Jornal Página 3
Coluna
Puxando Rede
Por Fabiane Diniz

Piriquito não surpreende

Semana passada falei que o Pirica estava ensaiando uma inauguração da ponte da Barra, e ouvi "imagina, não está pronta".

E precisa estar pronta? Não.

Fotos PMBC

Tá aí (notícia fresquinha), vai inaugurar do jeito que está...

Faz uns enfeites, coloca umas luzes, dá uma limpada na bagunça, arruma um elevador, abre somente na inauguração e depois fecha outra vez pra reparos. Prática comum em ano eleitoral.

Se não tem elevador, manda o povo subir de escada mesmo! O importante é inaugurar antes das eleições.

Escrito por Fabiane Diniz, 30/08/2016 às 15h21 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

A Erundina, gente!

Os candidatos ganham o número x de tempo na tv, matemática feita usando variáveis como representação nacional do partido e das coligações feitas. Em São Paulo, a candidatada do PSOL, Luísa Erundina depois de ser colocada pra escanteio no debate da Band, resolveu protestar com um gif/meme famoso do John Travolta, nos 10 segundos que tem direito na tv. É engraçado, eu achei!

Campanhas municipais costumam ser um palco cômico. Aqui mesmo em Balneário, Pedrão Pão de Batata, meme dessa internê loka, é candidato a vereador. As vezes é pra rir, as vezes é pra chorar de rir.

Escrito por Fabiane Diniz, 26/08/2016 às 14h18 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

A grande diferença dessa eleição

Segue reprodução do editorial do jornal Página 3 da última edição, ele é um alerta, um reforço do que tenho feito nessa coluna. Ninguém está longe dos olhos dos eleitores mais atentos nesses tempos de dados expostos. Também um alerta a novos políticos, com intenção de se eleger pra fazer a velha política.

"Nesta semana um leitor entrou em contato com o Página 3 para informar que pessoa ligada a um dos candidatos a prefeito em Balneário Camboriú recebe salário na Assembleia Legislativa, mas não trabalha.

Encosto no serviço público nunca foi novidade, o que mudou é que agora todos os cidadãos têm acesso a essas informações.

Muitos políticos ainda não se deram conta que esta é a primeira eleição municipal na história do país onde os portais de transparência do Executivo e Legislativo estão em pleno funcionamento.

Balneário tem três candidatos a prefeito que exerceram em passado recente ou ainda exercem função legislativa: Fábio Flôr; Leonel Pavan e Fabrício Oliveira.

Quanto eles gastaram de telefone; de diárias de viagem; para onde viajaram; quem empregaram etc. é relevante e o eleitor tem todo o direito de saber os motivos, a necessidade e a moralidade desses gastos.

O que na vida pessoal é invasão de privacidade, na política torna-se direito de cidadania porque somos nós, os cidadãos, que pagamos a conta.

A candidata que está na disputa, Jade Martins Ribeiro, também está sujeita ao escrutínio público, em especial porque exerceu funções importantes na prefeitura.

Tudo que ela fez, gastou ou quem contratou consta no portal de transparência do município e a expõe ao questionamento dos eleitores.

O que não estiver no portal da transparência Jade e outros três candidatos, desde que haja interesse público, são obrigados a explicar.

O Brasil mudou, os cidadãos têm todo o direito de querer saber de onde saiu o dinheiro para fulano ou beltrano adquirir este ou aquele patrimônio.

O Página 3 recebe diariamente denúncias as mais diversas. A maioria é descartada e outras acabam se confirmando pela investigação jornalística.

Quando confirmadas, publicamos, é assim que funciona e quem é leitor habitual sabe disso."

 

Escrito por Fabiane Diniz, 24/08/2016 às 17h57 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

Arruma que dá tempo! #Jingles

Tá circulando nos grupos de whatsapp dois jingles, paródias muito semelhantes.

Não sei qual estúdio é responsável, se é o mesmo dos dois candidatos ou uma coincidência, o que não tem nada de absurdo, por se tratar de um funk bem famoso.

Não sei de quase nada, só que são idênticos, e isso você mesmo pode ver, melhor, escutar ai embaixo.

Se eu fosse um desses candidatos nem começava a divulgar.

A música original e as paródias dos candidatos.

 Paródia 1

  

Paródia 2

  

E ainda fico na dúvida se algum deles escutou a versão original da música.

Escrito por Fabiane Diniz, 19/08/2016 às 11h34 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

Se viraliza, não tem volta

Há menos de uma semana do prazo final para os partidos decidirem seus candidatos, a internet está um fuzuê!

É muito pré-candidato pra pouca vaga, e são muitos partidos fazendo jogo de interesse nessa hora, tempo de firmar união.

O inglório, para a tristeza de quem é adepto à safadeza, é que mesmo nessa babilônia política pré-eleições existem alguns limites que devem ser mantidos, e quando esses são ultrapassados... Bom, sabe aquele pézinho na desonestidade? Então, essa é a impressão que fica para o eleitor mais antenado, a de que vale tudo para chegar lá.

Oposição vira situação em um aceno breve de divisão de poder. Mas estão errados?

Pode parecer impressionante mas não existe certo ou errado nessas alternativas. O que existe é uma vontade de ganhar.

Por exemplo, quando um pré-candidato publica foto abraçado com um outro político, sabido publicamente traidor de seus amigos de partido em outros turnos, é dar um tiro no pé. E não porque o eleitor irá julgá-lo como um inconsequente, duas caras; mas porque pode perder aquilo que é tão almejado por todos, a confiança partidária. E o que será de um candidato sem um ‘exército’ fiel?

Quando essas barbeiragens acontecem e chegam até mim, só fico pensando... quem foi o assessor que deixou isso acontecer?

Pessoal, se tem uma coisa que vocês precisam cuidar é com a exposição na internet. Isso viraliza, e é caminho sem volta. E a poucas semanas de uma eleição não podem apostar que caia no esquecimento da rede.

Vocês mesmos estão criando memes dos candidatos que estão auxiliando, sem que ninguém precise se dar ao trabalho de fazer isso.

O julgamento na rua é diferente do que acontece na internet. Não há dúvidas.

Na rua muitas vezes a informação não chega, não são discutidos os assuntos de bastidores. E tendem os coordenadores a apostar suas fichas todas apenas no eleitor ignorante. Não gosto dessa realidade mas aceito.

Já a confiança partidária é feita de fatores diversos, cargos, promessas; o exército só é montado do lado de quem tem chances reais de levar a bandeira da Dinarmarca pra casa.

Se é candidato e não tem chance, se está em situação delicada, o que precisa fazer é praticar a humildade, a perspicácia e não trair amigos, ou ser muito bom mesmo em passar uma lábia bonita em todo mundo.

O que é complicado de aceitar é que durante esses últimos anos pouca oposição foi feita de fato ao governo Dias. Um governo desastroso, com uma administração nunca dantes na história dessa cidade. E que mesmo assim, os maiores opositores não estarão em nenhuma majoritária oposicionista.

Aquele pano quente que é aquecido de 4 em 4 anos está novamente na área. A ideia de que fazer oposição é trabalhar contra a cidade foi disseminada tanto na cabeça do povo, que se trata o assunto como verdade absoluta e não é.

Todos os projetos da prefeitura enviados à Câmara, sem real teor social ou econômico foram aprovados pelos vereadores.

Não existe projeto que essa administração possa se orgulhar. Não tem, porque os projetos mesmo aprovados são ruins ou na execução foram detectadas corrupção de alto grau. A ponto de licitações serem canceladas.

E graças a oposição, que não é majoritária em nenhum quadro possível, outros danos maiores não aconteceram.

As pessoas precisam entender que não é porque você faz oposição que está trabalhando contra a cidade. Proteção e cuidado não é querer o mal de alguém, muito pelo contrário mesmo.

É complicado, mas ainda aceito. Até porque não resta o que fazer mesmo. Apenas observar quem será o novo eleito do povo e acompanhar a nova administração, espero que com oposição inteligente, porque oposição não é só gritaria, como também estão acostumados.

Quem lembra do Piriquito oposição na Câmara de Vereadores? Aquilo era um show de auto promoção.

Usem e abusem da internet nessa campanha, candidatos. Mas não vai me abraçar inimigo do teu amigo. Por favor!

 

Willtirando

Escrito por Fabiane Diniz, 01/08/2016 às 12h06 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

Fechou? Japa e Marisa

Luiz Fernando Ozawa e Marisa Zanoni postaram fotinho divindo um vinho ontem a noite, (nesse frio quem nunca!) com a legenda "Fechou?"

E a turma já fica toda alvoraçada nesse tempos de eleições municipais querendo saber se os dois tinham fechado na majoritária. Mas não é nada do que parece, Mariza Zanoni (PT) vai defender sua posição na Câmara, a melhor oposição dos últimos anos.

Esses tempos são tão loucos que chegaram a dizer que Marisa iria apoiar Jade e Moi (PMDB). A imaginação vai longe, e as vezes falta imaginação. Quem apostaria em uma aliança PP e PSDB, quem imaginaria!? Não dá pra duvidar de nada.

O brinde não esclarece, mas o Japa (PSOL) sim. Ele é pré-candidato a prefeito e está esperando uma posição do PT, pra saber se eles fecham aliança e indicam um nome à vice. Caso contrário, ele já tem um nome pra posição e vai disputar a eleição com chapa pura.

Tá fechado!

Escrito por Fabiane Diniz, 28/07/2016 às 11h51 | fabdiniz@gmail.com

publicidade

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Fale Conosco - Anuncie neste site - Normas de Uso
© Desenvolvido por Pagina 3

Endereco: Rua 2448, 360 - Balneario Camboriu - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br