV

PV

PVI

10

534,00*

575,00**

7,67%

646,00

701,00

8,51%

782,00

855,00

9,33%

946,00

1.044,00

10,36%

1.144,00

1.273,00

11,89%

20

1.068,00

1,149,00

7,58%

1.292,00

1.402,00

8,51%

1.563,00

1.711,00

9,47%

1.892,00

2.087,00

10,30%

2.289,00

2.546,00

11,22%

30

1.602,00

1.724,00

7,61%

1.938,00

2.103,00

8,51%

2.345,00

2.566,00

9,42%

2.837,00

3.131,00

10,36%

3.433,00

3.819,00

11,24%

40

2.135,00

2.299,00

7,68%

2.584,00

2.805,00

8,55%

3.127,00

3.422,00

9,43%

3.783,00

4.174,00

10,33%

4.578,00

5.093,00

11,25%

 

   
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 18/01/2017 às 08h56 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Blitz de trânsito é atraso

 

Faz tempo que tenho vontade de escrever isso: blitz de trânsito é atraso.

Pega na maioria das vezes trabalhador sem dinheiro para pagar o IPVA; consumidores de pequenas quantidades de drogas e um ou outro otário o suficiente para dirigir embriagado.

Bandido barra pesada raramente cai em blitz.

Hoje de manhã alguns criticaram porque critiquei uma blitz no túnel na Avenida do Estado, comentaram que divulgar a existência e o local das blitze ajuda os larápios.

Minhas nove leitoras, cabeça não é só para usar chapéu.

As blitze são divulgadas rotineiramente nas redes sociais pelos malacos; muitos que têm Waze também divulgam e bandido que é bandido manda olheiro na frente, escuta o rádio da polícia...

Barreiras tecnológicas nas entradas e saídas da cidade, avisar em outdoors na BR-101 que Balneário Camboriú tem controle policial de entrada e saída é isso que vai espantar a bandidagem, fazer ela passar reto e ir azucrinar em outra freguesia.

Em maio de 2011 a prefeitura comprou 45 câmeras para leitura de placas de veículos, onde elas estão?

Se é possível instalar um equipamento que lê placas e dá no computador portátil o histórico de um veículo, qual a necessidade de parar centenas tentando encontrar o errado?

As barreiras nas entradas e saídas da cidade -que sempre defendi e vou continuar defendendo- podem e devem ser barreiras tecnológicas, que afastem os vagabundos.

Barreiras essas que às vezes podem sim se transformar em blitze humanas, de surpresa e até de forma móvel.

O vagabundo sabe que aqui não dá para entrar com carro frio porque tem o controle das placas; sabe que existem surpresas etc. então ele vai roubar em outro lugar onde os obstáculos ao seu “trabalho” sejam menores.

Barreiras tecnológicas, com semáforos de controle remoto para paralisar o trânsito em setores da cidade no caso de assaltos, grupos policiais de resposta tática em motocicletas circulando no trânsito retido de propósito...

Tem que pensar segurança de maneira diferente, usar a tecnologia a favor da polícia, portanto da sociedade.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/01/2017 às 17h06 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Pancadaria inaugural

Ontem os vereadores votaram o reajuste dos professores e dos demais servidores públicos e pelas espiadas que dei na TV, além dos Whats recebidos, deu pra ver que foi uma pancadaria em plenário entre situação e oposição.

Não prestei atenção porque estava no aniversário de quatro anos de uma amiguinha que é feliz por não ter que escutar conversa de políticos.
Num momento escutei os inefáveis Nilson Probst e Marcos Kurtz reclamando que o presidente Bob Jr. não respeitou a proporcionalidade das comissões ou coisa semelhante. Se está errado busquem o Direito na justiça.

A nova oposição, aparentemente em minoria, fez o que tinha que fazer, papagaiou que é injustiça os professores terem reajuste 1,13% menor do que os demais servidores.

Não é injusto, é a regra do jogo, a mesma regra que nos últimos cinco anos deu aos professores o dobro do reajuste que os demais receberam.

Claro a oposição tem que reclamar, mas fica aquela coisa vazia, tão vazia quanto o plenário da Câmara que estava às moscas.
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 17/01/2017 às 08h23 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Me liga Magali

Hoje de manhã tinha um dossiê passado por baixo da porta com dados relativos à delegada Magali.

Depois ligou um sujeito que não quis se identificar, fazendo acusações a ela.

Alegam que a Magali foi ímproba, se beneficiou do cargo em proveito próprio, baixando 18 multas aplicadas em veículos da família.

Só 18 multas? Ela é delegada aqui desde que a conheço, há anos e anos, e a acusação neste tempo todo é irregularidades em 18 multas?

Cheira mal. 

E cheira mal porque tudo que envolve polícia administrativa neste país, infelizmente, não cheira bem. São bem conhecidos de todos os jornalistas e profissionais do meio os boatos de propinas, caixinhas etc.

Multa de trânsito é um crédito do governo e um débito do cidadão.

Existe uma junta de recursos, a Jari; existe o controle da prefeitura e controle do estado.

Portanto, se ocorre fraude é possível que uma ou todas essas instâncias (Jari, prefeitura e estado) participem dessas fraudes ou deixem de controlar corretamente a parte que lhe cabe.

Liga para mim Magali, vamos colocar a conversa em dia porque quero entender como, numa instituição tão má afamada como é a delegacia regional de polícia, arranjaram só uma pessoa para crucificar.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 13/01/2017 às 10h45 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

1 2 3 4 5 6

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br