Jornal Página 3
Coluna
Dedo na Moleira
Por Waldemar Cezar Neto

Dr. Japa, Dr. Pavan e Dr. Waldemar


Hoje o candidato Japa Ozawa distribuiu nota à imprensa defendendo a abertura do Hospital Santa Inês, tese defendida também pelo candidato Leonel Pavan.

Japa defendeu ainda a descentralização da farmácia do município, levá-la aos bairros, abrir “filiais”.

Isso é uma viagem a lugar nenhum, os candidatos não são qualificados para analisar e decidir o que deve ser feito ou não na saúde pública pelo simples e bom motivo que eles não têm formação na área.

Eu também não tenho, mas sei ler.

Temos hoje 40 empregados na prefeitura trabalhando em farmácia. Se abrirmos mais seis ou sete unidades, além das dificuldades de estoque e logística as despesas dispararão. E o risco de bagunça também porque como todos sabemos os serviços públicos costumam ser ruis. (Aqui faço um parêntese porque a Farmácia Central, que utilizo regularmente, atende bem).

Foi lendo que encontrei uma série de estudos na Europa e Estados Unidos sobre economia de escala em sistemas de saúde. Juntar dois hospitais sai mais barato do que mantê-los funcionando separadamente?

Depende foi a conclusão que cheguei depois de ler os estudos que tenho certeza nossos candidatos não leram.

Eles precisam ler a literatura especializada, buscar a opinião dos craques antes de propor iniciativas que envolvem muitos milhões de reais do cofre público e a vida das pessoas.

É necessária responsabilidade nas propostas porque depois se o candidato se eleger vai querer cumprir mesmo que fazê-lo seja a maior besteira do mundo.

Pergunto aqui, qual a pessoa qualificada que disse ao Japa e ao Pavan que devemos ter dois hospitais e quem disse ao Japa que devemos multiplicar farmácias públicas?

Digam aí rapazes. 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 19/09/2016 às 18h12 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Uma lógica bem lógica

Contei na edição desta semana do Página 3 impresso que meu amigo decidiu doar dinheiro para o candidato que estivesse liderando a campanha a prefeito, apostar na certa nessa época de grana escassa.

Mandou fazer pesquisa num instituto sério e me explicou que quem estava pagando era o próprio candidato.

Diante da minha cara de espanto ele explicou: “se eu vou dar 100 e gasto 20 na pesquisa, só dou 80”.

Achei a lógica bem lógica e hoje veio o resultado da tal pesquisa, muito parecido com as enquetes que faço diariamente por encomenda de outro empresário aqui da cidade.

É prá frente que se anda com dizia o Prefeito Tabajara.
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 13/09/2016 às 14h49 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Bandeiras não votam


Apoiadores do Pavan, da Jade e do Fabrício comemoraram o “sucesso” dos seus comícios e caminhadas no final de semana, proclamando aos quatro cantos da cidade que as ondas verde, azul ou amarela demonstram a força da campanha... que o jogo já virou... que continuamos crescendo e que agora não tem para ninguém.

Tudo isso é bobagem.

Quem tem 100 candidatos a vereador na coligação pode colocar mil pessoas numa passeata com facilidade, basta cada candidato levar a mulher, os filhos, os irmãos... o restante é possível contratar, custa mais ou menos R$ 60 por cabeça.

Com R$ 120 mil, posso colocar 2.000 pessoas gritando “Waldemar é o nosso candidato” e 120 mil numa campanha para prefeito é troco.

Além dos sacode-bandeiras pagos, o apoio nas caminhadas e comícios é dado por gente envolvida na campanha que espera conseguir uma boquinha no próximo governo.

Uma leitora lembrou, com espantosa lógica, que o cidadão comum não sai pelas ruas carregando bandeira de candidato.

Os envolvidos nessas manifestações representam pequena parcela do eleitorado, algo como 10% dos que irão às urnas. Produzem barulho, não produzem luz.

Pavan, o politico mais experiente nesta campanha, sabe disso. Na véspera da primeira eleição que ele ganhou para prefeito os adversários colocaram uma mega-carreata nas ruas, tinha até caminhões das construtoras que na época mandavam e desmandavam, pintavam e bordavam.

Deu efeito contrário, o povo se revoltou com aquela demonstração de arrogância e votou no outro lado.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 12/09/2016 às 09h23 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Pesquisas estranhas

 

O publicitário, regente de coral, marqueteiro etc. Normélio Weber agora produz pesquisas eleitorais.

Imagino que nem o Diário do Litoral, que contratou a pesquisa, sentiu firmeza nos números apurados por Normélio Weber tanto que publicou o resultado, mas junto com outra pesquisa, da empresa Diagrama Públicidade, cujos números são opostos aos da Tendência.

Na pesquisa da Tendência, Pavan está na frente; na da Diagrama, Fabrício vence.

É evidente que se duas pesquisas são feitas nos mesmos dias e os resultados são opostos, uma ou ambas estão erradas. 

Procurei no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pesquisas registradas em nome da empresa de Normélio, a  Tendência Pequisa e Consultoria ME., desde a eleição de 2012 e só encontrei duas, uma com divulgação suspensa pela justiça eleitoral em Itapema e outra que veio à luz hoje, nas páginas do Diário do Litoral referente a Balneário Camboriú.

Em entrevista ao Diarinho, Normélio Weber proferiu sandices. Disse que se a a coleta for feita no Centro levando em conta o local de moradia do pesquisado, o resultado vai ser diferente das coletas feitas diretamente nos bairros.

Não é verdade. Não interessa onde o eleitor é pesquisado, importa é separar as entrevistas e fazer a ponderação correta por sexo, idade, local de moradia etc.

Só faria diferença se pesquisassem em domicílio, diretamente na residência, como fazem os melhores institutos norte americanos. Do jeito que fazem aqui, abordando as pessoas nas ruas, não faz diferença o local da coleta. Afinal, no mercado Xande, por exemplo, passam pessoas de todos os bairros.

Normélio disse também que no período pré-eleitoral Pavan já aparecia muito bem nas pesquisas estimuladas. Outra inverdade. A única pesquisa pré-eleitoral registrada foi a da Faculdade Avantis e Pavan aparecia mal, muito mal. Tinha 52% de rejeição e apenas 27% de intenção de voto.

Por fim, Normélio declarou ao Diário do Litoral que trabalhava para Fábio Flôr, vice de Pavan até um mês atrás. Não comentarei o fato.

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 03/09/2016 às 08h58 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

1º escândalo do talvez futuro governo Pavan

Li que o Pavan andou procurando diretores do Instituto de Educação e Saúde Vida (Isev), entidade que administra o Hospital Santa Inês para firmar parceria com a prefeitura caso ele seja eleito prefeito da nossa cidade.

O ISEV anda esperando um político legal que se interesse em fazer parceria e Pavan pode ser o cara.

Como sou amigo do peito do Pavan, reproduzo abaixo alguns links que podem evitar que o talvez futuro prefeito inicie seu talvez futuro mandado com um escândalo daqueles de amargar. Quem duvida que clique nos links.

Salários atrasados

http://www.sindsaudesc.com.br/posts_exibe.php?id_post=872
Instituto nega acusações de médicos sobre problemas no Hospital Santa Catarina, em Criciúma
http://dc.clicrbs.com.br/sc/noticias/noticia/2015/06/instituto-nega-acusacoes-de-medicos-sobre-problemas-no-hospital-santa-catarina-em-criciuma-4782832.html

-o-o-o-o-o-

Isev também é investigado no Rio Grande do Sul

http://portalsatc.com/site/interna.php?i_conteudo=21583&titulo=Isev+tambAem+Ae+investigado+no+Rio+Grande+do+Sul

-o-o-o-o-o-

Vereadores de Sombrio criticam reportagem em jornal sobre o Hospital Dom Joaquim

http://www.jornaldapraia.net/base.php?pagina=noticia&id=416

-o-o-o-o-o-

Entidade é processada por terceirização de médicos

http://portal.mpt.mp.br/wps/portal/portal_mpt/mpt/sala-imprensa/mpt-noticias/f7a24014-069c-40a1-979c-e718d063100f/!ut/p/z0/jYzLDoIwFER_BRcsm3uLhOoSiSFIiLrDbswVClahvBoffy_-gHE3MzlzQEIO0tBD12R1Z6iZ-0kGZx6jn2z2mMbpQWB45Nk2ibkXoYAdyN_AbPDGLMpqkD3ZK9Om6iCvBHk-cp9hsC6Yj8TZWsxJCb4qMVhyxOp71bdhkCHIojNWvSzkbW9dnKghp1SObvtRmYlcnGfHdFYXmiYX_7L3d3l5P8PFBw0BeIU!/

-o-o-o-o-o-

Hospital de Navega tá mal na foto

http://www.diarinho.com.br/materias.cfm?caderno=25&materia=105560

-o-o-o-o-o-

MP investiga denúncias de irregularidades no Dom Joaquim

https://www.revistaw3.com.br/noticias/2015/09/02/mp-investiga-denuncias-de-irregularidades-no-dom-joaquim.html

-o-o-o-o-o-

Conselho de Saúde solicita rescisão imediata do contrato com Isev

http://www.cmscriciuma.com.br/noticia/conselho-de-saude-solicita-rescisao-imediata-do-contrato-com-isev-59
 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 02/09/2016 às 16h31 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

Ignorantes, ataquem novamente

Dias atrás o Página 3 informou que o ranking Datafolha de eficiência municipal apontou a administração de Balneário Camboriú como péssima, perdendo longe até para Camboriú um município com conhecidas dificuldades orçamentárias.

Por causa da notícia fui achincalhado por ignorantes, gente que sabe xingar, mas não sabe ler. Me acusaram de politiqueiro, de inventar teses etc.

Dois dias atrás o promotor Rosan da Rocha manifestou sua preocupação sobre o assunto escrevendo o seguinte: “a Folha trouxe o ranking dos municípios mais eficientes. BC sendo um dos mais ricos, está em uma péssima posição. É o pior da região, atrás de Itajaí, Itapema, Bombinhas, Porto belo e Camboriú. Cabe aos candidatos apresentarem projeto de governo para reverter essa situação”.

Os ignorantes podem tentar ler aqui https://www.facebook.com/rosanrocha.

Hoje esta mesma informação é manchete de capa do jornal Diarinho do Litoral, os já citados ignorantes podem tentar ler.

Quem acompanha o Página 3 sabe que indicadores importantes sob o governo Edson Piriquito costumam ser piores do que os obtidos no governo anterior, o do Rubens Spernau. Tem lógica, Spernau sabia administrar e montou uma equipe excelente enquanto Piriquito é intelectualmente incapaz, gerencialmente desastroso e teve 80 secretários. 

Escrito por Waldemar Cezar Neto, 01/09/2016 às 08h13 | waldemar@camboriu.com.br

publicidade

1 2 3 4 5 6

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br